Romance I ‘Ela’ radicaliza a impossibilidade do contato humano (14/02/14)

Luiz Carlos Merten - O Estado de S. Paulo

Pode não ter nada a ver, mas vale lembrar que num filme antigo – Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre Sexo – Woody Allen mostra Gene Wilder como um homem que se apaixonava por uma ovelha e, abandonado por ela, tornava-se alcoólatra e caía na sarjeta. Era divertido e bizarro, mas não mais que a história de Ela, sobre o homem que se apaixona pela voz feminina de seu sistema operacional em seu computador e em seu celular.

O longa de Spike Jonze com Joaquin Phoenix. que estreia hoje, concorre a várias categorias no Oscar 2014. Antes que você diga que não tem nada a ver comparar zoofilia com sexo virtual – o segundo é mais clean –, o traço comum entre Woody Allen, há 40 anos, e Spike Jonze, hoje, é que ambos falam da dificuldade de comunicação entre as pessoas. De preconceito, também.

Descoberta a zoofilia, Gene Wilder era tratado como um caso e rejeitado pelos amigos de ontem. O casal de amigos de Joaquin pode até aceitar ir à praia com seu celular e ele. Fazer sexo com uma voz que geme e sussurra, afinal, não é mais estranho do que todos aqueles jogos interativos em que a ex-mulher atira na cara do que foi seu marido que ele não tem jeito, nunca vai amadurecer.

A verdade é que, por absurda (bizarra) que pareça a história de Ela, reflete uma característica (problema?) contemporânea(o). As pessoas estão passando mais tempo navegando na internet ou com seus celulares e iPads do que com seus entes queridos.

Spike Jonze nem sempre acerta o tom, mas é um dos diretores/autores mais talentosos de sua geração. E ele tem ideias originais – Quero Ser John Malkovich era sobre um sujeito que descobria, em seu escritório, uma passagem para a mente do ator; Adaptação, com roteiro de Charlie e Donald Kaufman, era sobre a dificuldade de adaptação de um livro etc.

Jonze agora radicaliza uma crítica ao comportamento humano face à (r)evolução dos costumes provocada pela internet e suas redes sociais. Joaquin até que tenta se relacionar, mas nada parece dar certo, e ele afunda no mal-estar. É verdade que isso ajuda em sua atividade, porque o solitário é um profissional que escreve e responde a cartas e cartões de amor. É bom com as palavras e uma editora até quer publicar um livro com uma seleção de seus textos.

Quem lhe dá forças é a mulher dentro de seu sistema operacional. A voz da mulher. Tudo começa meio inocente, quando vê a publicidade desse novo lançamento. Tudo na mulher desejada – dentro do computador – pode ser personalizado, ou assim parece. E como a voz sedutora é de ninguém menos que a de Scarlett Johansson, não surpreende que logo logo o herói esteja caidinho pela nova “namorada”.

Seu bem-estar é tão flagrante que desperta inveja e até ciúme na amiga que se separou do marido e talvez esteja interessada nele.

Por maluca que pareça a história, Jonze quer que o espectador acredite nela e a narra com o pé no real. O problema é a perda dos limites entre o que é real e o que não é. Ela é muito bem feito, muito bem fotografado. 12 Anos de Escravidão, de Steve McQueen – um artista que veio das artes visuais –, pode ser melhor (e é), mas certamente, pela próprias natureza do tema, não é tão bonito. O trabalho de cor e cenografia – nos ambientes, nas roupas – compõe um primor de elegância.

Há algo de futurista, e tudo, ao mesmo tempo, é perfeitamente viável. O futuro já chegou. A arquitetura dramática converge para o momento desmistificador, em que Joaquin, falando com sua amada, descobre que não é o único amante.

Phoenix é maravilhoso no papel. No limite, o que Jonze está querendo dizer pode até parecer banal – nada substitui as relações humanas. Mas é um sinal dos tempos que seja necessária uma fábula para nos lembrar disso. É um belíssimo filme, dos melhores deste Oscar.

___________________________________________________________________________________

Romance I Antes da Meia-Noite: Jesse e Celine voltam a andar e conversar para encerrar a mais romântica trilogia do cinema    (14/06/13)

Quando saltaram do trem para viver uma noite de amor em Viena, Jesse e Celine, de "Antes do Amanhecer" (1995), entraram para a lista dos casais inesquecíveis do cinema. Nove anos depois, em "Antes do Pôr-do-Sol", eles se reencontraram em Paris e decidiram abandonar tudo para ficar juntos. O público comemorou: finalmente, chegou o final feliz.

Feliz, sim, mas bem longe daqueles dos contos de fada, ou mesmo da maior parte dos filmes românticos de Hollywood. Em "Antes da Meia-Noite", que estreia nesta sexta-feira (14), os personagens de Ethan Hawke e Julie Delpy estão juntos e são pais de gêmeas de sete anos, mas encaram um desafio: continuar apaixonados apesar de todos os problemas trazidos pelo casamento e pela convivência diária.

Os três filmes da série - todos dirigidos por Richard Linklater, que assina o roteiro com Hawke e Delpy - funcionam como um retrato do amor em cada fase da vida - aos 20, 30 e 40 anos. Os longos diálogos de Jesse e Celine sobre relacionamento, sexo, casamento, morte e passagem do tempo soam tão verdadeiros, e a atuação de Hawke e Delpy tão natural, que os dois se parecem com qualquer casal comum.

"Antes da Meia-Noite" segue a mesma fórmula simples, com longos planos sem cortes e muitos diálogos, mas as conversas existenciais parecem menos naturais entre um casal que está junto há anos do que entre quem acabou de se conhecer.

Para solucionar o problema, Linklater, Hawke e Delpy ampliaram a interação de Jesse e Celine com outros personagens, especialmente em uma cena no início do filme, na qual os dois almoçam com amigos durante férias no sul da Grécia. A cena revela bastante sobre o momento atual do casal, com pequenas farpas aqui e ali, mas tem diálogos fracos e parece forçada.

Com isso, "Antes da Meia-Noite" demora a engatar, o que só acontece do meio para o fim. Jesse e Celine vão a um hotel para uma noite sem as crianças, mas começam a brigar após uma ligação de Hank, filho de 14 anos do primeiro casamento de Jesse, que vive nos Estados Unidos com a mãe.

Sentindo-se culpado e distante ao deixar o menino no aeroporto na manhã daquele mesmo dia, Jesse passa a considerar a possibilidade de trocar Paris por Chicago. Celine, por sua vez, encara tal pensamento como determinação e dá início a uma pesada discussão de relação, cheia de acusações, xingamentos e palavras duras.

Está claro que aquela não é uma briga ocasional, mas a explosão de uma série de questões que acompanha o casal há anos: o peso das escolhas feitas no passado, os sonhos que cada um abandonou pelo outro, as mudanças trazidas pelo nascimento das crianças e a falta de tempo para os dois. Nos primeiros filmes, se entregar ao amor era a única saída possível. Hoje, eles sentem as consequências da decisão, que também causou mágoas e separações.

O fim das ilusões pesa tanto para Jesse e Celine quanto para o público, que se acostumou à "fofura" do casal e previu futuro diferente. Mas "Antes da Meia-Noite" tem o cuidado de não esquecer completamente o romantismo que uniu os dois personagens, tirando da realidade a beleza desta nova fase. "Essa é a vida real", diz Jesse. "Não é perfeita, mas é real."

Diálogos como este soam diferentes dos de "Antes do Pôr-do-Sol", quando Jesse falava de seu casamento infeliz e das decepções da vida adulta. As coisas continuam difíceis, mas, desta vez, ele está disposto a passar por elas para continuar com Celine. Ao que parece, não há maior demonstração de amor. Luísa Pécora

________________________________________________________________________________

Romance I Antes da Meia-Noite, estrelado por Ethan Hawke e Julie Delpy, ganha o seu primeiro clipe    (01/04/13)

Antes da Meia-Noite (Before Midnight), o terceiro filme do diretor Richard Linklater com Ethan HawkeJulie Delpy, ganhou o seu primeiro clipe:

Depois de se apaixonarem em Viena, em Antes do Amanhecer, e se reencontrarem em Paris em Antes do Pôr do Sol, o casal Jesse (Hawke) e Celine (Delpy) agora flana por Messínia, no sudoeste da Grécia. Linklater teria escolhido essas locações porque o filme está sendo bancado em parceria com a produtora grega Faliro House.

Antes da Meia-Noite estreia em 7 de junho no Brasil.

________________________________________________________________________________

Romance / Morning Glory, comédia estrelada por Harrison Ford, Rachel McAdams e Diane Keaton, ganhou o seu primeiro trailer (27/05/10)

Embora o chamariz seja a presença de Ford, a história joga o tradicional conflito carreira-versus-vida pessoal todo em cima de McAdams.

Roteirizado por Aline Brosh McKenna (O Diabo Veste Prada), o filme acompanha uma produtora de telejornal (McAdams) que recruta um icônico e difícil âncora (Ford) para reerguer o programa matinal da emissora, coapresentado por uma ex-rainha de concurso de beleza (Keaton). Patrick Wilson e Jeff Goldblum também estão no elenco. A direção é de Roger Michell (Um Lugar chamado Notting Hill, Vênus). O filme estreia em 12 de novembro nos EUA e em fevereiro de 2011 no Brasil.

Comentar

Você precisa ser um membro de universomovie para adicionar comentários!

Entrar em universomovie

Badge

Carregando...

Fashion Films

models.com

The Great Escape

PorterTomCraig1

Tom Craig takes Angels Lindvall to Marrakech in the pages of Porter Magazine More...

Vídeos

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

We are so Droeë

Spécial Beauté Toutes Des Vip

Publication: Grazia France April 2014 Model: Emily Didonato Photographer: James Macari Fashion Editor: Ana-Li Mraovitch Hair: Andre Gunn Make-up: Christopher Ardoff

fashion editorials.com

Editorial Exclusive : Veronika V(Wilhelmina LA) by Ted Emmons for FE!

Photographer: Ted Emmons @ 7 Artist Management  Stylist: Rafael Linares @ One Represents  Stylist Assistant: Frida Lofgren Manicurist: Karen Guiterrez @ Nailing Hollywood Mua: Brittany Meredith Hair: Sal Salcedo Model: Veronika V. @ Wilhelmina  

Geral Cinema

Academia de Hollywood anuncia data da cerimônia do Oscar 2015

A Academia de Hollywood anunciou nesta quinta-feira a data oficil da 87ª edição dos prestigiados prêmios Oscar, que serão entregues no dia 22 de fevereiro de 2015 em cerimônia que será realizada no teatro Dolby de Los Angeles....

Fashion Spoiler

M.Rodarte - Outono/Inverno 2014


Camila Mingori, da agência WAY, em fotos de Marcio Rodrigues, vídeo de Paulo Raic e Fabio Lamounier, styling de Mariana Sucupira e make&hair de Ronnie Peterson, na campanha de Inverno 2014 da grife M.Rodarte.


© 2014   Criado por universomovie.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço