Aventura I O Sétimo Filho | Crítica (12/03/15)

O Sétimo Filho  não engana ninguém. Nem a si mesmo. Da ambientação aos efeitos especiais, essa fantasia adolescente quer buscar espaço em um gênero abarrotado de exemplares genéricos. Para essa tarefa são escalados dois atores de renome, Julianne Moore e Jeff Bridges, que ao lado de Ben Barnes tentam dar vida ao livro de Joseph Delaney. O peso da dupla vencedora do Oscar, porém, não é o suficiente para tirar o filme do grupo de obras esquecíveis.

Não há falhas técnicas evidentes como em Crepúsculo, pois o visual de O Sétimo Filho  é digno e não distancia o espectador da fantasia sugerida. Todas as criaturas e os pequenos cenários pelos quais elas transitam são reconstruídos de maneira crível. Há certo valor de produção no longa. Por outro lado, não existe um roteiro fluido e de impacto como Jogos Vorazes, fazendo outra comparação de gênero semelhante. Aqui, os diálogos são tão previsíveis quanto infantis, como em Eragon, outra adaptação cinematográfica trágica.

Na história, John Gregory (Bridges) é um Caça-Feitiço, uma espécie de caçador de criaturas malignas, em busca de um aprendiz. Após anos falhando, sua última esperança é o jovem Thomas Ward (Barnes), o sétimo filho de um sétimo filho, que logo na primeira missão precisa enfrentar a Mãe Malkin (Moore), uma das bruxas mais poderosas da região protegida por Gregory. Ela é capaz de se transformar em um dragão gigante, além de comandar uma série de criaturas nas redondezas.

O que deveria diferenciar O Sétimo Filho dos demais é o seu ponto fraco principal. Moore e Bridges atuam além do modo automático. É verdade que os diálogos não ajudam, pois sempre descambam para as infâmia ou canastrice. Ainda assim, nada justifica os exageros performáticos de Jeff Bridges, que com caras e bocas transforma Gregory em um mentor inverossímil e preguiçoso. A vencedora do Oscar 2015 até procura embutir classe e temor aos passos de Malkin, mas não foge das risadas em eco e olhares apertados dos clássicos vilões de terceira categoria em mundos fantásticos.

Enquanto os estúdios apostarem em fantasias juvenis sem investir em roteiros bem adaptados, não existirão atores que salvem tais produções. O trabalho feito em O Sétimo Filho é um exemplo do quão negativo pode ser uma empreitada como essa, pois nem sequer cria vontade de conhecer o material original. [Thiago Romariz]

**

Aventura  I  'Guardiões da Galáxia' empolga e diverte a plateia   (29/07/14)

Aguardado filme da Marvel estreia nesta quinta-feira (31) no Brasil

Não é preciso ser fã dos quadrinhos da Marvel para se entusiasmar com Guardiões da Galáxia (Guardians of the Galaxy), que chega nesta quinta-feira (31) aos cinemas brasileiros. Com roteiro e personagens bem-humorados, o filme diverte a plateia e deixa um gostinho de quero mais. A história se passa fora da Terra, depois que Peter Quill (Chris Pratt) perde a mãe e é abduzido por uma nave espacial. Anos depois, quando já não é mais uma criança, ele é perseguido por Ronan (Lee Pace), um homem ambicioso que ameaça o universo, pois Peter se apossou de uma esfera capaz de destruir tudo.

E é por conta desta caçada que Quill vai se juntar a outros aventureiros e formar os tais Guardiões com a finalidade de proteger todo mundo da destruição. Além dele, há o guaxinim atirador Rocket (com voz de Bradley Cooper), a árvore mutante humanoide Groot (com voz de Vin Diesel), a alienígena mortal e mal-humorada Gamora (Zoe Saldana) e o vingador Drax, o Destruidor (Dave Batista).

Um dos acertos do diretor James Gaunn é a escolha de Pratt para viver o protagonista. O ator, que faz parte do elenco da série Parks and Recreation, consegue transitar entre o humano sem graça levado sem querer ao espaço e o super-herói que a trama demanda. Sua mania de ouvir as canções na fita K7 que era de sua mãe, em seu walkman bastante démodé (ou será vintage?), inspira cenas desconcertantes e engraçadas, com danças típicas dos humanos. Sem contar as disputas com Gamora e a falta de conhecimento das metáforas de Drax, que entende tudo ao pé da letra.

Mesmo que em passagens rápidas, são marcantes ainda as participações de Glenn Close, como a líder militar Nova Prime Irani Rael, e Benício Del Toro, em uma versão platinada, como o obsessivo O Colecionador. Também estão lá os efeitos especiais para dar vida aos super-heróis, inclusive em versão 3D, mas eles não são cansativos. Ao contrário. Ajudam contar a história e dar vida à imaginação.

E assim como em outros filmes da Marvel, como Homem de Ferro, Capitão América e Os Vingadores, há uma cena ao final dos créditos. (A de Thor: O Mundo Sombrio foi com Del Toro como O Colecionador.) A cena, porém, não foi apresentada na sessão reservada para a imprensa. (GQ)

**

Aventura  I  O Espetacular Homem-Aranha | Novo trailer revela cenas inéditas   (03/06/12)

O Espetacular Homem-Aranha (The Amazing Spider-Man) ganhou um novo trailer. A prévia, editada para o mercado australiano, revela cenas inéditas; assista:

O Espetacular Homem-Aranha estreia em 6 de julho. A Sony anunciou recentemente que os roteiristas Alex Kurtzman e Roberto Orci (de Star Trek e Transformers) escreverão a continuação.

**

Aventura I Trailer japonês de O Espetacular Homem-Aranha,  tem várias cenas inéditas do filme   (15/04/12)

O recomeço das histórias do Homem-Aranha  no cinema, O Espetacular Homem-Aranha (The Amazing Spider-Man),  ganhou um novo trailer. Produzido para o mercado japonês, o trailer tem  dois minutos de vários relances inéditos:

O Espetacular Homem-Aranha estreia em 6 de julho. MH

**

Aventura I A história visual do Lanterna Verde,  herói da DC Comics, que chega aos cinemas brasileiros  (19/08/11)

Integrante da Liga da Justiça, o Lanterna Verde é um dos principais personagens da DC Comics. Porém, diferentemente de Batman e Super-Homem, ainda permanece pouco conhecido do grande público.

Com a estreia nesta sexta-feira (dia 19) de "Lanterna Verde", adaptação das HQs que conta a origem do herói, a editora pretende apresentar o universo em que ocorrem suas histórias, formado por crises intergalácticas e alienígenas de diversas formas e cores.

Veja abaixo a origem e os principais momentos do Lanterna Verde.

Badge

Carregando...

U/Fashion Films

models.com

High Noon

Noon Magazine’s third issue keeps the British biannual on its artistic tracks. <a href="http://models.com/feed/?p=58453" title="High Noon">More...</a>

Vídeos

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

We are so Droeë

Beauty Story

Publication: Flair Magazine March 2015 Model: Julia Banas Photographer: Alvaro Beamud Cortes Fashion Editor: Sissy Vian Make-up: Martina D’andrea

fashion editorials.com

REVS Digital #7 – Walk the Dark – Margaux Brooke (Major Paris) by Nicolas Guerin

Photographer: Nicolas Guerin Stylist: Julien Balmain Makeup artist: Annabelle Petit @ Agence Aurelien Makeup artist Assistant: Camille Osscini Hair stylist: Raphaël Mariage Model: Margaux Brooke @ Major Paris Thanks to L’Atelier Studio-Demoriane

The post REVS Digital #7 – Walk the Dark – Margaux Brooke (Major Paris) by Nicolas Guerin appeared first on Fashion Editorials.

Smile

Iris Strubegger in Harper's Bazaar Spain May 2015 by Raf Stahelin


White Night - Photographer Raf Stahelin captures the beauty of Iris Strubegger whom wear soft and delicate pieces in all0whie looks with the likes of Isabel Marant, Kenzo, Vionnet, & Azeedine Alaia, styled together by Mika Mizutani for the May issue of Harper's Bazaar Spain. Hair by Cyril Laloue, Make-up by Lloyd Simmonds. 


Full Post

© 2015   Criado por universomovie.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço