Pop & Arte l Artista plástico inglês Patrick Thomas pela primeira vez no Brasil (30/08/14)

Lays Tavares

"In Situ", mais uma exposição no espaço Plataforma.

A partir da próxima segunda-feira, 01.09, o espaço expositivo PLATAFORMA exibe sua 3ª exposição intitulada “In Situ” (feito no local).

A mostra traz pela primeira vez ao Brasil o trabalho do artista inglês Patrick Thomas, que já exibiu obras em exposições individuais e coletivas em Nova York, Londres, Barcelona, Istambul, Milão e Tóquio.

O projeto propõe Thomas durante uma residência artística na Plataforma, onde produz as obras que serão expostas.

Feitas em serigrafia trabalhando a imagem do coração junto a alvos, as obras terão interferências feitas durante o período de residência na Plataforma.

Em paralelo, é lançada também a terceira edição do Manipresto, compilado de pesquisas de um network de pensadores de arte, design e arquitetura, publicação criada por Jarouche com a equipe do Estúdio 20.87 editada pela publisher da L'Officiel Brasil, Erika Palomino.

“In Situ” fica aberto ao público de 01 a 27 de setembro, na Plataforma 91, centro de São Paulo.

**

Pop & Arte  l  O mundo da moda em colagens inusitadas de Kalen Hollomon    (22/08/14)

L'Officiel

Já imaginou ver a Cara Delevingne na praça de alimentação de um shopping?

Buscando explorar a percepção humana e sua diferenciação do mundo real e o mundo retratado pela mídia, Kalen Hollomon cria foto colagens bem humoradas.

Ele segura recortes de fotos ou páginas de revistas em frente de cenas ordinárias do dia a dia montando imagens com irreverentes justaposições _Cara Delevingne numa praça de alimentação em frente ao Mc Donald’s, ou sapatos Céline num policial americano. 

photo 2

Estas combinações inusitadas exploram comércio, moda, identidade de gênero e tabus dentro de momentos banais da nossa rotina.

“Estou sempre preocupada com o que há por trás das aparências”, diz Hollomon.

photo 3

21

Pra ver mais, segue o Instagram.

 **

Pop & Arte  l  Após gafe, elenco de Downton Abbey posa com garrafas plásticas    (18/08/14)

Em prol de uma ONG internacional que leva água a comunidades pobres, atores brincam com discussão sobre objeto moderno em foto promocional de época.

Da BBC

Brincadeira com aparição de garrafa plástica foi usada para apoiar ONG internacional (Foto: ITV)

Após a gafe de deixar aparente uma garrafa plástica de água em uma imagem promocional, o elenco da série de TV britânica Downton Abbey posou para uma foto bem-humorada com garrafas semelhantes em prol de uma instituição de caridade.

O drama de época, que se passa no início do século 20, chamou a atenção da mídia e das redes sociais quando internautas observaram a garrafa plástica em uma foto promocional da quinta temporada.

O canal ITV, que produz a série, decidiu aproveitar a atenção e divulgar a imagem do elenco em apoio à ONG britânica WaterAid, que trabalha para levar água potável às comunidades mais pobres do mundo.

"O elenco e a equipe técnica tiveram a ideia de usar uma parte desta atenção para um assunto relacionado à água que realmente importa", disse um comunicado do canal.

"Eles esperam que ao posar para esta foto, possam ajudar a amplificar o trabalho da ONG internacional WaterAid."

Sem garrafas nos episódios

Na foto original, a garrafa estava apoiada em uma prateleira sobre a lareira atrás dos atores Hugh Bonneville e Laura Carmichael, que apareciam como seus personagens Robert Crawley, o conde de Grantham, e sua filha Lady Edith.

Garrafas plásticas só passaram a ser populares na Grã-Bretanha nos anos 1960 - 36 anos depois dos acontecimentos da nova temporada de Downton Abbey.

Ao ser descoberto o erro, a imagem foi removida do Instagram e do site de imprensa da ITV, onde havia sido divulgada.

"A garrafa de água está em uma versão não editada de uma fotografia publicitária, mas garantimos que ela não aparecerá na série", disse um porta-voz do canal.

A diretora executiva da WaterAid, Barbara Frost, agradeceu ao elenco e aos produtores do programa pela foto.

"A notícia de que o elenco de Downton Abbey queria apoiar o trabalho da WaterAid trouxe um sorriso enorme para o meu rosto", disse.

"É fantástico que toda esta atenção a uma garrafa de água acabe beneficiando algumas das comunidades mais pobres do mundo através do acesso a água limpa e segura."

Garrafas se tornaram populares mais de 30 anos após acontecimentos da série (Foto: Dowtown Abbey PA)

**

Pop & Arte  l  Sangue azul: tudo o que você precisa saber sobre o filme 'Amantes Eternos'   (05/08/14)

Com Tilda Swinton no elenco e direção de Jim Jarmusch, 'Amantes Eternos' é o filme mais cool sobre vampiros desde 'Fome de Viver'

ComTilda Swinton no elenco e direção de Jim Jarmusch, Amantes Eternos é o filme mais cool sobre vampiros desde Fome de Viver (Foto: Divulgação)

Nada de crucifixos, caixões ou romances juvenis. Os vampiros de Amantes Eternos passam longe de estereótipos: usam jaqueta de couro, iPhones, gostam de rock e tomam picolés de sangue tipo O negativo. Não é de estranhar, já que são criação de Jim Jarmusch, ícone do cinema independente americano desde os anos 80.

Já se vai quase uma década desde que o diretor convidou Tilda Swinton para seu longa vampiresco. No ano passado, Amantes Eternos fez finalmente seu début no Festival de Cannes, onde concorreu à Palma de Ouro. Desde lá, percorreu festivais pelo mundo e tem estreia prevista no Brasil para agosto.

Amor milenar: Tilda Swinton e Tom Hiddleston vivem o casal de vampiros de Amantes Eternos (Foto: Divulgação)

No longa, Tilda interpreta Eve, uma vampira milenar que vive em Tânger (Marrocos). Quando percebe que Adam (Tom Hiddleston, o Scott Fitzgerald de Meia-Noite em Paris), com quem é casada há séculos (literalmente), anda mais deprimido que de costume por conta dos humanos, “que contaminam da água ao sangue”, pega um avião até Detroit, onde ele mora. O reencontro vai bem até a chegada da irmã mais nova de Eve, Ava (Mia Wasikowska). É que, enquanto o casal recorre a compras ilícitas de sangue em hospitais para se alimentar, a jovem Ava prefere obter seu estoque mordendo pescoços alheios – para os vampiros de Jarmusch, o líquido tem o efeito de uma droga.
Eve é apaixonada por literatura e faz uma mala cheia de clássicos para ir ao encontro do marido. Já Adam é um roqueiro, como manda a cartilha de Jarmusch.

Além de longas-metragens como Daunbailó, Ghost Dog e Flores Partidas, Jarmusch já dirigiu clipes para Talking Heads, Racounteurs, um documentário sobre Neil Young e convidou Tom Waits e Joe Strummer (The Clash) para papéis de destaque em suas produções. Para a reunião de curtas Sobre Cafés e Cigarros, convocou Iggy Pop e os White Stripes.
Os roqueiros também são seus fãs. David Byrne e Patti Smith estiveram na pré-estreia do filme em Nova York promovida pela W Magazine, que comparou Tilda e Tom a David Bowie e Catherine Deneuve, o casal de protagonistas do cult Fome de Viver (1983),de Tony Scott. Os vampiros nunca foram tão cool. [Bruna Bittencourt]  

**

Pop & Arte  l  Manuscrito de "Like A Rolling Stone", de Bob Dylan, é vendido por mais de US$2 mi   (24/06/14)

Patricia Reaney

Da Reuters, em Nova York

O manuscrito da letra de "Like A Rolling Stone", de Bob Dylan, foi vendido por pouco mais de US$ 2 milhões nesta terça-feira (24) em um leilão de curiosidades do mundo do rock and roll da casa Sotheby's, que incluiu itens dos Beatles, dos Rolling Stones e de Elvis Presley.

O valor do texto anotado da canção, considerada uma das mais influentes no pós-guerra, faz dele o mais caro de uma composição de rock vendido em um leilão.

A cifra quebrou o recorde anterior de 2010, quando o manuscrito de "A Day in the Life", de John Lennon, a última faixa do álbum "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band", de 1967, foi arrematado por US$ 1,2 milhão, de acordo com a Sotheby's.

O manuscrito de "A Hard Rain's A-Gonna Fall", também de Dylan, obteve US$ 485 mil na primeira venda da Sotheby's em mais de uma década dedicada à história da música.

Os 150 lotes do leilão, cujos preços variaram de estimados US$ 200 a US$ 300 aos mais de US$ 2 milhões pagos pela composição à mão de Dylan, vieram de colecionadores e pessoas que trabalharam na indústria da música.

**

Pop & Arte  l  Bjork ganha retrospectiva da carreira no Museu de Arte Moderna em Nova York   (18/04/14)

Mostra usa filmes, sons, fotos, instrumentos, roupas e performances para narrar a história da irlandesa

Os fãs da cantora Bjork ganharam um  belo motivo para visitar a cidade de Nova York, nos Estados Unidos, em 2015. Isso porque a cantora vai ganhar uma retrospectiva multimídia no Museu de Arte Moderna (MoMA) com filmes, sons, fotos, instrumentos, roupas e performances devem contar a história da carreira de mais de 20 anos da irlandesa.
Segundo a assessoria do museu, a mostra terá colaborações da cantora com cineastas, fotógrafos e designers de moda, que irão compor uma espécie de narrativa criada pelo artista Klaus Biesenbach, curador do museu.
A visitação deve ser aberta de 7 de março a 7 de junho de 2015. [siterg]

**

Pop & Arte  l  BMW Jazz Festival anuncia atrações de 2014   (07/04/14)

Além de São Paulo e Rio, o evento chega pela primeira vez a Belo Horizonte

O cantor americano Bobby McFerrin se apresenta no BMW Jazz Festival Divulgação

RIO - O BMW Jazz Festival anunciou, nesta segunda-feira, as atrações do  evento que acontece de 29 a 31 de maio, em São Paulo (HSBC Brasil), de 30 de  maio a 01 de junho, no Rio (Vivo Rio), e dia 3 de junho, pela primeira vez, em  Belo Horizonte (Cine Theatro Brasil). Estão confirmados o cantor Bobby McFerrin,  o pianista Ahmad Jamal, o contrabaixista Dave Holland, o saxofonista Kenny  Garrett, o trompetista Chris Botti, além do grupo Snarky Puppy e da atração  pernambucana SpokFrevo Orquestra.

Com mais de 20 milhões de discos vendidos, Bobby McFerrin traz a turnê de seu  último álbum, “Spirityouall”, uma homenagem ao seu pai, o músico Robert  McFerrin. Aos 85 anos, Ahmad Jamal traz ao Brasil o trabalho “Saturday morning”  (2013), com status de um dos músicos favoritos de Miles Davis. Já Dave Holland,  que tocou ao lado de Davis, apresenta o elogiado disco de fusion e jazz  progressivo “Prism” (2013).

As informações sobre preços de ingressos e início das vendas ainda não foram  divulgadas.

**

Pop & Arte  l  Vogue indica: o que vai acontecer de melhor nas artes, música, literatura e cinema em 2014    (25/01/14)

No Brasil e no mundo, uma agenda completa com os happenings culturais mais relevantes, de janeiro a dezembro de 2014

David Bowie posa ao lado de Twiggy para a capa de 'Pin Ups' (1973), o novo álbum de Sharon Jones e frame de 'Ninfomaníaca', de Lars Von Trier (Fotos: Corbis/Latinstock, Divulgação, Getty Images, Mondrian Holtzman Trust C/O HCR International, Courtesy of World of Lygia Clark Cultural Association, Thomas Griesel, Laif/Glow Images, Latin Stock, Márcio Madeira, Cortesia Fondation Cartier Pour L'Art Conteporain e Divulgação)

 

JANEIRO 

Depois do sucesso no V&A, em Londres, a exposição David Bowie desembarca no MIS de São Paulo, a partir do dia 31. São mais de 300 itens do camaleão do rock, entre figurinos icônicos, como o terno azul-claro do clipe “Life on Mars”. Na primeira quinzena do mês, chega às telas o longa de Lars von Trier Ninfomaníaca, no qual Charlotte Gainsbourg interpreta uma mulher de 50 anos que decide contar suas experiências sexuais. Na música, Sharon Jones lança Give the People What They Want, novo disco de inéditas com a banda Dap-Kings, que compartilhou com Amy Winehouse. Também estreia em janeiro a terceira temporada de Girls, pela HBO, e a série da Globo Amores Roubados, sobre o poder avassalador da paixão, com direção de José Luiz Villamarim, e Isis Valverde e Cauã Reymond como protagonistas.

 (Foto: Divulgação)

 

FEVEREIRO

O Planeta Terra vibrou ao som de Beck em novembro passado. agora, ele volta aos holofotes com seu novo disco de inéditas, Morning Phrase. Nos cinemas, dois destaques entram em cartaz este mês: Ela, de spike Jonze, com Joaquin Phoenix no papel deumescritor solitário que se apaixona porumabela voz feminina de computador, e Grace: A Princesa de Mônaco, a cinebiografia da atriz, vivida por Nicole Kidman. Na TV, a premiada série original do Netflix, House of Cards, com Kevin spacey na pele de um político ambicioso que almeja um alto cargo público, estreia sua segunda temporada. Em são Paulo, o artista britânico Anthony McCall, famoso pelas megainstalações onde projeta luz e fumaça, fará mostra solo na luciana Brito galeria.

 (Foto: Divulgação) 

 

MARÇO

Dries Van Noten terá a primeira exposição dedicada a sua carreira em Paris, de março a outubro, no Musée des Arts Décoratifs. Serão fotos, vídeos e looks icônicos do estilista belga, o mais bem-sucedido entre os seis nomes fortes da moda originada na Antuérpia nos anos 90. Ainda em Paris, Vincent Van Gogh terá suas pinturas mais conhecidas expostas até junho no Musée d’Orsay. A arte desembarca no Brasil no formato hiper-realista pelas mãos do australiano Ron Mueck, que exibirá suas esculturas no MAM carioca a partir do dia 19.

 (Foto: Divulgação) 

 

ABRIL

Aos 28 anos, a neozelandesa Eleanor Catton tornou-se a mais jovem escritora a ganhar o man Booker Price com seu The Luminaries, que será lançado este mês no Brasil pela globo livros. O thriller conta a história deum homem que fez fortuna com uma mina de ouro. Chega também às livrarias um collector’s book do cantor Roberto Carlos pela editora toriba. Marcada para os dias 5 e 6, a terceira edição brasileira do Lollapalooza terá como destaques Vampire Weekend e Jake Bugg. Já a temporada de artes exibirá mostra de Adriana Varejão, na Fortes Vilaça.

 (Foto: Divulgação) 

 

MAIO

O minimalista Richard Serra, de 74 anos, desenvolveu uma série de desenhos inéditos para a exposição em sua homenagem no Instituto Moreira Salles do Rio. Na contramão,a brasileira Lygia Clark ganha sua primeira retrospectiva no MoMA, com mais de 300 trabalhos produzidos entre os anos 50 e 80. Chega às livrarias a biografia da roqueira Courtney Love (Intrínseca), na qual, além do casamento com Kurt Cobain,conta outros de seus casos amorosos, incluindo seu noivado com o ator Edward Norton. Fique de olho também no novo romance de Chico Buarque e do escritor angolano valter hugo mãe.

 (Foto: Divulgação) 

 

JUNHO

As tendências da música eletrônica poderão ser ouvidas entre os dias 12 e 14 no festival Sónar, em Barcelona – entre os confirmados estão o DJ de techno richie Hawtin.em homenagem aos 70 anos da morte de Mondrian, a tate liverpool exibirá, de junho a outubro, uma série de suas obras mais emblemáticas. Para a cabeceira, Finn’s Hotel, livro inédito de um dos maiores autores de todos os tempos, James Joyce, chega ao Brasil pela Companhia das letras.

 (Foto: ) 

 

JULHO

A década de ouro do pós-guerra,em que as mulheres voltaram a usar produções glamorosas e femininas, será tema da exposição Les Années 50, no museu Galliera,em Paris, de julho a novembro.Outro ponto alto do mês é a retrospectiva que o MAM paulistano prepara sobre o pai da arte cinética brasileira, Abraham Palatnik. Para celebrar o centenário do escritor beat William S.Burroughs, a Companhia das Letras lança o romance Queer, uma continuação de Junkie,livro que conta a história de um jovem que vive as loucuras da libertação sexual.

 (Foto: Divulgação) 

 

AGOSTO

A Flip comemora sua 12a edição em agosto e já anunciou seu homenageado: o humorista, cartunista e dramaturgo millôr Fernandes (morto em 2012), primeiro autor contemporâneo a tornar-se tema da Festa literária de Paraty. Já no fimdo mês, a dupla de artistas plásticos osgemeos prepara uma nova exposição no galpão Fortes Vilaça, em são Paulo, com esculturas e pinturas inéditas . Não deixe de assistir Carol, novo longa-metragem de Todd Haynes, com rooney mara e Cate Blanchet, baseado no best-seller da americana expert em thrillers Patricia Highsmith.

 (Foto: Divulgação) 

 

SETEMBRO

O mês começa com a exposição da brasileira Rivane Neuenschwander, que ocupará o MAM de São Paulo com uma seleção de obras curadas por Adriano Pedrosa. De 10 a 14, acontece a quarta edição da ArtRio e, dias depois, a inauguração de dois novos pavilhões em Inhotim. O primeiro dedicado à brasileira Claudia Andujar, conhecida por suas fotografias de índios ianomâmis, e o segundo,ao dinamarquês-islandês Olafur Eliasson, mestre em instalações com jogos de luz. Para fechar o mês, o V&A apresenta uma longa retrospectiva em homenagem ao fotógrafo Horst P.Horst, autor de inúmeras capas da Vogue americana nas décadas de 30 e 40 e de importantes imagens surrealistas da época.

 (Foto: Divulgação) 

 

OUTUBRO

Famosa pelas esculturas arredondadas e coloridas, as Nanas (a Pinacoteca de são Paulo tem um belo exemplar), a franco-americana Niki de Saint Phalle terá uma imponente retrospectiva de seu legado no Grand Palais, em Paris, até janeiro de 2015. Em outubro passado, foi lançada uma biografia de Saint Phalle, La Révolte à L’oeuvre, que inspirou a exposição e conta o período em que a artista foi modelo, descreve seus amores, o suicídio dos irmãos e sua trajetória artística. O longa nacional A Comédia Divina, baseado no conto Igreja do Diabo, de Machado de Assis, chega às telas com mariana Ximenes e Caco Ciocler como protagonistas. a capital britânica será invadida por galerias, colecionadores e curiosos durante a Frieze, de 16 e 19.

 (Foto: Divulgação) 

 

NOVEMBRO 

O Centre Pompidou, em Paris, homenageia um dos grandes artistas pop da atualidade, o americano Jeff Koons. Nos cinemas, acontece a estreia de Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1, baseado no último livro da trilogia de Suzanne Collins. Entre os atores confirmados pela franquia estão Julianne Moore, Jennifer Lawrence e Philip Seymour Hoffman. A playlist do mês ficará a cargo do festival Planeta Terra, em São Paulo.

 (Foto: Divulgação) 

 

DEZEMBRO

Com recorde de vendas em sua última edição (foram mais de US$ 3 bilhões em pinturas, esculturas, fotografias e videoinstalações), a Art Basel Miami Beach já confirmou suas datas para 2014: de 4 a 7 de dezembro. a feira promete agitar a cidade, com festas e uma programação paralela intensa, como a Miami Design, além de eventos de moda que vão atrair mais uma vez fashionistas do mundo todo. Estreia a última parte da trilogia de Peter Jackson, O Hobbit – Lá e de Volta Outra Vez, com Elijah Wood e Cate Blanchet. E a maestra Marin Alsop encerra a temporada da osesp com uma homenagem a Villa-lobos, apresentando as Bachianas Brasileiras n°2, entre os dias 11 e 13, na sala São Paulo.

(ANA CAROLINA RALSTON)

**

Pop & Arte  l  O laboratório performático de Marina Abramovic no Brasil    (19/01/14)

Marcia Abos

SÃO PAULO - A mais conhecida artista dedicada à performance, a sérvia Marina  Abramovic, de 67 anos, apresentará trabalhos inéditos em março de 2015 em São  Paulo, no Sesc Pompeia e no Sesc Belenzinho, numa grande retrospectiva de sua  obra. Na mesma época, fará a estreia mundial de um documentário realizado  durantes suas viagens de busca espiritual pelo país, dirigido por Marco Del Fiol  e Cauê Ito e intitulado “The current” (A corrente, em tradução livre).

A artista radicada em Nova York esteve na capital paulista  entre quinta-feira e sábado para escolher os locais onde irá apresentar sua  obra. Também se reuniu com performers brasileiros, pois planeja ser a curadora  de artistas locais cujas obras serão exibidas no mesmo período. Ao que parece,  março de 2015 será o mês da performance em São Paulo, com a presença e o comando  de sua mais célebre representante.

— A intervenção que estou planejando fazer em março de 2015  aqui no Brasil é revolucionária. Não é apenas mais uma exposição. Já fiz tantas.  Não estou interessada em fazer algo normal e dentro das expectativas. É por isso  também que não escolhi fazê-la em algum museu. Preferi o Sesc, porque vi que o  conceito desta organização tem muito a ver com o instituto que tento criar em  Hudson, no estado de Nova York. Meu instituto é sobre como criar a combinação  entre arte, ciência e novas tecnologias, assim como espiritualidade. Criar uma  plataforma na qual o público possa experimentar coisas de forma profunda — disse  a artista em entrevista ao GLOBO no prédio da administração central do  Sesc.

Macacões brancos para os visitantes

Marina divide a exposição no Brasil em duas partes, em dois espaços  diferentes, cada uma montada num dos espaços expositivos. Segundo a artista, os  locais atendem ao conceito complexo que está criando.

— Minha primeira impressão do Sesc Pompéia é de uma fábrica de energia  humana. Vê-se um público de todas as idades, categorias, religiões ou raças. Há  uma circulação constante. O lugar corresponde à minha ideia de performance,  porque performance é sobre o imaterial, é sobre experiência — afirma. — Quero  criar lá o que chamo de método Abramovic, um sistema de exercícios, de  participação do público no trabalho. É como um laboratório. Você entra no Sesc  Pompeia e será instruído a tirar suas roupas, o que criará uma espécie de  democracia entre as pessoas, porque todos irão vestir macacões brancos de  laboratório. Os visitantes deixam de ser observadores para se tornarem  experimentadores. Depois disso, as pessoas irão ao guarda-volumes, deixarão nos  armários celulares, iPods, computadores, dinheiro, tudo. Só depois disse poderão  experimentar o trabalho, participar dele. Além disso, planejo fazer uma  curadoria de jovens performers brasileiros. Quero mostrar aos brasileiros o que  penso sobre performance.

Marina conta que vai comissionar trabalhos inéditos da mostra  de performance brasileira com sua curadoria também no Sesc Pompeia, ao lado de  uma apresentação dos aspectos históricos da performance, com “uma espécie de  biblioteca multimídia para pesquisas”. No Sesc Belenzinho, serão apresentadas  suas obras de 1968 aos dias atuais, incluindo algumas concebidas no Brasil.  Desde 1989, Marina vem com frequência ao Brasil. Conta ter criado muitos  trabalhos aqui, apesar de eles sempre terem sempre sido apresentados fora. Num  primeiro momento, seu foco era pesquisar a energia de minerais. Atualmente, sua  busca é por pessoas.

— Fui aos lugares mais remotos, lugares aos quais você  provavelmente nunca foi. No ano passado, vim ao Brasil fazer o documentário. Foi  muito importante para mim. Fiz uma pesquisa de dois anos buscando lugares que  tenham poderes energéticos, tais como cacheiras, formações rochosas, montanhas.  E também pessoas que possuem poderes, tais como João de Deus, rituais indígenas,  ayahuasca. Quis aprender mais sobre energia e espíritos e como poderia  incorporar essas descobertas em meu próprio trabalho. Não acredito que tantos  artistas europeus ou estrangeiros tenham feitos tantos trabalhos no Brasil  quanto eu. Agora é a hora do público brasileiro vê-los.

Desejo de diálogo direto

Por toda sua vida, Marina esteve em busca de espiritualidade. Viveu com  aborígenes na Austrália Central durante um ano, trabalhou durante mais de 25  anos com monges no Tibet, fez retiros na Índia.

— Agora meu foco está no Brasil. A partir de todas essas culturas diferentes,  tenho aprendido a trabalhar comigo mesma. Performance é energia, não é pendurar  um quadro na parede. E energia é invisível, é imaterial. Aprendo com tudo que  possa aprender. E há grandes possibilidades aqui, vindas de diferentes  fontes.

Nessa busca incessante pela transcendência, ela afirma que sua fé está na  arte.

— Não sou religiosa, não gosto de instituições. Mas acredito nas forças  energéticas da natureza e que elas se manifestam em todos os lugares. Também  acredito em realidades paralelas. Acredito profundamente em espiritualidade.  Acredito que todo artista tem um aspecto espiritual em seu trabalho. Artistas  são transmissores de energia e o público precisa estar aberto para que essa  força chegue a ele.

A artista conta que não passa seu tempo no computador e acha que os jovens,  por sua vez, acabam tendo contato emocional limitado porque a comunicação  virtual é muito intensa. Ela avalia com ceticismo o atual estado da  sociedade.

— Acredito que a estrutura de nossa sociedade passa por uma grande crise em  diversos lugares do mundo. Tem a ver com consumismo, vazio, a perda do centro  espiritual das pessoas. Há uma enorme necessidade por algum tipo de satisfação,  especialmente entre os mais jovens. O desenvolvimento da tecnologia é  desastroso, porque nos perdemos fazendo todo tipo de coisa, Twitter, Facebook,  Instagram.

Diante desse atual estado de coisas, Marina não acredita que a arte possa  transformar o mundo. Mas crê em seu poder de alterar consciência. Ela busca  apresentar sua arte a um público mais vasto do que os usuais frequentadores de  museus e galerias.

— Se o trabalho de um artista for capaz de influenciar apenas cinco pessoas  em toda sua vida, já é um grande passo. Quero trabalhar com as pessoas, e não  com a elite cultural. Museus são lugares onde essa elite cultural vai, mas as  pessoas normais não vão. Quero falar com quem trabalha nas ruas, com quem joga  futebol. É esse o tipo de público que quero atingir, ver como posso transformar  suas vidas. A performance tem esse frescor e a possibilidade de um diálogo  direto que outras formas de arte não tem. É um diálogo de energia. Se é boa  performance, pode realmente mudar sua vida. Se é ruim, vai apenas irritá-lo —  conclui, entre risos. [oglobo]

**

Pop & Arte  l  Exposição ‘Obsessão infinita’,  de Yayoi Kusama, registra maior público do CCBB em cinco anos    (15/01/14)

Yayoi Kusama, artista plástica que assina Obsessão Infinita, a exposição das  bolinhas, no CCBB/ Agência O Globo

A exposição “Obsessão infinita”, de Yayoi Kusama, já é a mostra de maior  público do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) nos últimos cinco anos. Até  domingo passado, a mostra havia recebido 650 mil visitantes, superando a marca  de “O mundo mágico de Escher”, que em 2011 foi vista por 573.691 pessoas. A expo  de Aleijadinho, em 2007, continua com o recorde geral do centro cultural:  969.271. Obsessão chega em sua reta final com uma média diária de dez mil  visitantes. Se a marca se mantiver até a próxima segunda, último dia da  exposição no Rio, poderá bater o número de 700 mil visitantes.

A primeira expo individual da artista japonesa no Brasil, famosa por suas  criações com bolinhas, tem produção do Instituto Tomie Ohtake e curadoria de  Philip Larratt-Smith. E oferece um panorama do trabalho realizado entre 1949 e  2012. São cem obras entre pinturas originais, trabalhos em papel, esculturas,  vídeos e instalações.

**

Pop & Arte  l  Artista Jason de Graaf cria incríveis reflexos hiperrealistas   (07/01/14)

O observador desavisado vai achar que são apenas de fotografias registrando reflexo em superfícies esféricas - bolas de metal, taças de cristal, lâmpadas, entre outras.
Pois saiba que os reflexos não são "reais". Eles foram pintados nos objetos por Jason de Graaf, artista radicado em Vankleek Hill (Canadá).

"Minhas pinturas são sobre encenar uma realidade alternativa, uma ilusão de verossimilhança sobre a superfície pintada. Tento usar os objetos como veículos para me expressar. Uso objetos que têm algum significado para mim ou artefatos da minha vida", explicou o artista em seu site. [pagenotfound]

Fotos: Divulgação/Jason de Graaf

**

Pop & Arte  l  Nirvana: Rock and Roll Hall of Fame   (17/12/13)

O Rock and Roll Hall of Fame divulgou nesta terça-feira (17.12), sua lista de novos indicados para a condecoração. E tem uma turma boa prestes a ganhar a homenagem. Nirvana, Kiss, Peter Gabriel, Cart Stevens, Linda Ronstadt e Hall and Oates serão os seis condecorados, que receberão o título no próximo dia 10 de abril em Nova York.

Nirvana: Rock and Roll Hall of Fame no primeiro ano elegível...

Destaque dentre os indicados, o Nirvana receberá o título em seu primeiro ano elegível. É que a premiação prevê um intervalo de 25 anos do lançamento do primeiro álbum de uma banda para considerá-la apta à honraria.

Vale lembrar que os seis condecorados foram votados dentre uma lista de 16 candidatos, em uma eleição com 700 votantes da Rock and Roll Hall of Fame Foundation.

A The E Street Band, que toca com Bruce Springsteen, levará o prêmio por Excelência Musical, e os empresários Brian Epstein e Andrew Loog Oldham (nomes por trás dos Beatles e dos Rolling Stones, respectivamente) levarão as homenagens Ahmet Ertegun Awards pelo conjunto de sua obra.

**

Pop & Arte  l  Estação de trem inglesa ganhará placa em homenagem aos Rolling Stones    (15/12/13)

Uma estação de trem em Kent, na Inglaterra, onde Mick Jagger e Keith Richards, membros fundadores da banda de rock britânica Rolling Stones, se reencontraram já adolescentes, ganhará uma placa comemorativa.

Jagger e Richards haviam frequentado a mesma escola primária, a Wentworth Primary School, na região, mas perderam o contato. Foi na estação que os dois voltaram a se ver anos depois e tiveram, então, a ideia de montar uma banda de música.

Jeremy Kite, líder do conselho de Darford, afirmou que a cidade está "orgulhosa" de ter promovido o encontro entre Jagger e Richards.

Destino selado

Os dois músicos se encontraram na plataforma 2 – Richard estava a caminho do Sidcup Art College, munido de sua guitarra elétrica Höfner, enquanto Jagger se dirigia a London School of Economics carregando alguns premiados discos de blues.

"O destino estava selado e eles começaram a conversar sobre como poderiam tocar juntos", disse Kite. "A partir daquele momento, eles avançaram com o projeto e recrutaram Brian Jones. O resto é história", acrescentou.

O Rolling Stones foi criado em 1962 e se tornou uma das bandas de rock mais bem-sucedidas, influentes e duradouras na história da música.  BBC

___________________________________________________________________________________

Pop & Arte  l  Artista holandesa Katy Strange publica fotos de todos que passaram pela sua cama em 2 anos    (30/11/13)

Katy Strange, de 24 anos, resolveu apresentar como trabalho de graduação na Academia de Belas-Artes de Maastricht (Holanda), onde estuda, um projeto ousado. Chamado de "789", ele contempla fotos de todas as pessoas com quem Katy dormiu durante esse número de dias - dois anos.

Os personagens retratados incluem amigos e amigas - alguns deles seminus. Apenas com uma das pessoas envolvidas no projeto Katy disse ter tido relação sexual, de acordo com reportagem do "Daily Mail".

"O '789' é sobre como viver sendo um estudante", disse ela. "Nos quatro anos na escola de arte, o meu trabalho era focado em mim mesma. Quatro anos fazendo autorretratos. Mas então percebi o grande papel que os meus amigos tinham neste período. Essas pessoas são aquelas que me fizeram ser o que sou agora", acrescentou a  holandesa.

Katy chamou os amigos e eles recriaram as situações que viveram juntos. [BlogPageNFound]

Divulgação/Katy Strange

_______________________________________________________________________________

Pop & Arte  l  Madonna divulga segundo trailer de projeto secreto com Steven Klein   (30/07/13)

Madonna  divulgou mais um trailer do #SecretProject, parceria com o fotógrafo estadunidense Steven Klein. Veja os dois vídeos já liberados:

Klein, que é especializado em fotografia de moda, já trabalhou com a Rainha do Pop em três turnês. Ele era responsável por alguns vídeos ao fundo do palco. Também foi o diretor do clipe "Alejandro", de Lady Gaga. Ainda não se sabe o que será o tal #SecretProject.

_______________________________________________________________________________

Pop & Arte  l  A história visual do Wolverine    (27/07/13)

"Wolverine - Imortal", que estreou nesta sexta-feira, marca a sexta vez em que o ator australiano Hugh Jackman vive nas telas um dos personagens mais marcantes dos quadrinhos.

A primeira aparição de Wolverine, famoso pelas garras e o poder de regeneração, aconteceu em 1974, na edição 180 da revista "O Incrível Hulk".

No ano seguinte o personagem, também conhecido como Logan, foi integrado à nova formação dos X-Men. De lá para cá, transformou-se em sucesso nos quadrinhos e no cinema.

Veja abaixo a história visual do Wolverine:

_______________________________________________________________________________

Pop & Arte  l Novo livro de Dan Brown é "pesado" mas vai agradar fãs, dizem críticos   (15/05/13)

As primeiras resenhas de "Inferno", quarto livro da série de Dan Brown iniciada com "O Código Da Vinci", descrevem uma obra "pesada", mas que deverá ser avidamente devorada pelos fãs.

Os críticos disseram que os mistérios sombrios, os códigos enigmáticos e o turismo histórico presentes em "Inferno" irão deleitar os devotos do romancista norte-americano, mas observaram que alguns trechos parecem mais compatíveis com um roteiro de Hollywood do que com um romance.       

O personagem Robert Langdon, professor de Harvard especialista em símbolos, agora segue a trilha do poeta Dante Alighieri por Florença, Veneza e Istambul, numa corrida contra o tempo para salvar o mundo de uma praga artificial.

Janet Maslin disse no The New York Times que o romance tem um começo acidentado, que parece prenunciar problemas para a franquia de Brown, mas que depois se recupera.

"Para grande alívio de quem gosta dele, Brown acaba não só deixando uma trilha de migalhas das pistas sobre Dante (este, afinal de contas, é ‘Inferno'), como também jogando jogos com o tempo, os gêneros, a identidade, atrações turísticas famosas e a medicina futurista", escreveu.

No Independent, Boyd Tonkin disse que o romance é "pesado, mas inteligente". Ele observa que a trama é uma das mais batidas da ficção -- o cientista maluco que ameaça o mundo com uma máquina apocalíptica.       

"Será que Brown consegue reformular esses dispositivos excessivamente familiares de surto, pestilência e contágio de modo a transformá-lo num organismo viável? Embora pesadamente, ele consegue."

Já A.N. Wilson, do Financial Times, viu no livro uma "trama absurda", carregada de "jargão científico" e excessivamente dependente da fama dos lugares turísticos por onde Langdon passa.

"O professor e seu doutor passam correndo pela ‘famosa catedral de Florença', pelo ‘famoso Studiolo' de Vasari, sem esquecer da ‘mundialmente famosa Galeria degli Uffizi'", escreveu o crítico. "'Inferno' deve ser lido menos como romance do que como 'tratamento' para um filme de suspense."

Nos EUA, Brian Truitt, do USA Today, deu ao livro 3,5 de 4 estrelas possíveis, e o descreveu como "leitura infernalmente boa".     

"O Código Da Vinci", de 2003, passou mais de um ano no topo da lista de best-sellers do The New York Times, e virou filme estrelado por Tom Hanks. Livrarias disseram que, a julgar pelas encomendas pré-lançamento, "Inferno" deverá ser o livro mais vendido do ano. Reuters

______________________________________________________________________________

Pop & Arte  l Museu dedicado à banda Abba é inaugurado na Suécia   (06/05/13)

As músicas cativantes, figurinos extravagantes e botas cintilantes que fizeram do Abba um fenômeno global são destaques em um novo museu dedicado à banda, inaugurado esta semana em Estocolmo, na Suécia.

Os organizadores esperam atrair centenas de milhares de pessoas anualmente em uma viagem nostálgica pop.

Os visitantes vão poder cantar sucessos do Abba ao lado de hologramas em tamanho natural do grupo - e, em seguida, transferir as imagens pela Internet.

"Eu estaria interessado, mesmo que eu odiasse o Abba, em saber como a banda realmente aconteceu e porquê", disse o ex-membro do ABBA Bjorn Ulvaeus nesta segunda-feira no museu.

Ulvaeus (foto acima), agora um avô de 68 anos, rejeitou sugestões de que a abertura poderia coincidir com uma reunião da banda. Uma casa de apostas britânica estava fazendo apostas em abril sobre um retorno após a cantora Agnetha Faltskog insinuar um possível reencontro.

"Como todos sabem, nós nunca nos reuniumos", disse Ulvaeus. "Então, eu aproveito esta oportunidade para dizer agora que também nunca iremos".

O Abba, formado por Ulvaeus, Faltskog, Anni-Frid Lyngstad e Benny Andersson, saltou para fama quando ganhou o concurso Eurovision em 1974 com a canção "Waterloo".

Para reviver os dias de glória da banda, o museu oferece uma pista de dança com discos dos anos 1970 para os vistantes praticarem seus passos, gravações para a escolha de um "quinto" membro da banda e a oportunidade de sentar-se no interior do helicóptero que é destaque na capa do álbum "Arrival".

As paredes do museu estão repletas de recortes de jornais, cartas de fãs e vídeos. Os visitantes podem olhar os bastidores de um camarim, admirar discos de ouro e platina do Abba e ver uma reconstituição do estúdio onde a banda compôs canções.

O Abba se tornou um dos maiores produtos de exportação da Suécia, com canções de sucesso como "Dancing Queen" e "Gimme Gimme Gimme! (A Man After Midnight)".

O grupo vendeu cerca de 370 milhões de álbuns no total e faz parte de uma tradição pop da Suécia, que inclui Roxette, Ace of Base, Europa e Kent.

_______________________________________________________________________________

Pop & Arte  l  Enfim, a biografia de Frank Sinatra     (25/04/13)

Três anos após seu lançamento nos Estados Unidos, chega às livrarias este domingo a biografia Frank, A Voz, de James Kaplan (Companhia das Letras, R$ 69), uma viagem de mais de 700 páginas pela primeira fase da vida do maior crooner que já passou pelo planeta. O livro vai do nascimento do artista, em Hoboken, New Jersey, até 1954, quando Sinatra ganha o Oscar por A Um Passo da Eternidade. Kaplan falou ao Estado ontem, por telefone, sobre a biografia e sua sequência.

Já há um título para o segundo livro das memórias de Sinatra?

JAMES KAPLAN - Sim. Ainda não está pronto, mas vai se chamar Sinatra - The Charmain of the Board. É um apelido que lhe foi dado por um radialista norte-americano chamado William B. Williams, que foi um importante broadcaster nos Estados Unidos nos anos 1950 e 1960 e que era grande apreciador da arte de Sinatra. Ele o apelidou assim por causa de sua posição no mundo da música e também por causa da ambição de Sinatra de controlar cada etapa de sua carreira profissional.

Nesse primeiro livro, Frank - A Voz, seu editor disse que o resultado fazia o leitor sentir o que era realmente ser Frank Sinatra. Foi essa sua intenção ou foi natural?

JAMES KAPLAN - Bem, eu queria... Sabe, essa foi a minha primeira biografia. Sou um romancista, tinha ajudado a fazer dois livros sobre celebridades, John McEnroe e Jerry Lewis. Esta foi minha primeira biografia, um formidável desafio. Eu não queria escrever uma biografia convencional, ou que fosse "seca" ou acadêmica. Queria dar uma narrativa forte, que pudesse carregar as forças de uma boa ficção, mas que fosse completamente verdadeira, até nos detalhes.

Há até alguns detalhes que são controversos, como por exemplo o tamanho do pênis de Sinatra. Como o sr. decide colocar um detalhe assim numa biografia?

JAMES KAPLAN - Eu não queria explorar nenhum lado sensacional de Sinatra. Há muitas biografias em inglês da vida dele e elas... A maior parte delas antes da minha era muito sensacionalista, muito escorada em escândalos: as conexões com a Máfia, crime organizado, sexo. A razão pela qual eu escrevi esse livro em primeiro lugar foi... Você conhece Jerry Lewis? Eu fiz um livro sobre Jerry, e ele foi um amigo muito próximo de Sinatra. E ele e eu somos grandes amigos agora e conversamos durante muitas horas sobre essa amizade com Sinatra. Eu acabei sentindo como se conhecesse Sinatra, ele acabou se tornando muito humano para mim. Durante o processo de pesquisa, eu saí para jantar com diversos músicos que tinham trabalhando com o cantor, e eu esperava deles fofocas e histórias sobre mulheres e a Máfia, mas em vez disso eles todos me falaram de quão genial ele era, o gênio musical que ele foi. Eu me dei conta que, se desse a dimensão desse gênio, seria um livro interessante. Há coisas que ajudam a dar a dimensão do homem que homens e mulheres admiravam. Pegue o aspecto físico dele: era baixinho, tinha cicatrizes no rosto, tornou-se careca muito jovem. Acho que ele nunca foi satisfeito com seu físico. E é preciso compreender o ambiente em que Sinatra nasceu e cresceu, nos Estados Unidos dos anos 1920 e 1930. Os gângsteres eram homens de poder. E Sinatra, não de forma elogiável, os admirava. Ele foi assim a vida toda. No novo volume, eu narro como ele se relacionava com o gângster Sam Giancana, que esteve profundamente envolvido na eleição de John Kennedy.

Em janeiro de 1980, Sinatra veio cantar no Maracanã. É um recorde absoluto de público até hoje, 175 mil pessoas.

JAMES KAPLAN - Sim. E a chuva parou para ele cantar! Foi um milagre!

Foi um momento-chave para o show biz do Brasil, porque até aquele momento não havia know-how para um show desse porte.

JAMES KAPLAN - Eu não sabia disso, mas faz sentido. Foi um momento muito importante tanto para o Brasil quanto para Sinatra. Foi a maior audiência para a qual ele cantou na carreira, ele amava o Brasil e ele e Jobim se adoravam, eram muito reverentes um com o outro artisticamente. Ele demonstrou grande sentimento por cantar no Brasil.

Gay Talese perpetrou uma frase clássica do new journalism dizendo que "Sinatra gripado é como Picasso sem tinta, Ferrari sem gasolina - só que pior".

JAMES KAPLAN - (Risos) Gay Talese é um grande amigo meu. Conversei bastante com ele para fazer meu livro e acho que ele escreveu o mais importante artigo sobre Sinatra (na revista Esquire). Talese admirava Sinatra e sofreu com ele, que tinha pouca paciência e era volátil. Não deu a Talese o tempo que este queria.

________________________________________________________________________________

Pop & Arte  l  Mostra "David Lynch – O Lado Sombrio da Alma" em São Paulo exibe filmes raros de David Lynch     (13/04/13)

O diretor norte-americano David Lynch, de "Veludo Azul" e "Cidade dos Sonhos", será tema de uma mostra na Caixa Cultural São Paulo, em cartaz de 16 a 28 de abril. As 33 sessões previstas na programação incluem tanto os longas que marcaram a filmografia do cineasta como trabalhos menos conhecidos, entre curtas, filmes para a televisão, videoclipes e comerciais.

A programação inclui todas grandes produções de Lynch, como "A Estrada Perdida", "Império dos Sonhos" e "A História Real", além do piloto da série "Twin Peaks" e curtas como "Rabbits" e "Dumbland".

No dia 18 de abril, haverá um debate sobre a obra de Lynch com a presença do cineasta Marco Dutra, o jornalista Paulo Santos Lima e o curador da mostra, Mario Abbade.

Veja a programação completa:

Dia 16/04 - terça-feira

15h: Pretty as a Picture. 85 min. 14 anos.

16h40: Eraserhead. 89 min. 16 anos.

18h20: O Homem Elefante. 124 min. 14 anos.

Dia 17/04 - quarta-feira

15h: I Don't Know Jack. 96 min. 12 anos.

16h50: Duna. 190 min. 14 anos.

Dia 18/04 - quinta-feira

15h: Lynch (One). 84 min. 14 anos.

16h40: Veludo Azul. 121 min. 16 anos.

19h: Debate

Dia 19/04 - sexta-feira

15h: The Short Films of David Lynch. 120 min. 14 anos.

17h10: Twin Peaks – O piloto da série. 95 min. 14 anos.

19h: Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer. 135 min. 14 anos.

Dia 20/04 - sábado

14h: Scene by Scene (VHS). 50 min. / Ruth Roses and Revolver (VHS). 48 min. 12 anos.

15h50: Coração Selvagem. 128 min. 16 anos.

18h10: Rabbits. 50 min. / Industrial Symphony No. 1. 50 min. 14 anos.

Dia 21/04 - domingo

14h: Mystery Disc. 190 min. 14 anos.

17h20: A Estrada Perdida. 135 min. 16 anos.

Dia 23/04 - terça-feira

15h: On the Air (VHS). 210 min. 14 anos.

18h50 A História Real. 111 min. 12 anos.

Dia 24/04 - quarta-feira

15h: Dynamic:01: The Best of DavidLynch.com. 120 min. 14 anos.

17h20: Zelly & Eu (VHS). 87 min. 14 anos.

19h: Os Beatniks (VHS). 110 min. 14 anos.

Dia 25/04 - quinta-feira

15h: Crumb. 119 min. 14 anos.

17h20: Hotel Room (VHS). 90 min. 14 anos.

19h: Nadja (VHS). 93 min. 14 anos.

Dia 26/04 - sexta-feira

15h: Dumbland. 25 min. / David Lynch Commercials e clipe Rammstein (VHS s/legendas). 41 min. / School of Thought. 40 min. 12 anos.

17h: Hugh Hefner: Once Upon a Time. 91 min. 14 anos.

18h40: Encaixotando Helena. 107 min. 14 anos.

Dia 27/04 - sábado

14h: Lynch in Conversation (VHS). 59 min. 12 anos.

15h10: Cidade dos Sonhos. 141 min. 14 anos.

17h40: Transcendendo Lynch. 84 min. 12 anos.

Dia 28/04 - domingo

14h: Império dos Sonhos. 180 min. 14 anos.

17h10: Mais Coisas que Aconteceram. 76 min. 14 anos.

18h20: Sob Controle. 97 min. 14 anos.

"David Lynch – O Lado Sombrio da Alma"

Data: de 16 a 28 de abril de 2013 (de terça-feira a domingo)

Local: CAIXA Cultural São Paulo – Praça da Sé, 111

Entrada: Franca (os ingressos poderão ser retirados na bilheteria com 1 hora de antecedência)

Capacidade: 60 lugares

Classificação etária: consultar programação

Informações: (11) 3321-4400

_______________________________________________________________________________

Pop & Arte  l  Exposição "Gutai: Splendid Playground" mostra movimento artístico mais importante e conhecido do Japão pós-guerra    (24/02/13)

As cores são importantes na exposição "Gutai: Splendid Playground", que tomou o Museu Guggenheim em Nova York para mostrar o movimento artístico mais conhecido do Japão pós-guerra. Da entrada você quase as vê penduradas sobre sua cabeça no formato de joias feitas de água colorida em tons de vermelho, azul, amarelo e verde. Cada obra ocupa um dos 16 tubos de plástico que se estendem ao longo da rotunda como redes translúcidas.

Esta combinação implicitamente cinética de pintura e escultura parece nova, mas na verdade foi concebida em 1956, quando seu criador, o artista Gutai Sadamasa Motonaga (1922-2011), amarrou obras entre árvores para uma exposição ao ar livre em Ashiya, perto de Osaka, no Japão.

Richard Perry/The New York Times

Obra 'Tankuro', de 1966, de Norio Imai, parte da mostra 'Gutai: A Splendid Playground'
"Gutai: Splendid Playground" é a primeira grande exposição dedicada a Gutai e a primeira a cobrir completamente a sua efemeridade de meios. Ela exibe 100 obras de pintura, escultura, instalações, filmes e performances filmadas, complementadas por murais e impressos, tudo brilhantemente entrelaçado.

Sua convergência no Guggenheim reflete a bolsa artística de Ming Tiampo, um historiador de arte que ensina na Universidade de Carleton, em Ottawa, Ontário, e foi realizada em colaboração com Alexandra Munroe, curadora sênior do Guggenheim para arte asiática. Acompanhada por um catálogo fantástico, seu esforço deve permanentemente desalojar qualquer noção de modernismo pós-guerra como um fenômeno estritamente ocidental.

Richard Perry/The New York Times

Obra 'G-170, Work', de 1956, de Tsuruko Yamazaki, parte da mostra 'Gutai: A Splendid Playground'

 

As obras desta mostra são - como a água colorida de Motonaga - geralmente relaxadas e divertida. A ideia da arte como um momento libertador e muitas vezes participativo foi um componente importante no pensamento de Gutai, especialmente durante sua primeira década. Formado em 1954, a Associação de Arte Gutai salienta a importância de ações individuais desinibidas, o encorajamento de expectativas e até mesmo a tolice como formas de combater a passividade e o conformismo que permitiu que o governo militarista do país se tornasse tão desastrosamente poderoso nas décadas anteriores, invadindo a China e, em seguida, partindo para a Segunda Guerra Mundial.

Em sua própria maneira, Gutai queria ajudar a reconstruir a democracia tanto promulgando quanto incentivando atos simbólicos de independência. Seus membros usavam seus pés, robôs e fogo para fazer pinturas, sempre levando o meio aos seus limites. Outros trabalhos convidam os espectadores a agir.

Com trabalhos de 17 dos 59 membros do grupo, esta mostra traça a história da Associação de Arte Gutai de sua formação em 1954 até a sua dissolução, poucas semanas depois da morte de Yoshihara, em 1972. Uma das paredes foi forrada com o manifesto que ele publicou em 1956, rejeitando toda a arte anterior como "fraudulenta" e "relíquias arqueológicas". Ele isentou a arte primitiva e a arte desde o Impressionismo porque "usaram matéria - isto é, a pintura - sem distorcer ou matá-la". Ele citou Jackson Pollock e o pintor francês Georges Mathieu como modelos, porque o seu trabalho, ele escreveu, "revela o grito da própria matéria."

Richard Perry/The New York Times

Obra 'Work (Water)', de 1956, de Sadamasa Motonaga, parte da mostra 'Gutai: A Splendid Playground'

 

Um dos objetivos da Yoshihara era ressaltar e cultivar conexões entre a nova arte da Europa, América e Japão. Seus pontos de vista nem sempre eram correspondidos, como sugerido pela recepção negativa de uma exposição Gutai na Galeria Jackson Martha, em Nova York, em 1958. Hoje, sua abordagem parece presciente.

Além disso, as pinturas no Guggenheim sugerem que o Japão produziu a segunda mais forte geração de Expressionismo Abstrato, os artistas que de maneira mais convincente e direta ampliaram a inovadora técnica de gotejamento de Pollock. Apesar de não serem muito grandes, as suas obras também têm uma escala imponente e, por vezes, uma sensação de peso que adianta um Minimalismo e processos artísticos ao mesmo tempo que denotam facilidade e perfeição, graças ao seu abandono físico e métodos excêntricos.

Acima de tudo, Gutai combinou a irreverência Dadá com uma versão muito ampliada de automatismo e elementos que são inatamente japoneses: os gestos de voo da tinta das pinturas sumi, as falhas aleatórias tão valorizados na tradição do país, a cerâmica, a reverência aos próprios materiais.

Em uma época em que os principais museus de Nova York parecem excessivamente preocupados com a arte desde o século anterior, "Gutai: Splendid Playground" traz um certo frescor para a cidade. Mostras revisionistas de seu tipo podem ser tão fragmentadas que muitas vezes transformam-se em afirmativas do tipo "você tinha de estar lá", um problema que assola a mostra "Tokyo 1955-1970: O Nascimento do Avant-Garde", em exposição no Museu de Arte Moderna, que também contém um pouco de Gutai.

A exposição do Guggenheim também olha para trás, mas faz isso com brio e imediatismo memoráveis. Sua revisão tem uma excelente chance de permanência. The New York Times

______________________________________________________________________________

Divas pop viram cartazes em estilo retrô    (03/02/13)

As divas pop atuais apresentam características marcantes e podem ser reconhecidas por seus estilos únicos. Renato Cunha identificou essa singularidades e reproduziu cantoras como Adele, Amy Winehouse e Rihanna em cartazes com clima retrô. Acompanhando as figuras famosas, letras de músicas que marcaram sua carreiras aparecem no maior estilo história em quadrinhos. [Zupi] modismo

Adele

Amy Winehouse

Avril Lavigne

Beyoncé

Gwen Stefani

Katy Perry

Lady Gaga

Lily Allen

Rihanna

______________________________________________________________________________

Pianista de jazz Dave Brubeck morre aos 91 anos   (05/12/12)

Dave Brubeck, pianista de jazz norte-americano, morreu aos 91 anos na manhã desta quarta-feira (5) na cidade de Norwalk, em Connecticut, segundo informações da agência de notícias Associated Press.

Brubeck morreu de insuficiência cardíaca quando estava indo visitar seu cardiologista na companhia de seu filho Darius, de acordo com Russell Gloyd, empresário do pianista. Ele completaria 92 anos nesta quinta-feira (6).

Nascido em 6 de dezembro de 1920, Brubeck era considerado um dos maiores músicos do gênero por sua técnica e capacidade de improviso.

Aos quatro anos de idade, o pianista teve seu primeiro contato com o instrumento que o acompanharia o restante de sua vida. Criado numa área rural da Califórnia, ele era filho de um comerciante de gado e uma diretora de coral --que proibiu os filhos de ouvir rádio em casa porque acreditava que, se quisessem ouvir música, eles deveriam saber tocar. Brubeck e os dois irmãos, então, passaram a estudar música clássica, canções religiosas e populares.

Em 1942, conheceu o saxofonista Paul Desmond, seu parceiro musical mais importante: com ele, mais tarde, formaria o Dave Brubeck Quartet, que contava, em sua formação inicial, com Joe Dodge (bateria) e Bob Bates (contrabaixo). Passariam pelo quarteto, ainda, vários outros músicos.

O quarteto com Brubeck, Desmond, Joe Morello (bateria) e Gene Wright (contrabaixo) gravou um dos principais discos do jazz: "Time Out" (1959), com "Take Five", "Blue Rondo à la Turk" e "Kathy's Waltz" --que serviu de inspiração para "All My Loving" (1963), dos Beatles.

"Take Five", escrita por Desmond, se tornou uma das melodias mais famosas do grupo. Lançado em 1959, foi o primeiro single de jazz a vender um milhão de cópias.

_________________________________________________________________________________

‘Thriller’, de Michael Jackson, faz 30 anos  (25/11/12)

 

Em 1982, o futuro batia firme na porta. Foi naquele ano que Hollywood abriu  uma janela para a imaginação com “E.T. — O Extraterrestre” e “Blade Runner”; que  o videogame Atari 2600 bateu a marca de dez milhões de unidades vendidas; que os  CD-players (ou discos laser) foram lançados comercialmente; e que o Brasil via a  chegada de uma gente fina, elegante, colorida e sincera nas canções de Lulu  Santos e da Blitz. Mas um fato cultural de magnitude até então inimaginável  haveria de iniciar sua saga antes que 1982 acabasse. No dia 30 de novembro,  chegava às lojas “Thriller”, o segundo LP do cantor americano Michael Jackson em  parceria com o produtor Quincy Jones. Quase 30 anos depois, ele permanece como o  álbum mais vendido da História (algo como 110 milhões de cópias). Isso depois de  ter feito de Michael o Rei do Pop, de ter revolucionado a indústria fonográfica,  de ter inaugurado a era de ouro do videoclipe (numa MTV que nascera em 1981) e  de ter estabelecido parâmetros artísticos e comerciais que o artista morto em  2009 passou o resto de sua vida tentando, em vão, superar.

 — Sei que ele ficou frustrado por não conseguir repetir vendagens tão altas — conta ao GLOBO o jornalista e escritor americano Nelson George, autor de “Thriller: a vida e a música de Michael Jackson”, lançado no ano passado por  aqui pela Zahar. — Hoje, a cultura é muito diferente. As pessoas não compram  mais álbuns em massa, fazem download de canções. Não há mais condições para que  um álbum venda algo como 40 milhões de cópias.

Mas os feitos de “Thriller” vão muito além dos números. George lembra que o  disco também foi um divisor de águas cultural, rompendo barreiras raciais.

— Michael Jackson provou que os músicos negros americanos poderiam ter apelo  global — diz. — A música negra americana sempre teve apelo internacional, mas  relativamente poucos artistas conseguiram se beneficiar disso. Michael levou a  dança, o canto e a música aos lares do mundo inteiro.

 

Nascido em uma família operária de Gary, Indiana, Michael foi levado pelo  pai, Joe, com mão de ferro, a cantar com os irmãos mais velhos num grupo de  r&b, o Jackson 5. Tinha 8 anos. Quando o sucesso veio, com as músicas “ABC” e “I want you back”, ele contava apenas 11, mas já ficara claro que era o grande  talento do grupo. Em 1972, fez sucesso solo, com as músicas “I’ll be there” e “Ben”, mas não se afastou dos irmãos. Em 1977, ao participar do filme “O mágico  inesquecível” (um remake de “O Mágico de Oz”), Michael conheceu Quincy Jones,  jazzista e arranjador que o convenceu a retomar a carreira solo. Assim, em 1979,  aos 21 anos, com o disco “Off the wall”, o caçula do Jackson 5 pegou os embalos  da discoteque e os transformou em algo novo, vibrante e reluzente, em canções  como “Don’t stop til’ you get enough” e “Rock with you”, que não por acaso foram  hits mundiais. Em “Thriller”, a dupla Quincy-Michael se preparou para repetir a  dose, com ainda mais eficácia.

Biógrafo Nelson George, que acompanhou a carreira de Michael de perto, na  época, como editor da revista “Billboard”, considera fundamental a participação  de Quincy Jones no sucesso do disco.

— Foi ele quem trouxe Rod Temperton (compositor inglês, autor de “Rock with  you”), quem compôs algumas das canções mais memoráveis do disco (a faixa-título, “Baby be mine” e “The lady in my life”). E também deu forma a “Human nature” e  contratou alguns dos melhores músicos e arranjadores de Los Angeles. Sua marca  está por todo o disco.

Mas, mesmo com todo o planejamento artístico (com grandes ideias, como a de  voltar a juntar Michael Jackson e Paul McCartney na faixa “The Girl is mine”, ou  a de chamar o guitarrista Eddie Van Halen para fazer um solo no rock “Beat it”), “Thriller” não teria chegado onde chegou sem a fileira de históricos  videoclipes, feitos por insistência (e com a orientação) do próprio cantor. Na  ordem: “Billie Jean” (em que o cantor deu uma lição ou duas de dança), “Beat it” (com seu conceito “West Side story”) e “Thriller”, uma revolução sob vários  aspectos.

Encantado com o filme “Um lobisomem americano em Londres”, Michael chamou o  diretor John Landis para fazer o clipe de sua canção em clima de terror (com  direito até a narração tenebrosa do ator Vincent Price). Landis idealizou um  curta-metragem, com muita maquiagem de zumbi e dança, que custaria um até então  inédito meio milhão de dólares. Esse não foi só o artefato decisivo para fazer  de “Thriller” o disco mais vendido de todos os tempos: foi um acontecimento  cultural, o vídeo que transformou a MTV numa potência (é o mais visto de sua  história), que abriu o canal para os artistas negros e que iniciou uma escalada  de inovação (e de custos) para os clipes.

Nelson George se lembra bem daqueles tempos, quando o clipe de “Thriller” não  saía das TVs, as cópias do álbum “Thriller” não conseguiam ficar muito tempo nas  lojas, e Michael Jackson era figura próxima do onipresente.

— O frenesi em torno desse disco foi algo nunca visto — conta. — Em 1984, fui  a três shows da turnê do “Victory” (disco dos irmãos Jackson, do qual Michael  participou) e em todos eles havia um burburinho que eu raramente vi.  Especialmente em Kansas City.

Trinta anos depois, a indústria musical pode não ser mais a mesma. Mas “Thriller” segue sendo homenageado — inclusive no Brasil. No dia 15, a banda  americana Easy Star All-Stars mostra no Circo Voador sua recriação reggae do  disco, “Thrillah”. E em 21 de fevereiro, estreia no Citibank Hall o musical “Thriller Live Brasil Tour” (os ingressos começam a ser vendidos esta semana em  www.ticketsforfun.com.br), unindo artistas brasileiros aos músicos da produção  original inglesa. Tudo para celebrar o disco cuja influência foi decisiva para  as carreiras de um rol de artistas que segue por Prince, Lenny Kravitz, Will  Smith, Ricky Martin, Justin Timberlake, The Black Eyed Peas, Justin Bieber e,  mais recentemente, Bruno Mars (que imitava Michael Jackson profissionalmente na  infância). Astros que uniram enorme talento, amor pela música e determinação  para vencer obstáculos (cor da pele, nacionalidade, língua) com uma ambição para  chegar onde o homem jamais pisou.

— O fato de haver agora uma reavaliação de “Thriller”, bem como de “Bad” (o  disco seguinte, de 1987, que mereceu este ano, no seu 25º aniversário, um  documentário do diretor Spike Lee), se deve ao fato de que o trabalho de Jackson  foi histórico — avalia Nelson George. — Várias gerações de fãs de música  cresceram com ele, e essa conexão se sustenta. o globo 

_______________________________________________________________________________

Paul McCartney & Diana Krall I Confira o vídeo com os bastidores da gravação da música “The Christmas Song  (24/11/12)

Ele pode ser vegetariano e ser contra servir peru na ceia, mas Paul McCartney mostra que tem espírito natalino na nova faixa que o ex-beatle vai lançar nesse final de ano. Trata-se de um clássico: "The Christmas Song (Chestnuts Roasting On Na Open Fire)", gravado em companhia da pianista canadense Diana Krall.

McCartney disse ao semanário britânico NME que foi bastante intimidador realizar uma versão da música, principalmente por que ela já havia sido consagrada por Nat King Cole. "Mas aí eu pensei: ‘não vou escutar [as outras versões], não vou pensar como vou fazer isso. Apenas vou lá e cantar. Pronto. Foi feita em uma tarde em Nova York e estou muito satisfeito por que não parece com nenhuma outra releitura."

Confira o vídeo abaixo com os bastidores da gravação da música:


_______________________________________________________________________________

Livro  "Young Romance: A New 52 Valentine’s Day Special" reúne romances dos super-heróis da DC Comics    (16/11/12)

A gente sabe que os super-heróis passam a maior parte do tempo lutando contra inimigos e salvando o mundo dos vilões, mas o que realmente gera curiosidade é a vida pessoal deles. Ao longo dos anos vários romances aconteceram entre os personagens da DC e, por conta disso, será lançado em fevereiro de 2013 um livro apenas com histórias de amor. "Young Romance: A New 52 Valentine’s Day Special", assinado pelos artistas e roteiristas Andy Diggle, Ann Nocenti, Cecil Castellucci, Peter Milligan, Gene Ha, Emanuella Luppichinno, Phil Jimenez, e Sanford Green vai mostrar o lado romântico da Mulher-Maravilha, do Super-Homem, da Batgirl, da Mulher-Gato, da Batwoman e do Aquaman, entre outros.

____________________________________________________________________________________

Fotógrafo Julian Wolkenstein deixa rostos simetricamente perfeitos para desafiar conceito de beleza   (27/10/12)

Após o projeto, Julian Wolkenstein desenvolveu um aplicativo para o celular que cria imagens espelhadas. Mais de 50 mil fotos já foram feitas com o aplicativo (Fotos: Julian Wolkenstein)

A busca pela simetria é quase como a busca pela perfeição. Nas pinturas clássicas o lado esquerdo é espelhado ao direito, no teatro utiliza-se a técnica da barca em que os dois lados do palco devem estar em equilíbrio. Já a literatura cunhou o termo palíndromo para descrever o efeito. Na ciência, considera-se que elementos simétricos são mais atrativos e, portanto, mais belos. Para colocar à prova, o fotógrafo australiano Julian Wolkenstein produziu uma séria de imagens nos quais rostos de modelos eram espelhados, formando faces simetricamente perfeitas. Durante os cliques, Wolkenstein pediu para que as pessoas ficassem na mesma posição e sem demonstrar emoção. No final, o resultado eram figuras bastante distintas umas das outras. “Queria fazer uma série de retratos de pessoas com rostos que seriam usados como ingredientes para várias ideias que eu queria testar abstraindo rostos, mudando, misturando e recombinando feições faciais”, ele disse à BBC. As fotos não sofreram retoques e foram cortadas ao meio com cada metade colada a imagem espelhada. O projeto foi batizado de Echoism. GQ

___________________________________________________________________________________

Emmy 2012: conheça os seriados indicados a Melhor Figurino  (23/07/12)

Holliday Grainger e Lotte Verbeek em “The Borgias”©Reprodução

Na última quinta-feira (19.07), foi divulgada a lista com os nomeados à 64ª edição do Emmy, maior premiação dos Estados Unidos voltada à indústria televisiva. Apesar do grande número de categorias, e da quantia ainda mais expressiva de programas indicados, o destaque do evento, ao menos para o FFW, é o quesito “Melhor Figurino para Seriados”.

Dentre os nomeados, a surpresa é a ausência de Janie Bryant, responsável pelo excelente figurino de “Mad Men”, indicado ininterruptamente de 2008 a 2011. As estreias na categoria são “Downton Abbey” e “Once Upon A Time”; já “Game of Thrones”, “Boardwalk Empire” e a vencedora de 2011, “The Borgias”, voltam a concorrer na premiação deste ano, que acontece dia 23 de setembro em Los Angeles. O diferencial do Emmy é que cada programa concorre pelo que é apresentado em apenas um episódio, ou seja, no momento da inscrição, os produtores do seriado elegem o capítulo que acreditam ser o mais excepcional para simbolizar o trabalho realizado em toda a temporada.

As produções de época ou que envolvem elementos de fantasia dominam as indicações na categoria de “Melhor Figurino” da 64ª edição do Emmy, refletindo o movimento da indústria do entretenimento, que nos últimos anos vem abrindo espaço para seriados históricos, não apenas longas-metragens como era habitual. Em 2010, dos cinco nomeados, somente “The Tudors” e “Mad Men” possuíam tramas ambientadas distantes da contemporaneidade (“Glee”, “The Goodwife” e “30 Rock” também concorriam à premiação), enquanto neste ano todas as concorrentes incluem características do gênero, que o site FFW destrincha a seguir:

“Game of Thrones”

“Game of Thrones“ ©Reprodução

Conceber o figurino de “Game of Thrones” não deve ter sido uma tarefa simples já que, baseado na série de livros homônima de George R. R. Martin, a trama do programa televisivo se passa em espaços físicos e lapsos temporais completamente ficcionais. Além de desenvolver do zero toda a estética de uma civilização, que, no caso, abrange não somente os habitantes dos Sete Reinos (Westeros), mas também inúmeros povos que vivem nas chamadas Cidades Livres, Michele Clapton e seus assistentes Alexander Fordham e Chloe Aubry tiverem que produzir trajes para tempos que oscilam entre a guerra e a paz, bem como para climas opostos, de locações polares a desertos áridos.

Os elementos fantásticos, presentes a partir da inclusão de seres mágicos como dragões e lobos gigantes, ou ainda de criaturas que não podem ser facilmente nomeadas, trazem ao figurino de “Game of Thrones” características que o distanciam da clássica ficção medieval, que, como afirmado por Clapton em entrevista ao site “Fashionista”, é a referência primordial para os protagonistas do seriado, à exceção de Daenerys Targaryen, interpretada por Emilia Clarke, que faz parte dos personagens que tiveram suas vestimentas inspiradas em tribos beduínas.

“Game of Thrones“ ©Reprodução

A função da/o figurinista, em casos como o de “Game of Thrones”, não se constitui apenas da tradução literal do que foi criado nos livros pelo autor, mas também do desenvolvimento de trajes ou acessórios que se adaptem melhor à produção televisiva. O episódio indicado à 64ª edição do Emmy é “The Prince of Winterfell”, oitavo capítulo da segunda temporada de “Game of Thrones”.

“The Borgias”

Os personagens centrais de “The Borgias” ©Reprodução

Ainda pouco conhecido no Brasil, o seriado criado pelo irlandês Neil Jordan foi o vencedor de 2011 da categoria de “Melhor Figurino” do Emmy. Protagonizado por Jeremy Irons, “The Borgias” é ambientado na Itália de 1432 e acompanha a trajetória da família de mesmo nome em sua corrupta ascensão ao poder na Igreja Católica, sediada em Roma.

“The Borgias” ©Reprodução

Gabriella Pescucci, figurinista responsável pelo episódio “The Confession”, que concorre à 64ª edição do Emmy, desenvolveu trajes magníficos que condizem perfeitamente com a estética renascentista do período em que se passa o seriado. Os personagens Lucrezia e Rodrigo Borgia, interpretados respectivamente por Holliday Grainger e Jeremy Irons, bem como Vanozza Cattaneo, vivida por Joanne Whalley, são os destaques de “The Borgias”.

“Downton Abbey”

O figurino de caça dos personagens de “Downton Abbey” ©Reprodução

Com 16 indicações ao Emmy, “Downton Abbey” não é mais apenas um sucesso de crítica, mas também de audiência na Europa e Estados Unidos. O seriado britânico, criado por Julian Fellowes, acompanha a aristocrática família Crawley, que reside em uma propriedade fictícia chamada justamente “Downton Abbey”, localizada em Yorkshire, durante o reinado de George V, mais especificamente a partir de 1912. Susannah Buxton desenvolveu vestimentas sóbrias, mas que representam de forma clara as transformações históricas pelas quais passaram os habitantes do Reino Unido antes e depois da Primeira Guerra Mundial, em especial as personagens femininas.

“Downton Abbey” ©Reprodução

Em 2011, após a primeira temporada de sete episódios, “Downton Abbey” foi a vencedora do Emmy na categoria “Melhor Figurino de Minissérie, Filme ou Especial”; neste ano, a segunda temporada do seriado constituiu-se de nove capítulos, o que resultou em sua inclusão no quesito de “Melhor Figurino para Seriados”. Detalhe: a coleção de Outono/Inverno 2012 da Rauph Lauren foi totalmente inspirada em “Downton Abbey”.

“Boardwalk Empire”

Steve Buscemi em “Boardwalk Empire” ©Reprodução

Em sua segunda indicação na categoria de “Melhor Figurino”, “Boardwalk Empire” já está na terceira temporada retratando a Atlantic City dos anos 1920, durante a época em que vigorou nos Estados Unidos a Lei Seca. Enoch “Nucky” Thompson, interpretado por Steve Buscemi, é o tesoureiro da cidade, bem como protagonista do seriado, que traz também Michael Pitt, Michael Shannon e Kelly Macdonald.

Kelly Macdonald e Steve Buscemi em “Boardwalk Empire” ©Reprodução

Com um figurino apurado de John Dunn e Lisa Padovani, “Boardwalk Empire” traz ternos bem-cortados que remetem à estética “gângster” do período e que, apesar dos excelentes vestidos e chapéus portados pelas personagens femininas, são destaque do seriado, que é baseado no livro “Boardwalk Empire: The Birth, High Times, and Corruption of Atlantic City” de Nelson Johnson e adaptado para a televisão por Terence Winter, produtor e roteirista de “Os Sopranos”.

“Once Upon A Time”

“Once Upon A Time” ©Reprodução

“Once Upon A Time” é mais uma das produções recentes que pegam carona na tendência das adaptações dos contos de fadas. No entanto, o seriado reúne personagens clássicos da fantasia, como a Branca de Neve (Ginnifer Goodwin), o Príncipe Encantado (John Dallas) e a Rainha Má (Lana Parrilla), a outros desconhecidos, porém contemporâneos, como Emma Swan, interpretada por Jennifer Morrison. Dessa forma, o trabalho do figurinista Eduardo Castro e de sua assistente, Monique McRae, foi intercalar trajes que remetem à literatura infanto-juvenil às vestimentas modernas sem parecer extremamente artificial ou tolo. Carla Valois - ffw

__________________________________________________________________________________

Festival de Cannes: 65 anos de história em pôsteres icônicos   (16/05/12)

Os pôsteres das três primeiras edições do festival de Cannes: em 1946, uma ilustração original de Leblanc; em 1947, de Jean-Luc e, em 1949, de G. C. Chevane (em 1948 o festival não foi realizado)©Reprodução

A 65ª edição do festival de Cannes começou nesta quarta-feira (16.05) e, com ela, os tapetes vermelhos que precedem a exibição dos filmes concorrentes à Palma de Ouro de 2012. A premiação, definitivamente a mais charmosa da indústria, foi fundada em 1946 e, desde 1952, acontece anualmente no mês de maio (até 1951, o evento ocorria em setembro; em 1948 e 1950 não foi realizada, em virtude de problemas financeiros). Para cada edição, é desenvolvido um pôster com os dados essenciais do festival, mas a informação contida é o que menos chama a atenção na maioria desses cartazes – quase sempre com fotografias icônicas ou ilustrações belíssimas, os pôsteres de Cannes tornaram-se parte essencial de sua história, e componente intrínseco de seu fascínio. Carla Valois - ffw

Os pôsteres de 2012, 2011 e 2010. Em 2012, Marilyn Monroe foi a escolhida para estampar o cartaz; em 2011, a atriz Faye Dunaway e, em 2010, a francesa Juliette Binoche ©Reprodução

Em 2012, a organização do festival escolheu Marilyn Monroe para estampar o pôster oficial da 65ª edição – uma provável homenagem ao cinquentenário de falecimento da atriz. Se já se passaram 65 premiações nessas mais de seis décadas de evento, há também mais de 60 pôsteres, que refletem a evolução estética desse longo período. O FFW reuniu todos os cartazes de Cannes e apresenta a transformação gráfica por que passou o evento – qual seu preferido?

Os pôsteres de 1953, 1952 e 1951, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1956, 1955 e 1954, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1959, 1958 e 1957, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1962, 1961 e 1960, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1965, 1964 e 1963, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1968, 1967 e 1966, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1971, 1970 e 1969, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1974, 1973 e 1972, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1977, 1976 e 1975 (os três ilustrados por Siudmak), respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1980/1981, 1979 e 1978, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1984, 1983 (adaptação de uma ilustração de Akira Kurosawa) e 1982 (adaptação de uma ilustração de Frederico Fellini), respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1987, 1986 e 1985, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1990, 1989 e 1988, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1993 (Cary Grant e Ingrid Bergman em “Interlúdio”, de Alfred Hitchcock), 1992 (Marlene Dietrich em fotografia de Don English) e 1991, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1996, 1995 e 1994 (adaptação de uma ilustração de Frederico Fellini), respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 1999, 1998 e 1997, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 2001 e 2000, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 2003 e 2002, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 2006, 2005 e 2004, respectivamente ©Reprodução

Os pôsteres de 2009, 2008 e 2007 respectivamente ©Reprodução

__________________________________________________________________________________

40 anos de Ziggy Stardust: como David Bowie mudou o mundo  (04/02/12)

©Romeu Silveira

Em junho de 1972, com o lançamento do álbum conceitual “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars”, David Bowie conquistou o que poucos artistas conseguiram ao longo da história: criar canções e uma estética que revolucionaram o mundo e, 40 anos depois, continuam influenciando universos culturais tão abrangentes quanto a música e a moda.

Apesar de que até 1971 já tivesse lançado quatro discos bem-sucedidos, foi com o personagem “Ziggy Stardust” que David Bowie, nome artístico de David Robert Jones, atingiu o cerne da cultura jovem e desafiou as barreiras da sexualidade ao fabricar para si uma imagem cheia de androginia, que veio a se tornar símbolo da geração glam rock. “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars” traz a história de um alienígena, encarnado pelo cantor inglês, que vem à Terra com o intuito de passar uma mensagem de esperança nos últimos cinco anos de existência do planeta, que iria acabar devido à falta de recursos naturais.

Ziggy Stardust ©Reprodução

 

Ziggy Stardust é a epítome da caricatura do rock star: promíscuo, egocêntrico, usuário de drogas e portador da paz. Acompanhado de Mick Ronson, Trevor Bolder e Mick Woodmansey, que constituíam as “Spiders from Mars”, David Bowie deu vida a verdadeiros espetáculos teatrais em seus concertos, tão impactantes e exaustivos que segundo o cantor converteu-se em uma necessidade íntima dissociar a persona de Ziggy de sua própria: em um curtíssimo período de tempo, o alter ego alcançou uma fama tão gigantesca que levou David Bowie a um vicioso ciclo de questionamentos.

A última performance de David Bowie como Ziggy Stardust aconteceu em três de julho de 1973 em Londres (e foi documentada em um filme de D.A. Pennebaker), no entanto, a figura do extraterrestre messiânico é até hoje referência: só nos últimos meses, as edições francesa e alemã da “Vogue” trouxeram em suas páginas (e, no caso da primeira, também na capa) Kate Moss e Daphne Guinness com perucas vermelhas e maquiagens poderosas em clara homenagem à personagem, isto sem contar as matérias em revistas especializadas em música, como a “Rolling Stone”, que estampou Bowie, ou melhor, Ziggy, em sua capa de fevereiro.

As onze canções presentes em “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars” também se propagaram no tempo: a quantidade de covers de músicas como “Suffragette City”, “Starman” e “Moonage Daydream” é incontável. Nomes como Mr. Big, Alice In Chains, Boy George, Duran Duran, Red Hot Chilli Peppers e Guns n’ Roses já regravaram temas do álbum, além das versões nacionais na voz de Seu Jorge. No cinema, a herança do glam rock de David Bowie inspirou o filme britânico “Velvet Goldmine” (que, aliás, é o nome de uma música do cantor escrita na “era Ziggy Stardust”, mas só lançada em 1975).

 

Ziggy Stardust revisitado: Kate Moss e Daphne Guinness na pele do extraterrestre ©Reprodução

Capa da “Rolling Stone” de fevereiro de 2012 e Karolina Kurkova como Ziggy Stardust em editorial da “Viva! Moda”©Reprodução

O “fim” de Ziggy Stardust em 1973 não é, porém, sinônimo do término de sua “carreira” como trendsetter: no mesmo ano, David Bowie lançou “Aladdin Sane” – o raio no rosto do cantor virou outro ícone da cultura ocidental, copiado por músicos e editores de moda – e, em 1976, “Station to Station”, onde Bowie deu vida ao Thin White Duke, nova persona inspirada no papel protagonizado pelo inglês no filme “The Man Who Fell to Earth”. Entre alter egos esquizofrênicos e 23 discos geniais, 40 anos são pouco para definir a extensão dessa obra e de como David Bowie mudou o mundo com glitter, e muita poesia. Carla Valois - ffw

__________________________________________________________________________________

Frieke Janssens  I Fotógrafa belga causa polêmica por imagens de crianças fumando  (11/01/12)

A fotógrafa Frieke Janssens traz o vício do cigarro para discussão em seu trabalho. Utilizando imagens de crianças fumando, a belga causa inquietação ao caracterizá-los como pequenos adultos. Apesar de gerar críticas, nenhuma das crianças fumou durante o ensaio. Veja as imagens realistas, de tom macabro, e assista aos bastidores das fotos no video abaixo. [BlackHarbor]

modismonet.com

______________________________________________________________________________________

Mostra em SP relembra 50 anos sem Marilyn Monroe  (25/12/11)

Marilyn Monroe foi fotografada chorando depois do fim de seu casamento de nove meses com o jogador de beisebol Joe DiMaggio. É um dos poucos retratos que desviam da ideia de glamour plasmada por sua cabeleira platinada e poses sensuais.

Mesmo estando longe do set naquele dia de outubro de 1954, Monroe encarnava um personagem diante das câmeras, consciente da forma que devia tomar sua crise conjugal então tornada pública.

Em março do ano que vem, a Cinemateca Brasileira relembra os 50 anos da morte da atriz, vítima de uma overdose de barbitúricos em 1962, quando tinha 36 anos, com uma mostra de filmes e fotografias que tentam dar conta do lado trágico de sua vida.

"Hollywood causou uma transformação no corpo e na imagem dela", diz Alexander Sairally, curador da exposição. "Ela mudou o nome, o nariz, a cor do cabelo, virou uma pessoa artificial, e essa foi a verdadeira tragédia."

 

Marilyn Monroe em 1960 no set de "Os Desajustados" em fotografia de Henri Cartier-Bresson

De ruiva a loira, de Norma Jeane, seu nome real, para Marilyn Monroe, a atriz virou um ícone de sedução e beleza eterna, retratada pelos maiores nomes da fotografia do século 20 no auge da vida.

Henri Cartier-Bresson retrata uma Marilyn melancólica no set de "Os Desajustados", Cecil Beaton fez a imagem de que ela mais gostava de si mesma, deitada na cama segurando uma rosa.

Mas tudo começou quando posou para um calendário, nua contra um fundo de veludo vermelho, ainda ruiva e antes de virar Marilyn.

Essas imagens de Tom Kelley, que estão na mostra, foram vendidas e publicadas na primeira edição da "Playboy", em 1953 -Monroe, ainda não muito famosa, recebeu só US$ 50 pelo trabalho.

Bem assessorada por agentes de Hollywood, a atriz começou sua transformação radical logo depois dessa série.

A metamorfose completa se veria em "Os Homens Preferem as Loiras" e "Como Agarrar um Milionário", filmes em que imortalizou a imagem de mulher fatal, poderosa -e loiríssima.

ÍCONE

Mas isso teve seu custo. Poucos anos depois, atormentada por ter se distanciado de sua identidade real, ela se mudou para Nova York para dar outro rumo à carreira.

Foi então que Cecil Beaton, fotógrafo da "Vogue" britânica e um dos maiores nomes da história da moda, retratou a atriz em poses icônicas.

"Ela sabia que papel interpretar no mundo, sabia que era mesmo um ícone", diz o curador. "É uma fachada, uma máscara, quase não há imagens da Marilyn real."

Talvez as que mais tenham se aproximado da realidade, as fotografias que Bert Stern fez dela nua num hotel não agradaram à diva e também não estão na exposição.

Mas um ensaio de 1954, de Douglas Kirkland para a revista "Life", que estará na Cinemateca, tem espírito semelhante ao das fotos de Stern.

Monroe e o fotógrafo se trancaram num estúdio e passaram uma noite inteira fazendo as imagens dela na cama, nua e envolta em lençóis.

"Essa sessão foi das seis da tarde até as oito da manhã do dia seguinte", conta Sairally. "Kirkland, ainda vivo, nunca disse nada a ninguém sobre os detalhes daquela noite."

SILAS MARTÍ
DE SÃO PAULO

___________________________________________________________________________________

A mistura de foto, ilustração e arte digital na exposição do fotógrafo Ivan Abujamra  (04/12/11)

O fotógrafo Ivan Abujamra e o estúdio SinLogo apresentam a exposição “Girls, Guns & Animals” na galeria Urban Arts, em São Paulo, entre os dias 13 e 24 de dezembro. Trata-se de um trabalho de 10 imagens que misturam fotos, ilustrações e composição digital, desenvolvidas em um período de um ano e meio entre Londres e São Paulo. A ideia é ilustrar, por meio de uma sequência de imagens, a trama entre três personagens, baseando-se em referências de fotografia, moda e do design “USA X Russia” dos anos 80 e 90.

A exposição terá vernissage no dia 13 de dezembro, a partir das 19h, com discotecagem de Ivy Abujamra e Akin. Veja abaixo um preview das obras que estão expostas:

Girls, Guns & Animals De 13 a 24 de dezembro De segunda a sexta, das 10hs às 19h; sábado, das 10h às 18hs Urban Arts Rua Oscar Freire, 156 – Jardins – São Paulo urbanarts.com.br  (ffw)

©Ivan Abujamra

©Ivan Abujamra

©Ivan Abujamra

©Ivan Abujamra

©Ivan Abujamra

©Ivan Abujamra

©Ivan Abujamra

___________________________________________________________________________________
Dente de John Lennon vai ser leiloado  pela casa de leilões Omega Auction, em Stockport, no Reino Unido  (22/10/11)
Yoko Ono ao lado de John Lennon em protesto pelo fim da Guerra do Vietnã
Um dente que pertenceu ao ex-beatle John Lennon vai ser leiloado no próximo dia 5, pela casa de leilões Omega Auction, em Stockport, no Reino Unido.

A "peça" tem um preço de reserva de 10.000 libras.

Lennon deu o dente de presente a Dorothy Jarlett quando ela trabalhou como sua empregada doméstica entre 1964 e 1968.

O filho de Jarlett diz que a mãe, agora com 90 anos, acha que é hora de encontrar um lar para o pedaço de Lennon.

"Muita gente compra memorabilia como investimento, ou pode ser apenas um fã que queira um pedaço de John Lennon", diz a casa de leilão.

__________________________________________________________________________________
Pop & Arte  l Amy a Mil Traços: exposição em homenagem a Amy Winehouse  (27/08/11)
Amy Winehouse ganhou expo-homenagem, com desenhos de 44 cartunistas... este é de Cris Carnelos...
Para os fãs brasileiros saudosos de Amy Winehouse, uma boa notícia: a diva soul ganhou uma exposição para chamar de sua, e em cartoons. É que 44 cartunistas brasileiros se uniram para homenagear a diva soul, em mostra no shopping SP Market. Além dos desenhos feitos por artistas profissionais e amadores, a mostra também conta com esculturas de Wino e peças para colecionadores como discos, livros, revistas e bonecas customizadas. Para fã nenhum botar defeito.
Abaixo, um preview do que você pode ver in loco. Saudades da Amy…
Exposição Amy a Mil Traços
30 de agosto a 18 de setembro
Praça de Eventos – Shopping SP Market – Av. das Nações Unidas, 22.540 – São Paulo
Das 10h às 22h
Entrada gratuita
... Dálcio também fez o seu...
...o retrato de Amy por Tiago Guilherme...
...Amy troublemaker por Wagner Ramari...
...este é de Moretinni...
...Amy diva por Silvano Mello...#saudades
___________________________________________________________________________________
Banda High Places mistura música, imagem e diário em seu trabalho (27/08/11)
Já ouviu falar da High Places? Uma dupla do Brooklyn, em Nova York, que atualmente mora em Los Angeles, Mary Pearson e Rob Barber fazem um som que mistura indie rock com batidas eletrônicas.
Mary e Rob, do High Places
A banda nasceu quando Mary estava se formando em música na Western Michigan University e Rob trabalhava com artes visuais em Nova York. Os dois se encontraram enquanto faziam performances como músicos solos e logo se tornaram amigos. Em 2006, Mary se mudou para NY e os dois conseguiram tocar juntos o projeto. O primeiro show da dupla aconteceu em maio de 2006, em Massachusetts; na verdade era uma apresentação solo de Rob, mas em três dias, ele reescreveu todo o set com a ajuda de Mary, o que resultou no primeiro show da dupla. Algumas semanas depois, eles já tinham terminado um CD demo de seis músicas e saíram em turnê pelos Estados Unidos. No mundo da música atual, tudo é assim rápido e cada vez mais projetos legais aparecem, sempre com aquele clima despretencioso de que não estavam aguardando um pingo de sucesso.
high-places
Rob e Mary ©Reprodução
Em 2008, assinaram com uma gravadora de Chicago e lançaram o primeiro disco “03/07-09/07”. O álbum mais recente do duo é do ano passado e se chama “High Places vs. Mankind”. Uma das músicas mais conhecidas da dupla é deste álbum e se chama “On Giving Up”, que você pode ouvir abaixo:
 
 
Mas, uma das coisas mais bacanas sobre eles é que Rob e Mary têm um blog supervisual, alimentado por fotos que eles tiram de suas viagens. Flores, praia, pássaros, paisagens e uma série de autorretratos fazem parte do diário fotográfico online da dupla. Veja uma prévia aqui, mas fica valendo a visita. (Cacau Araújo - ffw)
 
5468490385_ee96c7703d_b
5573647376_cd0a8f850a_b 5468488235_48b5924b94_b
high 4
__________________________________________________________________________________
 
Met quer superar o recorde de McQueen com mostra de Miuccia Prada e Elsa Schiaparelli (27/08/11)
abre-met
Fachada do Met ©Reprodução
A exposição que fez uma retrospectiva do trabalho de Alexander McQueen no Costume Institute do Metropolitan Museum, em Nova York, quebrou recordes de visitação. As filas eram imensas e a espera longa para ver de perto as criações do “enfant terrible”.
Agora, o Met quer superar a mostra bombástica de McQueen. A nova aposta de exposição do museu está baseada em dois grandes nomes: Miuccia Prada e Elsa Schiaparelli, duas grandes estilistas, que definiram a moda de seus tempos.
miuccia-prada
Miuccia e suas listras ©Reprodução
Elsa foi uma grande criadora italiana que começou sua carreira no início do século passado. Ela gostava de misturar moda e arte e contratava artistas plásticos para criarem acessórios e tecidos para suas coleções. Salvador Dali e Jean Cocteau estão entre os nomes que fizeram colaborações. Olha a relação com a arte que agora faz parte da vida de diversas marcas, como a Louis Vuitton, por exemplo.
elsa
Elsa Schiaparelli e seus croquis ©Reprodução
As duas designers são grandes amantes da arte e suas criações prometem encher os olhos de quem passar pela exposição do Met. A mostra só entra em cartaz na primavera dos Estados Unidos (ou seja, depois de março do ano que vem). Se vai extrapolar o sucesso de McQueen, temos que esperar para ver, mas certamente será tão inspiradora quanto.
Cacau Araújo - ffw
__________________________________________________________________________________
Descoberto rascunho de roteiro de Chaplin para filme falado, afirma o jornal "Guardian" (23/06/11)
Charlie Chaplin em cena de "O Grande Ditador", de 1940, primeiro filme falado do diretor
Foi descoberto em arquivos da família de Charlie Chaplin um manuscrito inédito de um roteiro para um filme falado, afirma o jornal "Guardian".
Segundo o jornal, Chaplin escreveu 50 páginas à mão com diálogos para uma sátira ao colonialismo britânico. A ideia teria surgido após uma visita do ator e diretor à ilha de Bali em 1932.
O biógrafo David Robinson acredita que "Bali" tenha sido a primeira tentativa de Chaplin de levar às telas um filme totalmente falado.
No manuscrito, ele retrata os colonizadores de forma cômica ao forçar os nativos da ilha a pagar impostos por estradas desnecessárias e cultivar mais arroz do que eles são capazes de consumir.
O primeiro filme de Chaplin com diálogos, "O Grande Ditador", foi lançado apenas em 1940.
___________________________________________________________________________________
Inez e Vinoodh em SP: casal está impressionado com a arquitetura (11/06/11)
Os convidados mais aguardados desta temporada já desembarcaram no Brasil. Inez Van Lamsweerde e Vinoodh Matadin chegaram na manhã desse sábado (11.06) e seguiram direto para o Parque do Ibirapuera. Por lá, acompanharam a montagem da exposição em homenagem ao trabalho deles na Bienal, que funcionará durante o SPFW, e passearam nos entornos, com parada na OCA para registro do filho, Charles (que se divertiu nos brinquedos espalhados pelo parque), no prédio projetado por Oscar Niemeyer.
A arquitetura brasileira é, aliás, o que mais chamou atenção de Inez até agora. Durante percurso de carro pela cidade, Inez comentou e perguntou sobre vários prédios, quis saber mais sobre o Mube e adorou a vista da Marginal Pinheiros em direção ao bairro do Morumbi. Vendo o interesse da fotógrafa, Mathias Augustyniak, diretor de arte e amigo da dupla, aconselhou um passeio pelo centro de São Paulo.
Os dois terminam a noite na festa de Dia dos Namorados que Adriana Bozon promove em sua casa, muito bem acompanhados por Raquel Zimmermann, modelo e amiga, que também já está em São Paulo para o desfile da Animale, que abre a temporada. (Vogue)
___________________________________________________________________________________________________
Artista britânica Sarah Morris é acusada de plágio  (05/06/11)
Sarah Morris, artista britânica cuja obra faz parte da coleção da galeria de arte moderna Tate, em Londres, foi acusada de plágio por seis artistas de diferentes países que reivindicam uma indenização milionária.
                                       A artista Sarah Morris com sua obra "Sony"
Morris enfrenta nos Estados Unidos um julgamento pelo processo de artistas da Espanha, Itália, Japão e Estados Unidos, segundo os quais sua série abstrata intitulada "Origami" consiste de plágios coloridos de suas próprias representações de insetos e aves geradas graças a essa velha técnica japonesa, equivalente a papiroflexia.
A demanda, da qual informa neste a edição dominical do britânico "The Observer", foi apresentada em um tribunal de Oakland, Califórnia, e nela afirmam que em 24 obras dessa série, Morris copiou seus modelos, modificou a cor e as vendeu depois sem dar nenhum crédito.
O advogado dos artistas, Andre Jacobson, afirma que algumas obras da série Origami de Morris foram vendidas por mais de US$ 100 mil.
O origami, arte de origem japonesa, tem milhões de entusiastas no mundo todo e as montagens que executam estão em livros e revistas, assim como na internet além de à disposição para venda em galerias, mas sem que alcancem preços tão altos como os conquistados pelos supostos plágios da artista britânica.
A Tate incluiu três obras de sua série Origami na Trienal de Arte Britânica Contemporânea realizada em 2003 e em um projeto especial em apoio da candidatura do Reino Unido aos Jogos Olímpicos de 2012.
Morris, nascida em 1967, está representada pela conhecida galeria de vanguarda White Cube, de Londres, que também representa Damien Hirst, ele mesmo acusado de plágio no passado.
O advogado da artista, Donn Zaretsky, declarou ao jornal especializado "Art Newspaper" que a acusação de plágio não tem nenhum fundamento.
Os artistas que processaram Morris são Manuel Sirgo Álvarez, Robert J Lang, Noboru Miyajima, Nicola Bandoni, Toshikazu Kawasaki e Jason Ku.
DA EFE, EM LONDRES
___________________________________________________________________________________
Mostra de Alexander McQueen em NY bate recorde de público (09/05/11)
A retrospectiva de Alexander McQueen, em Nova York, bateu o recorde de público do Costume Institute, do Metropolitan Museum of Art, onde ela está exposta. Em seu primeiro dia de visitação (04.05),  recebeu mais de 5 mil pessoas, segundo o The New York Times, superando mostras populares do museu, como a de Jacqueline Kennedy e Chanel. O movimento foi tão inesperado que o museu suspendeu visitas guiadas no primeiro dia de exibição e vendeu mais de 600 catálogos.
__________________________________________________________________________________
Livro "Life in Photographs", traz fotos de Linda McCartney escolhidas por Paul (22/04/11)
Parte do acervo de imagens da fotógrafa Linda McCartney acaba de virar um livro, com imagens selecionadas por seu marido, o ex-Beatle Paul. Ele disse que escolheu as imagens a partir de um acervo de 200 mil fotos, com a ajuda dos filhos do casal, e decidiu publicá-las como uma homenagem a Linda. Ela e Paul McCartney foram casados entre 1969 e 1998, quando ela morreu de câncer.
Como fotógrafa da cena musical do final dos anos 1960, Linda se tornou a primeira mulher a ter seu trabalho publicado na capa da revista Rolling Stone, em 1968, com uma foto do músico Eric Clapton. Ela também retratou
estrelas e bandas como Aretha Franklin, Jimi Hendrix, Bob Dylan, Janis Joplin, Simon & Garfunkel, The Who e The Doors.
O livro "Linda McCartney: Life in Photographs" está à venda por cerca de R$ 116, mas uma edição limitada de colecionadores chega a custar quase R$ 1,6 mil no site da editora Taschen. As imagens também serão exibidas em junho, em uma mostra em Londres.
 
 
 
A própria Linda McCartney
                                                                 A própria Linda McCartney
Os atores Steve McQueen e Ali McGraw na Jamaica, em 1973
                                             Os atores Steve McQueen e Ali McGraw na Jamaica, em 1973
Brian Jones e Mick Jagger, dos Rolling Stones, em Nova York em 1966
                                      Brian Jones e Mick Jagger, dos Rolling Stones, em Nova York em 1966
Jimi Hendrix e sua banda em Londres, em 1967
                                              Jimi Hendrix e sua banda em Londres, em 1967
Eric Clapton, em foto que foi capa da revista Rolling Stone
                                                       Eric Clapton, em foto que foi capa da revista Rolling Stone
Os Beatles em 68, com Paul McCartney à esquerda
                                      Os Beatles em 68, com Paul McCartney à esquerda
__________________________________________________________________________________
"Harry Potter e os Talismãs da Morte - Parte 2": Assista aos bastidores e cenas inéditas (19/03/11)
Último filme da saga Harry Potter tem estreia prevista para julho deste ano nos Estados Unidos
___________________________________________________________________________________
Atriz Mila Kunis, de 'Cisne Negro', usa sutiã, penas e transparências em ensaio (11/02/11)
W Magazine/-Reprodução
A atriz Mila Kunis, dupla de Natalie Portmann no filme "Cisne Negro", é capa da revista "W Magazine" de fevereiro. Em um ensaio misterioso, ela usa transparências, rendas e penas e sutiã.
r/-Reprodução
W Magazine/-Reprodução
r/-Reprodução
___________________________________________________________________________________
"A Rede Social" é o grande vencedor do Globo de Ouro 2011 (17/01/11)
Filme sobre a origem do Facebook ganhou os prêmios de filme dramático, diretor, roteiro e trilha sonora
O filme "A Rede Social" foi o grande vencedor do Globo de Ouro 2011. O longa, que conta a história da origem do site Facebook, ganhou os prêmios de filme dramático, diretor (David Fincher), roteiro (Aaron Sorkin) e trilha sonora (Atticus Ross e Trent Reznor, líder da banda Nine Inch Nails).
Outros destaques foram "Minhas Mães e Meu Pai", vencedor nas categorias melhor filme e melhor atriz cômica (Annette Bening), e "O Vencedor", também com dois prêmios, ator coadjuvante (Christian Bale) e atriz coadjuvante (Melissa Leo).
 
O melhor ator dramático foi Colin Firth, por "O Discurso do Rei" (o único prêmio do longa, que concorria em sete categorias), e a melhor atriz dramática foi Natalie Portman, por "Cisne Negro". O melhor ator de comédia ou musical foi Paul Giamatti, por "Minha Versão para o Amor".
"Toy Story 3" foi escolhido a melhor animação. O grande derrotado da noite foi "A Origem". O filme, dirigido por Christopher Nolan e estrelado por Leonardo DiCaprio, concorria em quatro categorias e não ganhou em nenhuma.

Robert de Niro foi agraciado com o prêmio Cecil B. de Mille por sua carreira. Em seu discurso, ele fez piada com seu último trabalho, "Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família". "Ainda bem que decidiram me dar esse prêmio antes desse filme estrear", brincou.
 
Na área do Globo de Ouro dedicada à televisão, o grande vencedor foi a série "Glee": melhor série (comédia ou musical), ator coadjuvante (Chris Colfer) e atriz coadjuvante (Jane Lynch).
"Boardwalk Empire" também se saiu bem, vencendo nas categorias melhor série dramática e melhor ator em série dramática (Steve Buscemi).
 
Veja abaixo a lista completa de vencedores do Globo de Ouro 2011:
Melhor filme - drama
"A Rede Social"
Melhor filme - comédia ou musical
"Minhas Mães e Meu Pai"
Melhor animação
"Toy Story 3"
Melhor diretor
David Fincher, "A Rede Social"
Melhor roteiro
"A Rede Social"
Melhor ator - drama
Colin Firth, "O Discurso do Rei"
Melhor ator - comédia ou musical
Paul Giamatti, "Minha Versão para o Amor"
Melhor atriz - drama
Natalie Portman, "Cisne Negro"
Melhor atriz - comédia ou musical
Annette Bening, "Minhas Mães e Meu Pai"
Melhor ator coadjuvante
Christan Bale, "O Vencedor"
Melhor atriz coadjuvante
Melissa Leo, "O Vencedor"
Melhor filme estrangeiro
"In a Better World", Dinamarca
Melhor canção original
"Burlesque", por "You Haven't Seen the Last of Me"
Melhor trilha sonora
"A Rede Social"
Melhor série de televisão - drama
"Boardwalk Empire"
Melhor série de televisão - comédia ou musical
"Glee"
Melhor minissérie ou filme feito para a televisão
"Carlos"
Melhor ator em minissérie ou filme feito para TV
Al Pacino, "You Don't Know Jack"
Melhor atriz em minissérie ou filme feito para TV
Claire Danes, "Temple of Gradin"
Melhor ator em série - comédia ou musical
Jim Parsons, "The Bing Bang Theory"
Melhor atriz em série - comédia ou musical
Laura Linney, "The Big C"
Melhor ator em série - drama
Steve Buscemi, "Boardwalk Empire"
Melhor atriz em série - drama
Katey Segal, "Sons of Anarchy"
Melhor ator coadjuvante em série, minissérie ou filme para TV
Chris Colfer, "Glee"
Melhor atriz coadjuvante em série, minissérie ou filme para TV
Jane Lynch, "Glee"
___________________________________________________________________________________
Estreia de "Homem-Aranha" na Broadway é adiada de novo (14/01/11)
 
A estreia do espetáculo do Homem-Aranha na Broadway foi adiada novamente, para o dia 15 de março, para permitir o "ajuste fino" da produção high-tech e trabalhar em um novo final, apesar do sucesso de bilheterias nas pré-estreias.
Os produtores de "Spider-Man: Turn Off the Dark" anunciaram a nova data na noite de quinta-feira depois de uma série de acidentes que ocorreram nas apresentações prévias, com quatro atores feridos.
Segundo eles, o tempo também permitirá que a equipe faça modificações no cenário da diretora Julie Taymor e inclua novas músicas da dupla do U2 Bono e The Edge.
Cartas de "Spider Man - Turn off the Dark"; espetáculo é adiado de novo
Mas mesmo nas prévias, multidões de fãs compareceram para assistir ao espetáculo, que é baseada no herói da história em quadrinhos.
Segundo a Broadway, "Spider-Man" foi a produção de maior venda nas bilheterias na semana entre o Natal e o Ano Novo, arrecadando 1,588 milhão de dólares em ingressos.
"Estamos muito gratos pelo entusiasmo do público que está vindo assistir "Spider-Man: Turn Off The Dark" e estamos dedicados a dar-lhes o melhor espetáculo possível", disse Taymor em comunicado.
"Estamos buscando algo extraordinário aqui, estamos quase lá", disseram Bono e The Edge em comunicado conjunto.
O produtor Michael Cohl garantiu que o novo atraso será "o último". Inicialmente, a estreia estava prevista para o dia 7 de fevereiro.
DA REUTERS, EM NOVA YORK
__________________________________________________________________________________
 Homem-Aranha | Veja as primeiras fotos de Andrew Garfield como Peter Parker (05/01/11)
Primeiras fotos de Andrew Garfield no set 04
  
As filmagens do reinício de Homem-Aranha continuam, e as cenas nos colégios de Los Angeles colocaram Andrew Garfield, o novo Peter Parker, na mira dos paparazzi. Veja o ator com Gwen Stacy (Emma Stone) no set. O longa, dirigido em 3-D por Marc Webb, estreia em 3 de julho de 2012.
Primeiras fotos de Andrew Garfield no set 01
Primeiras fotos de Andrew Garfield no set 03
Primeiras fotos de Andrew Garfield no set 02
____________________________________________________________________________________
Jon Bon Jovi foi nomeado membro da Casa Branca (15/12/10)
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assinou nesta terça-feira (14) uma ordem executiva na qual nomeia o cantor Jon Bon Jovi como membro do novo Conselho da Casa Branca para Soluções Comunitárias.
Em comunicado, a Casa Branca indica que o novo organismo terá como missão assessorar Obama na procura pelas "melhores maneiras de mobilizar cidadãos, ONGs, empresas e Governo para colaborar de modo mais efetivo e solucionar os problemas da comunidade".
 
No conselho, de 25 membros, figuram também empresários, como o presidente do portal de leilões pela internet eBay, John Donahoe, e a vice-presidente da cadeia Starbucks, Paula Boggs.
Segundo Obama indica no comunicado, "estes distintos homens e mulheres dedicaram suas vidas e carreiras à inovação social e à participação cívica".
 
Bon Jovi, que como músico teve mais de 120 milhões de cópias de álbuns vendidos, desenvolveu uma segunda ocupação como ativista político.
O cantor preside a fundação Jon Bon Jovi, focada na luta contra a pobreza e que proporciona alojamento para as pessoas de baixa renda.
__________________________________________________________________________________
Lady Gaga ganha sétima estátua de cera (09/12/10)
(Londres, com direito a roupa da grife Giorgio Armani) Lady Gaga foi homenageada pela sétima vez com uma estátua de cera. Desta vez, a cantora ganhou uma réplica perfeita, com direito à trajes da grife Giorgio Armani igualzinhos aos usados por Gaga, no famoso museu Madame Tussauds, em Londres. A obra, inaugurada nesta quinta-feira (9), conta ainda com um inusitado chapéu de telefone. Veja algumas das estátuas!
Hong Kong
Holanda
China
Alemanha ___________________________________________________________________________________ Revista cria Barbie vestida com roupa de carne usada por Lady Gaga (03/12/10)
A edição da revista "Entertainment Weekly" com os melhores acontecimentos de 2010, relembra o modelito de carne usado por Lady Gaga no Video Music Awards da MTV, em setembro. Ao invés de usar uma foto da cantora no evento, a revista fez uma brincadeira com o ícone pop e um brinquedo clássico: mostrou uma Barbie vestida de Lady Gaga. ___________________________________________________________________________________ Cineasta Tim Burton pede colaboração no Twitter para completar história (23/11/10)
Tim Burton empreendeu uma iniciativa na rede social de "microblogging" Twitter para que os usuários completem com suas ideias uma história sobre um dos personagens do cineasta, chamado Stainboy, segundo a página oficial desta campanha. O projeto, "Cadavre Exquis", que serve para apresentar a mostra sobre sua obra no Festival Internacional de Cinema de Toronto, organizado pelo Museu de Arte Moderna de Nova York, começou com uma frase escrita pelo próprio diretor no Twitter, sob o usuário @BurtonStory. "Stainboy, usando seus dotes especiais, foi chamado para investigar uma misteriosa substância pegajosa no solo da galeria", digitou o realizador de obras como "Alice no País das Maravilhas". A partir daí os usuários podem postar suas ideias usando a hashtag #BurtonStory - não há limite na hora de enviar textos - e os melhores, de acordo com Burton, serão incorporados à história. O desafio começou nesta segunda-feira e vai até 6 de dezembro. Até agora, foram publicadas 13 colaborações que mantêm a continuidade da história. A primeira vez que Burton apresentou este personagem foi em "The World of Stainboy", uma série de curtas de animação feitos em 2000, e voltou a aparecer no livro "The Melancholy Death of Oyster Boy". (EFE) ___________________________________________________________________________________ Ilustradora de moda, Maureen Miranda abre mostra com suas obras em SP (16/11/10)
Entre os dias 18 e 29 de novembro de 2010, 42 ilustrações da curitibana Maureen Miranda, que já trabalhou com Colcci e Cavalera, estarão expostas no TU Mercado de Arte e Moda, em São Paulo. Sobre o nome da exposição “Queen of Myself”, a artista sintetiza: “Rainha de mim mesma é um grito de auto-preservação, é um delicado carinho nas tintas que me fazem viver. Porque em momentos da minha vida, eu, como todas as mulheres, precisei me amar mais do que nunca, mais do que qualquer coisa”. Os traços suaves, românticos e extremamente femininos são feitos com bico de pena, canetinha, nanquim e colagens. Os desenhos expostos também estarão à venda, com preços entre R$ 500 e R$ 2300. Queen of Myself _ De 18 a 29 de novembro de 2010 / TU Mercado de Arte e Moda: Av. Pedroso de Moraes, 793 – São Paulo Tel.: (11) 3816-3100. (Ana Pinho - FFW)
No vídeo abaixo, Maureen mostra um pouco de seu processo criativo e fala de sua trajetória.
___________________________________________________________________________________ Katy Perry lança nova fragrância chamada Purr em Londres (13/11/10)
Katy Perry lançou na tarde desta sexta-feira (12) sua mais nova fragrância, chamada Purr. A cantora pop, que recentemente se casou com o ator Russell Brand, apostou em um modelito roxo e bem ajustado ao corpo durante o evento realizado na loja Selfridges, em Covent Garden, Londres. Atenciosa com os fãs, Katy recebeu o carinho de duas meninas, que usaram tiaras parecidas com as que a cantora usa em seus shows e a presentearam com um cartaz personalizado.
___________________________________________________________________________________ Dakota Fanning ganha versão boneca inspirada na personagem Jane da saga "Crepúsculo" (04/11/10)
Depois de Kristen Stewart, Robert Pattinson e Taylor Lautner, foi a vez de Dakota Fanning ganhar sua versão boneca. A fabricante de brinquedos Mattel desenvolveu uma boneca inspirada na personagem Jane da saga "Crepúsculo" e até o famoso casacão da vampira foi reproduzido para o brinquedo. Segundo o site Celebuzz, a boneca custa U$25 e estará disponível a partir de março de 2011. ___________________________________________________________________________________ Casa de Lennon em Londres ganha placa em homenagem ao ex-Beatle (23/10/10)
Yoko Ono, a viúva do ex-Beatle John Lennon, participou na manhã deste sábado (23) da inauguração de uma placa da English Heritage, o órgão de preservação histórica da Inglaterra, na primeira casa em que ela e John moraram juntos, em Londres, informa o tabloide The Sun. A residência, localizada no número 34 da Montagu Square, no bairro de Marylebone, foi comprada por Ringo Starr em 1965. Paul McCartney também morou lá, e John e Yoko se mudaram para o local em 1968, ficando na casa até 1971, quando partiram para Nova York. Eles ocuparam o porão e o andar térreo do prédio. "Essa casa traz muitas memórias para mim e é uma parte muito interessante da nossa história. Neste ano que marca o 70º aniversário de John, eu sou grata a todos vocês por celebrar a ele e a esta parte de sua vida em Londres, onde ele produziu tanto de sua grande música e arte", disse Yoko, antes de puxar a corda que revelou a placa azul. ___________________________________________________________________________________ Karl Lagerfeld assina projeto de ilha luxuosa nos Emirados Árabes (13/10/10)
Ele não para! Karl Lagerfeld é estilista, fotógrafo, diretor e, agora, embarca em uma nova empreitada: o projeto de uma ilha de luxo nos Emirados Árabes. Em parceria com uma empresa de arquitetura e um grupo hoteleiro americanos, o todo-poderoso da Chanel desenhou um espaço de 600.000 m² a ser construído na costa de Dubai. A ilha de Lagerfeld será batizada de Isla Moda – ou, em bom português, “ilha da moda”. A empresa de arquitetura irá construir 150 unidades residenciais e três hotéis de luxo no local.
O espaço tem, ao todo, 600.000 m². Foto: Divulgação __________________________________________________________________________________ Veja a loja da marca italiana Prada da dupla alemã Elmgree e Dragset (01/10/10)
Em uma estrada deserta perto da cidade de Marfa, Texas nos Estados Unidos, você poderá achar a loja mais isolada possível da marca italiana Prada. Desde 2005, a grife instalou esta pequena loja fechada sem clientes ou vendedores com apenas 20 saltos esquerdos e seis bolsas da coleção outono/inverno 2005 que a própria Miuccia Prada escolheu. A instalação na verdade é um “projeto de arte e arquitetura pop” feito pela dupla de artistas alemãs Elmgree e Dragset que representa o tempo na moda. Arte ou não, é mais divertido que um posto de gasolina.
__________________________________________________________________________________ Concurso britânico “Nailympics” de unhas postiças premia criações bizarras (24/09/10)
Unhas pintadas em degradê, imitando os sapatos Louboutin e meia lua não chegam perto das criativas unhas postiças do concurso “Nailympics”, que acontece anualmente no Reino Unido. Considerado os Jogos Olímpicos da manicure, o evento reúne 354 participantes, de 24 países. Lá estão mãos que exibem miniaturas de bichos, flores, revólver, pendurados nas pontas das unhas. "Este é um dos concurso mais importantes do mundo", opina Carmelina Gandolfo, de 32 anos, do time italiano.
___________________________________________________________________________________ Artista queniano Ivan Lovatt transforma arame de galinheiro em bustos de artistas (21/09/10) 
Arames de cerca de galinheiro viraram arte nas mãos do artista queniano Ivan Lovatt, que transformou o material em bustos de John Lennon, Michael Jackson, Cate Blanchett, Bob Marley, Abraham Lincoln e Albert Einstein. As esculturas foram feitas com a sobreposição de camadas e torção do arame. Confira abaixo:
Albert Einstein. Foto: Reprodução www.toxel.com
Michael Jackson
Bob Marley
Abraham Lincoln
John Lennon
Cate Blanchett ___________________________________________________________________________________ Era um vez (“Il était une fois") do escritor francês Benjamin Lacombe (19/09/10)
Você poderá agora rever seus personagens preferidos de contos de fadas como Pinocchio e a Bela Adormecida graças a este lindo livro pop-up “Il était une fois” ou “Era um vez” do autor francês Benjamin Lacombe. Você poderá achar o livro que contém oito contos a partir de novembro 2010 por R$54.

___________________________________________________________________________________ Robbie Williams e Gary Barlow voltam a se apresentar juntos ao vivo (13/09/10)
(Gary Barlow e Robbie Williams se apresentaram juntos e ao vivo pela primeira vez em 15 anos) Robbie Williams e Gary Barlow levaram uma multidão ao delírio durante uma apresentação marcante. Durante a participação no evento Help For Heroes, os cantores voltaram a se apresentar juntos ao vivo. É a primeira vez que eles cantam juntos após 15 anos. Os cantores, que um dia fizeram parte do grupo Take That, provaram que fizeram as pazes e se abraçaram no palco e na frente dos fãs.
A dupla cantou para 60 mil pessoas, com direito a presença de príncipe Harry, no Twickenham Stadium, em Londres, de acordo com o jornal inglês “Daily Mail”. A dupla e outros e nomes da música ajudaram o órgão de caridade Heroes – que auxilia membros das forças armadas. A multidão aplaudiu no momento o qual o vocalista do Take That entrou no palco e Williams curvou-se para ele. No final de agosto, eles promoveram juntos o clipe "Shame" (Vergonha), a primeira produção depois do tempos de Take That. Na ocasião, a dupla participou de um programa de rádio, nos estúdios da Radio 1, em Londres, e deram uma entrevista para Chris Moyles.
____________________________________________________________________________________ Estilista Karl Lagerfeld mostra seu lado fotógrafo em exposição (11/09/10)
A fotografia faz parte da vida de Karl Lagerfeld tanto quanto a moda, segundo o próprio estilista da Chanel. E embora seu trabalho em ateliês de costura seja mais conhecido do que os atrás de uma câmera, o fato é que – cada vez mais – esta sua faceta vem sendo apresentada ao público. “Parcours de travail” , exposição que irá abrir em Paris no dia 15, na Maison Européenne de la Photographie, mostra este lado do criador.
Lagerfeld fotografa para revistas de moda e também é o responsável pelas campanhas das marcas que dirige. Recentemente, por exemplo, estava fotografando para a Chanel imagens que darão a cara da coleção de 2011. A mostra que será apresentada revela imagens que já são conhecidas por terem sido expostas em capas e editorias de revistas e em anúncios publicitários, e também as imagens mais experimentais de Lagerfeld, que começou a se envolver com fotos em 1987.
“Admiro os fotógrafos que entraram para a posteridade por causa de uma só foto”, disse Lagerfeld em entrevista sobre a exposição. “Imagens que estão marcadas na memória coletiva do mundo civilizado como ‘The White Fence’ de Paul Strand, ‘The Blessed Art Thou Among Women’ de Gertrude Kasebier e ‘Le soldat espagnol mourant’ de Capa”, diz. Ele cita também Richard Avedon, que com imagens como "Dovima et les éléphants”, colocou a fotografia de moda em um novo patamar. “Gosto, principalmente, da fotografia do fim dos século 19 e começo do 20. Tenho paixão por Stieglitz, Steichen, Clarence White, Demachy e Alvin Langdon Coburn... A fotografia da Alemanha dos anos 20 – e todos que se influenciaram por ela como Helmut Newton, Peter Lindbergh ou Ellen Von Unwerth - me tocam profundamente.” A mostra fica em cartaz até 31 de outubro.
___________________________________________________________________________________ Modelo inglesa Kate Moss é capa do CD de Bryan Ferry (09/09/10)
Kate Moss, que já foi capa de mais de 300 revistas ao redor do mundo, agora estampa o novo álbum do cantor Bryan Ferry, intitulado "Olympia". Em entrevista ao site "Daily Mail, o cantor disse que considera a modelo a "femme fatale" de nossa Era: "Normalmente uso mulheres desconhecidas para as capas de meus CDs, mas dessa vez achei que seria uma boa ideia ter a Kate, afinal, ela é a 'femme fatale' de nossa Era."
Com um olhar sedutor e deitada em uma cama com lençois brancos, a top inglesa de 36 anos posou um com imenso colar de diamantes, em um ensaio produzido no "Sunbeam Studios", em Londres. __________________________________________________________________________________ Chris Pine, Cher e Joe Manganiello, de "True Blood", apresentarão premiação (07/09/10)
Chris Pine, Cher e Joe Manganiello, astro da série "True Blood", foram confirmados como apresentadores do Video Music Awards (VMA), promovido pela MTV americana. ___________________________________________________________________________________ Morre cartunista Paul Conrad, vencedor de 3 Pulitzer (04/09/10)
O cartunista Paul Conrad, conhecido por suas provocativas charges políticas que lhe valeram três Prêmios Pulitzer, morreu hoje aos 86 anos. Conrad morreu por causas naturais em sua casa em Rancho Palos Verdes rodeado de familiares, informa o jornal californiano "Los Angeles Times". Poucos foram os políticos famosos que escaparam das sarcásticas charges em preto e branco de Conrad, um dos cartunistas mais proeminentes da segunda metade do século XX.
As caricaturas eram amadas ou odiadas, mas nunca deixavam opiniões indiferentes durante os mais de 50 anos de carreira. Seus trabalhos, de postura liberal, cutucavam políticos e enfureciam os mais conservadores. Conrad ganhou três Prêmios Pulitzer (1964, 1971 e 1984), uma façanha só igualada por outros dois cartunistas na era posterior à Segunda Guerra Mundial. Ele trabalhou entre 1964 e 1993 como cartunista-chefe do Los Angeles Times, além de fazer trabalhos para vários outros periódicos no mundo. Durante mais 30 anos, esteve vinculado ao diário The Times. Conrad deixa uma esposa, Kay King, ex-jornalista do jornal The Denver Post, e quatro filhos, dois homens e duas mulheres. __________________________________________________________________________________ Antologia de John Lennon incluirá 13 gravações inéditas (02/09/10)
Treze gravações caseiras inéditas de John Lennon, algumas versões ao vivo e de ensaios escritos serão incluídos na antologia "Gimme Some Truth", que chegará às lojas em 4 de outubro para comemorar o 70º aniversário do nascimento do beatle.
(O cantor John Lennon chega ao estúdio The Hit Factory, em Nova York, em agosto de 1980) A EMI informou hoje em seu site os detalhes da reedição das gravações que John Lennon fez sozinho após o fim dos Beatles em 1970. O projeto inclui a publicação da caixa "The John Lennon Signature Box", com oito álbuns da carreira solo de Lennon que foram remasterizados a partir de fitas originais. Com a supervisão pessoal da viúva do artista, Yoko Ono, a coletânea faz parte da celebração do nascimento de John Lennon que em 9 de outubro completaria 70 anos. ___________________________________________________________________________________ Rihanna beija sua estátua de cera no famoso museu Madame Tussauds em Washington (31/08/10)
Rihanna fez pose beijando sua réplica de cera, nesta semana. A cantora ganhou uma estátua no famoso museu Madame Tussauds, em Washington D.C. Mesmo sem conseguir participar do evento de lançamento, na manhã desta terça-feira (31), Rihanna deu uma conferida na obra na semana passada, antes de viajar de férias para o Havaí.
Em entrevista à "People", um porta-voz do museu contou que ela "amou" a estátua de cera. Vestindo um espartilho preto rendado, jaqueta e calças da mesma cor e salto alto, além de um anel de diamante, a peça foi confeccionada inspirada no visual de Rihanna durante a Paris Fashion Weel, em outubro do ano passado. __________________________________________________________________________________ Em Paris, Martin Scorsese filma seu primeiro longa em 3D (24/08/10)
O cineasta Martin Scorsese (de 'Os infiltrados' e 'Ilha do medo'), ao lado de uma assistente, filma em Paris seu primeiro longa em 3D. Imagens divulgadas pela agência de notícias France Presse mostram parte do set da produção nesta terça-feira (24), nas ruas da capital francesa. 'A invenção de Hugo Cabret' (com Ben Kingsley, à direita) conta a história de um menino órfão de 12 anos que vive escondido na estação de trem da Paris da década de 1930. (Foto: Bertrand Guay/AFP)
A história, que já tem data para ser lançada nos EUA – 9 de dezembro –, deve contar com Sacha Baron Cohen, Ben Kingsley, além de Asa Butterfield, como o menino Hugo. O livro foi adaptado para as telas pelo roteirista John Logan, que já havia trabalhado com Scorsese em 'O aviador'. (Foto: Bertrand Guay/AFP) __________________________________________________________________________________ Van de 'Lost' é destaque entre itens da série de TV leiloados nos EUA (23/08/10) O item que atingiu o maior valor de venda no leilão de itens usados em 'Lost' ocorrido neste fim de semana nos Estados Unidos foi uma Kombi azul pertencente à iniciativa Dharma na série. O carro foi arrematado por US$ 47,5 mil, segundo o blog 'Vulture', da revista 'New York Magazine'. Outros itens que fizeram sucesso entre os fãs saudosos da série encerrada neste ano foram o diário do personagem Faraday e o espelho do farol de Jacob (vendido por US$ 27,5 mil). Mais de mil itens foram a leilão em Santa Monica.
O evento foi fruto de uma parceria com a ABC Studios e a casa de leilões Profiles in History e aceitou lances online, por telefone ou feitos pessoalmente. A maioria dos objetos era referente a peças de roupas utilizadas pelos personagens ao longo dos seis anos de duração do seriado. Mas também havia peças do avião que é destruído no episódio piloto da série, além de garrafas de água e fileiras de poltronas do voo 815. __________________________________________________________________________________ Lady Gaga, líder do Twitter, publica foto ao lado de integrante do Kiss (21/08/10)
(Lady Gaga publicou uma foto ao lado de um dos integrantes do Kiss, Paul Stanley)
Lady Gaga publicou uma foto ao lado de um dos integrantes do Kiss. A cantora, famosa pelo visual excêntrico, divulgou a imagem na noite de sexta-feira (20) e escreveu "Gaga Rainha do Twitter". Momentos antes, ela ainda dividiu com seus seguidores uma outra foto - desta vez ao lado de toda a banda e usando um look ousado.
No mesmo dia, segundo o site "Just Jared", o fenômeno pop superou no número de seguidores Britney Spears e se tornou a líder. Conforme mostrou o serviço de microblog, às 22h30, Gaga possui 5,676,658. Já a princesinha do pop tem 5 676 410. Ashton Kutcher é o terceiro colocado a lista com 5 555 412 seguidores. __________________________________________________________________________________ Black Eyed Peas: começa venda de ingressos para show em São Paulo (17/08/10)
Os ingressos para o show do Black Eyed Peas em São Paulo começaram a ser vendidos nesta terça-feira (17). O grupo encerra a passagem por nove cidades brasileiras no dia 4 de novembro, no estádio do Morumbi. Os fãs podem adquirir as entradas, que custam entre R$ 100 (arquibancada laranja) e R$ 600 (pista golden) no site www.livepass.com.br, ou pelo telefone 4003-1527.
Quem preferir também pode ir na Bilheteria 1 do Estádio do Morumbi, até sexta-feira (20), das 10 às 18h ou no Estacionamento Piso G1 do MorumbiShopping (a partir de quarta, 18), das 12 às 20h de segunda a sábado e das 14 às 20h aos domingos. Há outros dois pontos, sujeitos à taxa de conveniência. A apresentação na capital paulista terá a participação especial do DJ David Guetta. Acompanhe a agenda do Black Eyed Peas no Brasil: ___________________________________________________________________________________ Belle &Sebastian revela data do novo álbum (16/08/10)
O novo álbum do Belle & Sebastian sai no dia 11 de outubro no Reino Unido e dia 12 nos EUA. A banda acabou de revelar a data em seu site oficial, junto com a capa e um preview de uma música “I Want The World To Stop”. Belle And Sebastian Write About Love será o primeiro lançamento da banda escocesa desde o bem-recebido The Life Pursuit, de 2006. Se os rumores se confirmarem, os brasileiros poderão ouvir o material novo em primeira mão este ano, no Planeta Terra ou em algum outro festival. Cruzem os dedos! (Victor Bianchin) __________________________________________________________________________________ Stylist Rachel Zoe e suas frases de efeito (11/08/10)
Rachel Zoe, stylist queridíssima em Hollywood, é conhecida por lançar frases (em seu reality show) que marcam o mundo da moda. Uma dessas frases é “I die”, ou, “morri”, expressão que ela usa quando ama um look. A edição de setembro da revista Harper’s Bazaar decidiu homenagear a frase típica de Zoe no editorial em que ela aparece sendo assasinada por alguns de seus estilistas favoritos como Marc Jacobs, Michael Koors e Vera Wang. [Styleite]
__________________________________________________________________________________ Atriz Kristin Bauer de "True Blood", diz que passa fome para vestir figurino da série (10/08/10)
A atriz Kristin Bauer, 36, que interpreta a vampira Pam na série "True Blood", disse que precisa passar fome para caber nos figurinos sensuais de sua personagem. Em entrevista ao site "PopEater", a atriz foi ainda mais longe e decretou que ser atriz é sentir um vazio constante no estômago. "Eu percebi que se eu quero continuar nesse ramo, eu vou sentir fome", declarou.
"A câmera realmente engorda então eu tenho que ficar mais magra do que eu quero aparecer na televisão. Isso me força a ficar leve e provavelmente está aumentando minha expectativa de vida", brinca. Ela confessa que passou a malhar mais depois das primeiras provas de figurino de Pam quando percebeu que teria que deixar sua barriga de fora. "Eu passei a ir à academia três vezes mais do que ia antes". __________________________________________________________________________________ Pete Doherty é fotografado comendo seringa (09/08/10)
Ex-namorado de Kate Moss e vocalista da banda "Babyshambles", o britânico Pete Doherty foi fotografado comendo seringas para um ensaio denominado "À Table". A imagem do cantor, mais conhecido pelos escândalos protagonizados pelo uso frequente de drogas como cocaína e heroína, faz parte de uma nova coleção do fotógrafo Steve Wells, que retratou pessoas comendo objetos incomuns para "explorar a obsessão por nossos desejos consumistas".
Em seu site oficial, Wells contou ainda que a escolha das seringas foi do próprio Doherty. "Eu estava tomando um café, então mostrei algumas das imagens e ele me perguntou se poderia posar para mim. Fiquei surpreso quando disse que queria comer seringas. Apesar de todas suas besteiras, ele parece um cara verdadeiramente inteligente", afirmou o fotógrafo. _________________________________________________________________________________ Rihanna se apresenta com looks ousados no Canadá (06/08/10)
Rihanna seguiu em viagem com sua turnê "Last Girl on Earth Tour". A popstar visitou o Canadá e se apresentou no Molson Amphitheatre, em Toronto, usando looks ousados. A estrela levou o público ao delírio em Toronto, na quinta-feira (5).
Entre os modelitos, a estrela da noite esteve com figurino colado ao corpo e decorado com tiras brancas. Já outra roupa foi composta por cap, botas de couro e top inusitado. Recentemnte, Rihanna lançou um novo clipe em parceria com Eminen. A produção conta ainda com a participação de Megan Fox. __________________________________________________________________________________ Ke$ha se veste de urubu para premiação da MTV no Japão (30/05/10)
A cantora Ke$ha se vestiu de urubu ontem, sábado, no Video Music Awards do Japão! É tendência! Ke$ha é animalesca, né? Lá na premiação da terra do sol nascente, Ke$ha cantou”Tik Tok” e “Your Love is My Drug”.(Papel Pop)
__________________________________________________________________________________
Segredo de beleza da Madonna? O creme Adobe Photoshop! (20/05/10)
Dá pra passar até no olho e mudar a cor dele! Uau! Serve para o dia, para a noite, para o tapete vermelho, para as capas de CDs, para os ensaios de revistas e aprovado por ninguém mais, ninguém menos que Madonna! É o creme rejuvenescedor da Adobe Photoshop!(Papel Pop) ___________________________________________________________________________________ Lady Gaga está na lista das mais influentes do mundo, segundo a "Time" (29/04/10)
A cantora Lady Gaga aparece na lista dos 25 artistas mais influentes do mundo publicada pela revista norte-americana "Time" nesta quinta-feira. Além de estar na lista de artistas mais influentes, Gaga também está no ranking de personalidades que se destacaram em outras categorias.
O texto dos artistas mais influentes do ano foi escrito pela cantora Cindy Lauper, ícone pop da década de 90. Para ela, "a arte de Lady Gaga retrata o período que vivemos agora". A lista traz ainda nomes como a diretora de "Guerra ao Terror" e vencedora do Oscar Kathryn Bigelow, a apresentadora Oprah Winfrey, os atores Robert Pattinson e Ashton Kutcher e a cantora country Taylor Swift. __________________________________________________________________________________ Christina Aguilera tá diabinha na capa do single, “Not Myself Tonight”! (23/03/10)
Ela tá vindo aêêê! Christina Aguilera já tem música nova estreando nas rádios no dia 29 de março. Isso se a faixa não vazar antes… O primeiro single, “Not Myself Tonight”, é parte do novo CD da cantora, chamado “Bionic”. (Papel Pop) _________________________________________________________________________________ Avril Lavigne encarna Alice, em clipe da trilha do filme de Tim Burton na música “Alice (Underground)” (18/02/10)
O clipe completo de “Alice (Underground)” foi divulgado. Avril Lavigne fez a música especialmente para a trilha sonora de ‘Alice no País das Maravilhas’. No clipe, ela encarna Alice. Veja abaixo Avril Lavigne entrando no buraco do coelho em “Underground”. O filme, vai sair com exibição em 3-D. Johnny Depp, Mia Wasikowska, Anne Hathaway, Alan Rickman, Matt Lucas, Michael Sheen, Helena Bonham Carter, Crispin Glover, Christopher Lee e Eleanor Tomlinson formam o elenco. Tokio Hotel, 3OH!3, Franz Ferdinand e Metro Station são alguns nomes do albúm. O lançamento está previsto para dia 2 de março.
Almost Alice chegará às lojas no dia 2 de março, nos EUA.
Confira a lista de músicas na íntegra: 1. “Alice (Underground)” – Avril Lavigne 2. “The Poison” – All-American Rejects 3. “The Technicolor Phase” – Owl City 4. “Her Name Is Alice” – Shinedown 5. “Painting Flowers” – All Time Low 6. “Where’s My Angel” – Metro Station 7. “Strange” – Tokio Hotel and Kerli 8. “Follow Me Down” – 3OH!3 featuring Neon Hitch 9. “Very Good Advice” – Robert Smith 10. “In Transit” – Mark Hoppus with Pete Wentz 11. “Welcome to Mystery” – Plain White T’s 12. “Tea Party” – Kerli 13. “The Lobster Quadrille” – Franz Ferdinand 14. “Running Out of Time” – Motion City Soundtrack 15. “Fell Down a Hole” – Wolfmother 16. “White Rabbit” – Grace Potter and the Nocturnals ___________________________________________________________________________________ Novo diretor Ray Tintori é queridinho de Spike Jonze e aposta de Hollywood (07/01)

Gente nova em Hollywood não é novidade (as safras de atores e atrizes se renovam a cada mês), mas essa vale a menção: o diretor Ray Tintori desponta como promessa do cinema para os próximos anos. Apadrinhado por Spike Jonze, Tintori vai dirigir o filme “Light Boxes” (ainda sem tradução), uma adaptação de um romance de Sharon Jones produzido por Jonze.

Ray Tintori: diretor é revelação de Hollywood, foi premiado em Sundance e irá dirigir filme produzido por Spike Jonze © Divulgação

Ray começou a ganhar destaque dirigindo videoclipes para as bandas dos seus amigos de faculdade, como MGMT (“Time to Pretend”, “Kids”), o premiado “Evident Utensil” do grupo Chairlift, além de Cool Kids e The Killers. Em artigo publicado na New York Magazine, ele explica que não quer ser visto como mais um hipster em uma cena. “Eu dirigi os vídeos do MGMT porque eles são de Wesleyan também [...] Não quero ser conhecido como um daqueles Brooklyn Kids que fumam maconha o dia inteiro e ficam olhando pra gatos“.

Natural de Nova York, Tintori estudou cinema na faculdade Wesleyan. “Eu não quero terminar a faculdade, mas estou experimentando coisas novas. Todo vídeo que eu faço é como uma aula“. A experimentação é o que pauta o diretor – isso e os orçamentos baixos, que ajudam a promover soluções criativas, o aspecto artesanal e as tecnologias baratas.

Em 2008, ele ganhou o prêmio de “Melhor Curta-metragem” no festival de Sundance com o filme “Death to the Tinmman”, inspirado no texto original de “O Mágico de Oz”. Assista abaixo a parte um (e veja aqui a parte dois). Atenção para a ótima trilha sonora, composta por Glory At Sea/Death:

Comentar

Você precisa ser um membro de universomovie para adicionar comentários!

Entrar em universomovie

Badge

Carregando...

U/Fashion Films

models.com

Holiday

coverholiday

Holiday magazine releases an all Scotland issue More...

Vídeos

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

We are so Droeë

Katlin

Publication: Vogue Japan December 2014 Model: Katlin Aas Photographer: Andreas Sjodin Fashion Editor: Hair: Make-up:

fashion editorials.com

Editorial Exclusive : Veronika V(Wilhelmina LA) by Ted Emmons for FE!

Photographer: Ted Emmons @ 7 Artist Management  Stylist: Rafael Linares @ One Represents  Stylist Assistant: Frida Lofgren Manicurist: Karen Guiterrez @ Nailing Hollywood Mua: Brittany Meredith Hair: Sal Salcedo Model: Veronika V. @ Wilhelmina  

Smile

Kati Nescher, Alessandra Ambrosio & Edita Vilkeviciute in Vogue Spain November 2014 by Alexi Lubomirski


Triple beauties Edita Vilkeviciute, Alessandra Ambrosio & Kati Nescher sit pretty with natural set make-up and dressed in attire by the fall collection by Christian Dior for the November issue of Vogue Spain, with photography by Alexi Lubomirski.


Geral Cinema

'Big Hero 6' explora amor japonês por animações em Festival de Tóquio renovado

Foto: Mario Anzuoni/Reuters
Os personagens de animê japoneses Hello Kitty e Doraemon exibiram seus dotes no tapete vermelho nesta quinta-feira, quando a animação da Disney Operação Big Hero 6 deu a largada no Festival de Tóquio, de cara nova e investindo no amor dos japoneses por animações....

© 2014   Criado por universomovie.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço