360° I Forever 21 abre mais três lojas e fecha 2014 com 11 estabelecimentos no Brasil (16/12/14)

FFW

Forever 21 inaugura três lojas no mesmo dia no Brasil ©Divulgação

Neste sábado (20.12), a Forever 21 inaugura não uma, mas três novas lojas no Brasil: na Rua Haddock Lobo e no Bourbon Shopping, em São Paulo, e em São Bernardo do Campo, no Golden Square Shopping. Com esses estabelecimentos, a fast fashion encerra 2014, seu primeiro ano de atividades no país, com 11 pontos de venda.

“A localização das novas unidades foi escolhida cuidadosamente, com base no potencial que apresentam para atender os consumidores brasileiros”, afirmou Linda Chang, general merchandising manager da Forever 21, em comunicado oficial. Espaçosos, os estabelecimentos contam com mais de 1000 metros quadrados e reúnem vestuário, acessórios, bijuterias e cosméticos, novidade que desembarca nas prateleiras nacionais bem a tempo do Natal. Outra boa notícia é que a loja da Haddock Lobo vai contar com a Forever 21 Men, linha masculina até então disponível apenas nos pontos de venda do shopping Vila Olímpia, na capital paulista, Village Mall, no Rio, e em Porto Alegre.

A Forever 21 chegou ao Brasil no último mês de março com o espaço localizado no Morumbi shopping, em São Paulo – vale lembrar da fila de mais de mil pessoas que se formou na porta do estabelecimento na ocasião. Além de São Paulo, a rede está presente hoje também no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Brasília.

Inauguração de três lojas da Forever 21
Sábado, 20 de dezembro, às 10h
Loja Jardins – Rua Haddock Lobo, 1.550, Jardins, São Paulo
Bourbon Shopping – Rua Turiassú, 2.100, Perdizes, São Paulo
Golden Square Shopping – Avenida Kennedy, 700, Jardim do Mar, São Bernardo do Campo

**

360°  I Smashbox I Marca de maquiagem americana escolhe São Paulo para a abertura de sua primeira loja   (13/12/14)

Uma ano depois de se lançar no Brasil, a Smashbox decidiu experimentar e abrir uma pop-up store inédita. A equipe de Marie Claire foi conferir, em primeira mão, todos os detalhes da novidade, que contará com aulas automaquiagem

São Paulo foi a cidade escolhida para receber a primeira loja da marca (Foto: Divulgação)

Em outubro de 2013, a Smashbox desembarcou no Brasil com todo o seu portfólio de produtos desenvolvidos pelo top fotógrafo Davis Factor, dentro de um estúdio, em Los Angeles. Um ano depois, com o sucesso alcançado, a marca decidiu dar um passo a diante e lançar por aqui a primeira loja do mundo. São Paulo foi a cidade escolhida para receber a pop-up store exclusiva. A inauguração acontece neste sábado (13), no Shopping Pátio Higienópolis.
Com uma arquitetura inspirada em um estúdio fotográfico, o fundo infinito chama atenção logo na entrada. “Aqui é onde as clientes poderão testar na prática os produtos da marca. O nosso DNA precisava estar representado de alguma maneira”, conta Paula Pontes, diretora geral da Estée Lauder.

ALÉM DE PRODUTOS, CONTARÁ COM AULAS DE AUTOMAQUIAGEM (Foto: Divulgação)

Além de todas as linhas, a loja contará com cursos express de automaquiagem. Os serviços gratuitos contemplam aulas de combinação de primer – best sellers da marca -, pele perfeita, diferenciação de BB e CC cream, olho esfumado e delineador gatinho. “A ideia é que, com elas, as clientes aprendam a usar em casa os itens que acabaram de adquirir”, explica Paula. Em paralelo, dois pagos – e que exigem agendamento prévio - também serão oferecidos: Camera Ready (R$ 200) e Shape Matters (R$ 350), esta ministrada quinzenalmente pela treinadora da marca Helena Alves. E o melhor: o valor é revertido em produtos!

Mas as novidades não param por ai. Em 2015, dois grandes lançamentos estão programados e prometem potencializar o seu make e nécessaire.

OS PRIMERS FORAM OS PRIMEIROS PRODUTOS LANÇADOS PELA MARCA E VIRARAM BEST SELLERS (Foto: Divulgação)

**

360°  I Netshoes lança site de varejo de moda    (08/12/14)

Com produtos femininos, masculinos e infantis, a Netshoes expande sua área de atuação e abre a loja virtual Zattini, que irá ao ar nos próximos dias.

O novo e-commerce terá operação separada da empresa-mãe, mas terá toda infraestrutura de serviços já consolidado pela mesma como modelos de entrega – até no mesmo dia para as principais regiões – e Central de Relacionamento 24h.

No início da operação, o foco será em calçados e acessórios, mas a empresa expandirá continuadamente o mix de produtos ao longo de 2015. Inicialmente serão disponibilizados mais de 12 mil produtos de 70 marcas como Calvin Klein, Colcci, Levis, Diesel, Lacoste, Dumond, Jorge Bischoff, Vizzano, Luz da Lua, Democrata, Cavalera, entre outras. [L'Officiel]

Home Page do e-commerce, que entra ao ar em poucos dias

**

360°  I Arte portátil: Thomas Cohn abre primeira joalheria de arte da América Latina    (01/11/14)

Dois anos depois de fechar sua galeria, Thomas Cohn volta ao mercado à frente da primeira joalheria de arte da América Latina

Dois colares do acervo do novo espaço: Kitchen Necklace, de Gesine Hackenberg; e Red Purple Land, de Annelies Planteijdt (Foto: Thinkstock, Reprodução e Divulgação)

Quando uma joia deixa de ser joia para se tornar uma obra de arte? Essa foi a primeira pergunta que me fiz quando soube que o consagrado galerista Thomas Cohn, que revelou ao mercado nomes como Adriana Varejão, Leonilson e Leda Catunda, anunciara sua volta ao mercado para inaugurar a primeira galeria de joias da América Latina. “Já assimilamos a fotografia, a performance e a videoinstalação como arte. O que faz uma peça ser uma obra não é o suporte que o artista escolhe para criá-la, e sim a forma como ela é feita”, define Cohn. “Alexander Calder, Picasso, Man Ray e Salvador Dalí produziram joias belíssimas. Teríamos coragem de dizer que um colar único feito por algum deles não é arte?”.
Instituições como o MoMA e o Met parecem ter captado esse movimento de expansão dos suportes artísticos mais rápido do que muitas galerias, tanto que ambos já possuem joias extraordinárias em suas coleções permanentes. “Sinto que finalmente o Brasil está pronto para dar esse passo também”, comemora o alemão, que durante 30 anos esteve à frente da galeria que levava seu nome, fechada em 2012. Os artistas representados pelo novo espaço Thomas Cohn são, em sua maioria, europeus, principalmente pela tradição do continente na formação de artistas joalheiros.
Entre os eleitos está a alemã Bettina Speckner, que apresentará a primeira exposição solo do espaço este mês.Seu trabalho mistura pintura, fotografia e joalheria.(ANA CAROLINA RALSTON)


Galeria Thomas Cohn: Rua Joaquim Antunes, 187, São Paulo.
Até 15 de novembro

Este é apenas um trecho da matéria "Arte Portátil". Leia o texto na íntegra na edição de outubro da Vogue Brasil.

**

360°  I Ford Models e Kee Mod unem forças e passam a ser uma única agência   (31/10/14)

Higor Bastos - FFW

Décio Ribeiro, Denise Céspedes e Rodrigo Toigo © Reprodução

Duas importantes agências de modelos no atual cenário da indústria nacional, a Ford Models Brasil, sob comando de Denise Céspedes e Décio Ribeiro, e a Kee Mod, sob cuidados de Rodrigo Toigo, anunciaram hoje a sua união.

A Ford, há 24 anos no mercado, passa por um plano de expansão de negócios, que inclui a contratação de novos funcionários, reestruturação do casting, a criação da Ford Management e da Ford Men, a implementação de um sistema de scouting mais agressivo e a mudança de sede da agência.

O primeiro grande passo foi a contratação de Rodrigo Toigo como diretor do Ford Management, que cuidará dos modelos do high fashion. Rodrigo é o grande responsável pela notável ascensão da Kee Mod, agência que hoje em dia possui um dos melhores casting de new faces no Brasil. Vale lembrar também que foi o lugar onde nomes como Waleska Gorczevski, Luma Grothe, Jamily Meurer e Isabela Eing despontaram no mercado. Junto com ele, profissionais como Gustavo Grota, Accacio Scarpelinni, Lucas Aquino e  Felipe Sardelli se unem a equipe. A partir de hoje, a empresa Kee Mod está fechada.

Além disto, será criada a Ford Men, que dará uma maior atenção aos modelos masculinos, que hoje representam 30% do faturamento da agência.

Também contratada, Tatiana Gorentzvaig será a responsável pelo scouting de novas modelos, além de dar um direcionamento para a carreira dos pupilos novos.

Até o final do ano, a Ford Models estará de mudança para um novo endereço,  um espaço com mais de 500 m² e pé direito alto que vai abrigar, além do escritório, um estúdio fotográfico.

**

360°  I Victoria Beckham é a empreendedora mais bem sucedida do Reino Unido   (28/10/14)

FFW

Victoria Beckham posa em sua primeira loja em Londres ©Divulgação

A revista de negócios “Management Today” elegeu Victoria Beckham como a empreendedora mais bem sucedida do Reino Unido em 2014. A lista completa com 100 empresários de sucesso da região foi divulgada nesse domingo (26.10), cerca de um mês após a inauguração da primeira loja da grife em Londres.

O pódio foi conquistado, principalmente, devido às vendas expressivas, ao número de empregos criados e a performance geral da empresa nos últimos tempos. Em cinco anos de existência, a marca da ex-Spice Girl saltou de £ 1 milhão (ou R$ 4,02 milhões) para £ 30 milhões (o equivalente a R$ 120 milhões) em vendas e de três para 100 funcionários no mesmo período.

Victoria, cuja marca é cotada hoje em £ 210 milhões (cerca de R$ 844 milhões), se tornou “uma empresária de moda extremamente talentosa”, concluiu a “Management Today”. No ranking, ela superou nomes de peso das mais diversas áreas, como Amit & Meeta Patel, fundadores do grupo farmacêutico Auden Mckenzie, e Julian Dunkerton, da rede de roupas Supergroup, entre outros.

“Ela tem um negócio real, algum talento para o design e algum tino para o comércio”, disse o editor interino da publicação, Andrew Saunders, ao “The Telegraph“. “Ela recebe muitas críticas por ser uma celebridade fashionista, mas eu não acho isso justo. Ela construiu algo real fora de sua própria fama, o que é uma história muito contemporânea. Ela deve ser celebrada.”

**

360°  I Paris ganha museu sobre a obra de Pierre Cardin   (16/10/14)

L'Officiel

O novo espaço dedicado ao trabalho do estilista está prestes a abrir no Marais

pierre-cardin-3115

Oito anos após a inauguração do primeiro museu Pierre Cardin em Saint-Ouen, na França, um novo espaço dedicado ao trabalho do estilista está prestes a abrir no Marais, em Paris.

Inteiramente dedicado à obra do estilista nonagenário, o  Pierre Cardin Museum reunirá uma grande variedade de roupas, acessórios e objetos do designer.

pierre8

A ambição do novo espaço é traçar o caminho da moda desde a sua criação nos anos 50 até os dias de hoje.

O museu Pierre Cardin, localizado na rua Saint-Merri, será inaugurado no dia 13 de novembro… Essa é a sua oportunidade de descobrir, ou redescobrir, o universo de uma das principais figuras da moda francesa.

**

360°  I Exposição “Alexander McQueen: Savage Beauty” estreia em Londres    (13/10/14)

FFW

Imagem da primeira edição da exposição “Alexander McQueen: Savage Beauty”, em Nova York ©Getty Images

Quem perdeu a exposição “Alexander McQueen: Savage Beauty”, em 2011, vai ter uma nova chance de conferir a incensada mostra no ano que vem. O londrino Victoria & Albert Museum recebe a retrospectiva do estilista britânico a partir do dia 14 de março e promete, mais uma vez, quebrar recordes – vale lembrar que a edição nova-iorquina da exposição, realizada no MET, obteve 661.509 visitantes, maior número já contabilizado pelo museu em um único evento.

Para isso, a aposta do Victoria & Albert são 30 novas peças e uma seção inédita que vai focar nas raízes de McQueen em seus tempos de jovem talento em Londres. A mostra vai partir da coleção de formatura do estilista na prestigiada Central Saint Martins, em 1992, e passar pelos seus sete primeiros desfiles, que chamaram atenção ao extrapolar os limites entre moda e arte performática – característica que ele trabalhou ao longo de toda sua carreira.

“[A nova seção vai trazer] em certo sentido, peças mais cruas – quando não havia nenhuma produção e ele estava fazendo muitas delas sozinho”, comentou a atual diretora criativa da Alexander McQueen, Sarah Burton, ao portal WWD. Mas, mesmo nos primeiros anos da trajetória do estilista, já era possível observar algumas de suas marcas registradas, segundo ela. “Quando você olha para o portfólio de formatura de Lee [primeiro nome de McQueen]… naqueles croquis há tanta informação que ele usou mais e mais e retrabalhou depois. Talvez seja um período diferente, mas eram as mesmas mãos. Isso é o mais interessante, estava tudo lá desde o início”, completou.

“Alexander McQueen: Savage Beauty” fica em cartaz na capital britânica até o dia 19 de julho. Sem dúvida, um programa imperdível para quem estiver de passagem por Londres no ano que vem.

**

360°  I Suzy Menkes faz um tour pela novíssima loja de Victoria Beckham em Londres   (25/09/14)

Suzy Menkes

O display metálico de óculos na loja VB (Foto: Divulgação)

O display metálico de óculos na loja VB (Foto: Divulgação)

“Não quero que as pessoas tenham medo de entrar,” disse Victoria Beckham, enquanto a pesada porta de concreto, com seus altos painéis, abria, revelando sua primeira loja.

De onde veio aquela palavra “Posh” para descrever a ex-Spice Girl? Pois a loja que abre esta semana em Londres na Mayfair’s Dover Street não é “posh” – ou um chique falso – e sim um ato de classe.

Enquanto Victoria subia pela escadaria monolítica de concreto polido, desenhada pelo escritório Farshid Moussavi Architecture, ficou claro que, em termos de moda, ela chegou com tudo.

O monumental teto na nova loja VB (Foto: Divulgação)

 

A estilista cuidou de cada pedaço de nogueira, vidro verde e até do teto com sua grade diagonal que dá ao interior um look monumental em termos de espaço, mas de acolhimento por conta de sua matéria-prima. 

“É muito importante que os  homens possam vir e assistir – como David, que às vezes vai fazer compras comigo”, diz Victoria, explicando que móveis modulares podem ser colocados e reagrupados no grande espaço para roupas  no andar de cima. É aqui que David Beckham poderia ficar para descansar e se reabastecer enquanto comprador.

Flutuando sobre os três andares, só o teto de concreto “precisou de sete empreiteiros, sete dias por semana durante nove semanas” para ser criado, de acordo com Victoria, que deliberadamente escolheu uma arquiteta que não está acostumada a desenhar espaços de varejo.

Victoria-Beckham (Foto: Divulgação)

O efeito geral é de uma grandeza moderna. A construção é moderna, minimalista, e só a escadaria já parece uma escultura.

A partir do térreo, com sua coleção de jeans e VVB a preços mais acessíveis (de £510 até  £1.195), compradoras olham por um painel de vidro para outra área de vendas abaixo.

Tudo começa com bolsas, aqueles distintivos de honra para qualquer marca de glamour. Sobre as prateleiras brancas, atraindo consumidoras, estão bolsas sem frescuras em tons de pink-blush e creme, seguidas por shopper bags em preto com uma espiral de escarlate e pequenas clutches vermelhas com alça de corrente dourada. Os preços são altos, mas não catastroficamente altos  (as shoppers custam £995).

Victoria Beckham (Foto: Divulgação)

“No momento em que as pessoas chegam à loja, elas sentem a marca vista por meus olhos,” diz Victoria, exibindo os itens menores de couro que são uma  nova categoria para sua marca. Os preços para as carteiras, porta-cartões de crédito, chaveiros e argolas para chave vão de £150 a £480.

À medida que andamos pela loja, meu olho foi atraído por óculos de sol metálicos em tons de rosa choque e azul turquesa sobre uma torre de prateleiras de metal e vidro. Mas aquela construção fria foi montada sobre bancos em format de diamante em madeira de nogueira com veios.

Não consegui descobrir se o zigue-zague das grades em tom dourado fosco foram feitas para parecer um V de Victoria. .

As roupas eram a cara dela, como vestidinhos enxutos em branco, preto, vermelho e alguns de bolinhas. Pareciam quase pequenos demais para seus sólidos cabides de nogueira dourada. Os preços desses vestidos começam em torno de £500.

 (Foto: Divulgação)

Em nosso tour, Victoria chamou minha atenção para algo realmente grande: os provadores, para que você não tenha que estar na área de personal shopping para se sentir confortável e acolhida. E em vez de ter uma caixa registradora, a loja tomou o caminho da Apple, recebendo pagamentos nos dispositivos digitais das vendedoras.

Segui Victoria escada acima. Ela se equilibrava sobre saltos finos como agulha, com calças pretas estreitas e uma blusa larguinha.

No grande espaço do andar de cima, com sua disposição flexível de móveis, discutimos como ela ve o desenvolvimento de sua marca em lojas físicas. O plano de Victoria e David, em associação com seu mentor e um terço acionista Simon Fuller da  XIX Entertainment, é focar na loja de Londres, e então abrir em Nova York. Outras cidades-chave virão depois.

“Gosto muito de crescer em um ritmo estável – atenção aos detalhes é tão importante,” a estilista diz, explicando que depois de seis anos desenvolvendo roupas e acessórios, com sapatos e pequenos itens de couro sendo a categoria mais nova, ela enxerga um sutil desenvolvimento para os próximos cinco anos.

 (Foto: Divulgação)

As roupas aqui na coleção de pret-a-proter são sua edição pessoal: elegantes, enganosamente simples, e caras (de £900 a £3.000 para vestidos de noite, com um vestido custando £5.800). Está aproximadamente em consonância com outras marcas de luxo.

Olhando pelas janelas e para o outro lado da rua, pode-se ver o Dover Street Market, o dinâmico e experimental empório de design desenvolvido por Adrian Joffe com Rei Kawakubo da Comme des Garçons.

“VB”, como é conhecida na área da moda, não está alegando ser ousada ou especialmente inventiva. Mas ela se dedica a suas coleções e conseguiu criar um ambiente que espelha seu desejo pelo elegante e enxuto.

Não tenho certeza se as escadas de concreto serão user friendly para sua filha, mas seria ótima para adolescentes cheios de energia. E conhecendo Victoria e como ela é apaixonada pela loja, aposto com ela irá trazer seus filhos para que corram por aqui e vejam sua mais nova grande aventura.

**

360°  I Rede de fast fashion Topshop fecha sua loja no shopping Iguatemi em São Paulo   (23/09/14)

FFW

Fachada da Topshop no shopping Iguatemi ©Reprodução

Em julho, publicamos uma notícia que falava sobre as dívidas de quase R$ 1 milhão da Topshop e de um possível encerramento de suas operações no Brasil.

Nesta segunda (22.09), a Topshop fechou as portas de sua loja no Iguatemi, ação que faz parte de uma estratégia de realocação e não tem a ver com as dívidas, segundo a assessoria de imprensa. Porém, não há informações sobre quando ou onde ela será aberta. De acordo com a coluna do jornalista Álvaro Leme no portal R7, a marca encerrou sua operação no Iguatemi mesmo. Ainda segundo a assessoria, a marca tem planos de abertura de uma loja em Curitiba e em outras capitais do país. Já o Iguatemi disse que não comenta relações comerciais com os lojistas.

A rede de fast fashion entrou no Brasil em 2012 e, além da loja no Iguatemi, ainda tem pontos de venda no shoppings JK Iguatemi e Market Place, ambas em São Paulo, e no Iguatemi Ribeirão Preto.

No site global da TS, o endereço do Iguatemi ainda consta no store finder e não há nenhuma menção do fechamento da loja na página do Facebook que a marca tem no Brasil.

A Topshop é um negócio bilionário, controlado pelo grupo Arcadia, e conta com mais de 300 lojas só no Reino Unido e mais de 400 espalhadas por quase 40 países. O segredo de seu sucesso está na agilidade que detonou a febre do fast fashion: roupas com as tendências vistas nas passarelas de grandes marcas desejo, que chegam às lojas muito antes e por um preço baixo.

**

360°  I Ex-WGSN e Stylesight, Jorge Grimberg abre empresa de conteúdo e comunicação    (16/09/14)

Camila Yahn - FFW

Jorge Grimberg entrevista Oskar Metsavaht para o site Style.com ©Divulgação

Jorge Grimberg, 32, é bom conhecido dos profissionais de moda. Durante anos trabalhou em dois grandes portais de análise de tendências e comportamentos, o WGSN e o Stylesight, onde teve contato com empresas de portes e necessidades diferentes. A experiência trouxe conhecimento de mercado e o fez enxergar os gaps na comunicação, no marketing e no conteúdo no trabalho de muitas marcas. O próximo passo foi abrir seu próprio escritório, o Grimberg Creative Studio, em que reúne tudo o que aprendeu e estudou para atender empresas de forma personalizada. Jorge também escreve para sites como Style.com, The Business of Fashion e o nosso FFW. Morando em Nova York, ele falou ao FFW sobre o atual momento e como seu novo negócio pode fazer a diferença.

Você trabalhou em dois grandes bureaus de tendências e agora abriu uma empresa própria. O que é esse seu novo negócio?

Minha empresa chama-se Grimberg Creative Studio. Tudo começou com indicações de amigos que acompanham o meu trabalho. Eu trabalhei quatro anos no WGSN, onde fazia marketing, conteúdo e vendas. Comecei muito cedo a fazer palestras de tendências em eventos de moda pelo Brasil e, entre outras coisas, me especializei em marketing através de parcerias criativas. Conseguíamos envolver os clientes diretamente nos eventos da empresa e, assim, eles promoviam suas marcas. Em 2008, fui convidado para trazer o Stylesight para o Brasil, um dos maiores desafios da minha carreira. O Stylesight era uma empresa pequena de Nova York que havia desenvolvido uma tecnologia nova de pesquisa de tendências e eu iria competir com o WGSN, que era um gigante e dominava o mercado completamente. Foram sete anos com o Stylesight. Os primeiros foram muito difíceis, mas quando deixei a empresa em fevereiro de 2014, tínhamos mais de 250 clientes no Brasil e um faturamento de mais de US$ 1 milhão. Foi trabalhando diretamente com empresários no Stylesight e WGSN que eu acabei me envolvendo de maneira diferente com as marcas, dando sugestões e caminhos que iam além dos serviços que as empresas ofereciam. Vi que existia a necessidade de algo novo, algo direcionado especialmente para o mercado brasileiro.

O que você pode oferecer de novo ou diferente?

Cada empresa que trabalho tem uma necessidade diferente. Minha especialização é comunicação e conteúdo. Seja através de um blog, um canal de vídeos no youtube, uma parceria criativa ou uma pesquisa de tendências que pode definir os caminhos que a empresa irá seguir. A minha entrega é super personalizada e meu contato é sempre pessoal. Eu não me posiciono como alguém que tem as respostas, eu trabalho como parte das equipes e desenhamos os projetos juntos.

Quem é o seu target? 

Meu target são empresas de moda e lifestyle, mas agora posso pegar somente mais dois ou três clientes. Por enquanto, não tenho planos de crescer mais do que isso, pois assim consigo atender pessoalmente as empresas com as quais trabalho e dedicar tempo para escrever. Estou muito interessado em trabalhar com empresas que não são de moda, mas que querem ter uma linguagem cool e comunicar-se com profissionais criativos.

Quem são seus clientes nesse início de trabalho?

A DM9DDB foi meu primeiro cliente. Eles me contrataram para desenvolver pesquisa de tendências exclusiva e confidencial para a C&A em reports semanais e mensais. Nós trabalhamos juntos há quase dois anos. Depois veio a Arezzo. Com o desenvolvimento de um site inteligente e funcional, passei a criar uma linguagem da marca na internet, com painéis de tendências e um blog tutorial, que ensina como usar as tendências propostas por eles. Aí veio o f*hits. A rede de blogs da Alice Ferraz estava crescendo muito rápido e criando uma nova história para a moda em um terreno novo. Criei junto com a Alice um canal de vídeos no YouTube do f*hits, onde já alcançamos mais de dois milhões de acessos. Agora, além de hospedar os blogs da rede, é um portal de lifestyle da marca f*hits.

E sua mudança para Nova York?

Tive vontade de expandir internacionalmente e recentemente me mudei para lá para tocar dois projetos. O primeiro é uma agência de networking. Hoje as marcas de moda e de bens de consumo precisam se conectar com formadores de opinião o tempo todo, definir quem são as pessoas que representam cada marca. Estou trabalhando nesse projeto em parceria com a (assessora de imprensa) Helena Augusta. Já temos um cliente de Nova York, o Hotelied, que é uma rede de relacionamentos de hotéis que quer conversar com o universo da moda. O segundo projeto é o meu foco principal para o futuro e envolve o desenvolvimento de um portal internacional com foco no Brasil, que vai sincronizar com todo o trabalho da minha agência.

Você tem algum sócio?

Eu trabalho sozinho com uma assistente jornalista e braço-direito que me ajuda demais e com a Helena Augusta para essa nova frente de projetos de networking e conexões. Em Nova York tenho sócios no novo projeto.

Você colabora para diversos veículos. Escrever é uma paixão também?

Minha grande paixão é escrever. Eu conquistei um espaço no mercado internacional falando sobre Brasil. Comecei no The Business of Fashion há dois anos, antes do site tornar-se uma bíblia de moda, e escrevi matérias muito importantes sobre o SPFW. Fui o primeiro a falar sobre uma crise de identidade na moda nacional e fui criando uma voz própria. Hoje tenho uma coluna semanal todas as quintas no Style e todas as sextas no “O Estado de S. Paulo” e colaboro sempre que possível aqui no FFW. Adoro abordar temas que fazem as pessoas pensarem sobre comportamento de moda, sobre por que consumimos e como montamos nosso estilo. Às vezes me criticam demais porque eu pego pesado criticando o comportamento de consumo no Brasil. Quero fazer as pessoas pensarem. Fico feliz até com críticas negativas porque sei que as pessoas estão lendo! A ideia realmente é questionar para causar transformação. Eu quero ser esse agente da transformação na moda brasileira.

**

360°  I O début de Cameron Diaz como diretora artística da Pour La Victoire    (09/09/14)

Veja as peças da primeira coleção de Cameron Diaz, apontada diretora artística da marca Pour La Victorie em julho de 2013

Cameron Diaz mostou o resultado de seu début como diretora artística da Pour La Victoire nesta terça-feira (09.09). A atriz foi apontada para o cargo em julho de 2013, após ter criado algumas coleções-cápsulas para a marca francesa de acessórios. "Quando comecei a trabalhar nos sapatos desta linha a moda eram plataformas extremamente altas. E isso não era algo que eu estava necessariamente usando porque já tenho altura demais. Tenho mania de associar sapatos e funcionalidade. E é isso que estamos trazendo de volta", disse à Vogue britânica. 
"Praticamente uso só sapatos sem salto quando estou em Nova York, mas se encontro um par de saltos com o qual consigo andar pela cidade não tiro dos pés. Já em Los Angeles, por passar muito tempo dentro do carro, uso bastante salto. E adoro botas com saltos porque posso me movimento com agilidade e quero algo que não saia do lugar. Exatamente por isso que na minha linha para Pour La Victoire alguns sapatos têm tirasaqui e ali, porque você precisa de algo que fique bonito mas também não saia do pé sem dar muito trabalho", arrematou a neo-designer.  

CAMERON DIAZ (Foto: )

 Cameron Diaz (Foto: )

A primeira coleção de Cameron Diaz para Pour La Victoire (Foto: Reprodução)

**

360°  I Dover Street Market comemora 10 anos com instalações e itens especiais    (02/09/14)

A loja conceito de Rei Kawakubo recebe intervenções de artistas, eventos e coleções especiais criadas para comemorar a data

A fachada by Rei Kawakubo (Foto: Divulgação)

Dover Street Market, megastore conceito idealizada por Rei Kawakubo, completa 10 anos na próxima semana. E, para comemorar a data, o espaço vai receber diversos eventos, instalações, além de itens especiais criados em parceria com marcas presentes ali.

foto (Foto: )

As tendas com os itens especiais feitos para o evento (Foto: Divulgação)

 
A própria Rei Kawakubo se engajou na comemoração e criou alguns itens especiais e selecionou pessoalmente outros, como flip-flopes, canecas e shopping bags que estarão dispostas em tendas espalhadas pela loja. Já outros estilistas criaram peças especiais: Simone Rocha fez brogues prateados, já Stella McCartney uma edição limitada de t-shirts infantis, por exemplo.
foto (Foto: )
No porão, o sneaker space e os objetos de casa feitos pela CdG em parceria com a marca japonesa D & Department (Foto: Divulgação)
 

Segundo Adrian Joffe, presidente da Comme des Garçons International, empresa que detém o DSM, a ideia é que a celebração "envolva tudo sobre o Dover Street Market: sua essência, espírito, seus detalhes, suas abstração, os grande nomes famosos e os pequenos pouco conhecidos". A frase explica a escolha da fachada mutante: a partir de segunda-feira (08.09) até o dia 15.09, será a coleção de inverno da Louis Vuitton, a primeira assinada por Nicolas Ghesquière, que estará nas vitrines. A partir do dia 15, ela será susbstituída por um display criado por English, um jovem estilista britânico que já assinou espaços para o DSM em Nova York. Depois, a loja toda será revestida por uma instalação desenhada por Kawakubo: posters e cartazes com aspas da estilista serão colados na estrutura que cobre o prédio.

 (Foto: )

Instalação de Tom Price na área de joias e, ao lado, o provador artsy (Foto: Divulgação)

 

Já dentro da loja, o mix segue o mesmo padrão: no primeiro andar, ao lado do espaço dedicado ao ready-to-wear da Louis Vuitton, funcionará o Nike Lab, onde uma editada seleção de sneakers - inclusive o feito especialmente para o evento, o modelo Blazer Low todo branco com o logo do DSM - estará disponível. Algumas escadas abaixo, no porão, será possível encontrar vários itens de papelaria e objetos simples para casa feitos pela Comme des Garçons (marca de Rei Kawakubo) com a empresa japonesa D & Department.

foto (Foto: )

Mais imagens do interior da loja (Foto: Divulgação)

**

360°  I Karlie Kloss abre as portas de seu apartamento em Manhattan   (31/07/14)

Entre na townhouse da top americana Karlie Kloss no West Village, em Manhattan, um canto para chamar de seu depois de seis anos sem endereço fixo

Kloss, usando vestido Narciso Rodriguez e flats Tabitha Simmons, em frente de seu étagère da Currey & Company (Foto: Jason Schmidt)

"Não estou acostumada a ser eu mesma numa foto”, reclama Karlie Kloss, que, apesar dos protestos, parece perfeitamente confortável. Exibindo naturalmente seu sorriso meio moleque e inclinada sem esforço contra o balcão da cozinha, ela é a supermodel em pessoa. Ainda assim, sua queixa procede: desde os 15 anos, Kloss vem aperfeiçoando a arte de incorporar a visão de outra pessoa, tendo posado para todos os fotógrafos de moda que interessam nesta década. Entretanto, representar a si mesma, na primeira casa que pode chamar de sua – uma townhouse no West Village comprada apenas no ano passado –, claramente a tira da zona de conforto.
É compreensível: poucas pessoas aos 21 anos têm condições de comprar uma primeira casa tão impressionante quanto a de Karlie, num dos bairros mais valorizados de Manhattan. “Trabalhei duro para chegar onde estou.” Isso é fato. Vejam só: apenas nas últimas cinco semanas, ela viajou a trabalho para Zurique, Londres, voltou a Nova York, foi para Madri, Londres de novo, Nova York, Londres pela terceira vez, St. Barth’s, de volta a Nova York, finalmente um bate-volta em Paris. Com esse ritmo e roteiro seguidos à risca nos últimos seis anos, não surpreende que Kloss nunca tenha se sentido em casa em lugar algum. Mas, ao chegar à casa dos 20 – em sua fase adulta de fato –, ela percebeu que finalmente era hora de plantar raízes.

Kloss, de Marc Jacobs, sentada em banqueta coberta por tecido de Nate Berkus. (Foto: Jason Schmidt)

Karlie procurou por dois anos antes de encontrar esta townhouse um pouco escondida, coberta de plantas, em uma rua tranquila a alguns quarteirões do rio Hudson. Ela gostou da sensação de estar no West Village e do pequeno jardim na frente da casa, onde poderia plantar flores e ervas. Mas sofreu para arrumar a parte interna: “Não tinha nenhuma experiência em decorar ou ser proprietária de imóvel”, conta. “Sabia que queria torná-lo meu, mas não tinha muita noção de como fazer isso.” 
Foi aí que entrou em cena Nate Berkus, que Kloss conhecia por suas aparições em Oprah e a quem foi apresentada por um amigo em comum. Os dois resolveram criar um ambiente que refletisse tanto o estilo pessoal de Kloss quanto sua idade, combinando ganchos de ferro da Anthropologie com espelhos feitos sob medida. Os cômodos são luxuosos sem parecerem lotados de raridades inadequadamente caras. “Quis misturar e combinar da mesma maneira que faço com moda – usando, por exemplo, um blazer de alfaiataria Saint Laurent com uma camiseta da H&M”, explica a top, que mesclou um papel de parede de plumas chiquérrimo da Lee Jofa com cortinas da Restoration Hardware, uma espécie de Ikea mais adulta e sofisticada.

Kloss, de Marc Jacobs, sentada em banqueta coberta por tecido de Nate Berkus. (Foto: Jason Schmidt)

Kloss, de Marc Jacobs, sentada em banqueta coberta por tecido de Nate Berkus. (Foto: Jason Schmidt)

Espelho de dentículo e corda da Croft Antiques misturado com um banco coberto de pele de ovelha da Ikea e um abajur de latão da One King’s Lane (Foto: Jason Schmidt)

Espelho de dentículo e corda da Croft Antiques misturado com um banco coberto de pele de ovelha da Ikea e um abajur de latão da One King’s Lane (Foto: Jason Schmidt)

Conforto e aconchego são prioridades – daí a predominância de tons neutros e tecidos com texturas gostosas como o banco de pele de ovelha na sala ou o papel de parede de fibra vegetal em um canto da cozinha. Kloss e Berkus também deixaram espaço para a casa “crescer”. Ainda que o quarto de hóspedes, no andar de cima, seja atualmente o lugar onde “você joga tudo e fecha a porta”, como Kloss o chama, em algum momento ela planeja convertê-lo em escritório para seus muitos projetos paralelos – incluindo a ONG que faz biscoitos vegan, a Karlie’s Kookies. (EMILY HOLT)

Este é apenas um trecho da matéria "Casa própria". Leia o texto na íntegra na edição de junho da Vogue Brasil.

A obra de arte by Lukas Machnik na parede é destaque na sala de estar, com décor em tons neutros e detalhes em dourado (Foto: Jason Schmidt)

A obra de arte by Lukas Machnik na parede é destaque na sala de estar, com décor em tons neutros e detalhes em dourado (Foto: Jason Schmidt)

 Vaso, R$ 815, Ligne Roset; Poltrona Giramundo R$ 12.024, Decameron; Abajur Íon, R$ 1.020, Bertolucci; Almofada, R$ 523, Artefacto; Buda, R$ 150, Le Lis Casa na Shop2gether; Cadeira R$ 1.704, Kare; Almofada, R$ 360, 6F Decorações para Dany Home; Mesa lateral, R$ 990, Carbono (Foto: Divulgação)

Vaso, R$ 815, Ligne Roset; Poltrona Giramundo R$ 12.024, Decameron; Abajur Íon, R$ 1.020, Bertolucci; Almofada, R$ 523, Artefacto; Buda, R$ 150, Le Lis Casa na Shop2gether; Cadeira R$ 1.704, Kare; Almofada, R$ 360, 6F Decorações para Dany Home; Mesa lateral, R$ 990, Carbono (Foto: Divulgação)

**

360°  I Dudu Bertholini assina direção criativa de desfile e fala sobre fase mais feliz de sua vida   (03/04/14)

FFW

Dudu Bertholini fazendo carão ao lado da estilista da Movimento, Tininha da Fonte ©Paulo Reis/Agência Fotosite

Dudu Bertholini vive uma nova fase em sua vida, que acredita ser a de maior liberdade criativa. Nesta quinta-feira (03.04), ele estreou na direção criativa de um desfile, assinando o trabalho com a Movimento. Mas não é só nesta frente que ele vem atuando. Após o fechamento da confecção da Neon (marca dele e da estilista Rita Comparato), em junho, Dudu tem se dedicado a uma série de projetos, que vão desde um documentário até a curadoria de uma exposição. Nesta quinta, logo após o desfile de Pedro Lourenço – em que ele assinou o styling –, Dudu, que vinha de uma semana de jornada de trabalho de até 15 horas diárias, estava visivelmente feliz, muito feliz. Entre um desfile e outro, ele ainda conversou com o FFW sobre sua nova fase. Confira os principais trechos.

Sobre a atuação como stylist: “Comecei minha carreira como stylist. Entrei na Santa Marcelina no ano de 1997, e naquela época eu não sabia o que eu queria fazer. Ironicamente, a única coisa que eu sabia era que eu não queria ser estilista. Quando entrei na faculdade, eu me imaginava sendo jornalista, fazendo jornalismo de moda. Mas assim que eu comecei a cursar a Santa Marcelina, percebi que eu queria por a mão na massa, que a minha grande paixão era construir imagens de moda. É assim que eu me vejo: um construtor de imagens de moda, um narrador. E qualquer mídia ou ação onde eu puder colocar isso em prática, está valendo. Seja no estilismo, no styling, no vídeo, no discurso. Eu tinha na época 17 anos, e comecei a trabalhar como assistente. Meu primeiro trabalho foi no extinto evento Phytoervas Fashion. E rapidamente comecei e ser assistente de várias pessoas. E no ano em que eu me formaria na faculdade, no final dos anos 2000, eu assinei o meu primeiro styling sozinho, que foi o da Carlota Joakina. De 2000 para 2001, comecei a assinar meus desfiles sozinho, e até 2003 me dediquei exclusivamente a styling. Naquela época, fiz todas as marcas jovens, fiz Colcci, Zapping, Carlota Joakina. Eu me dedicava exclusivamente a isso, fiz de publicidade a desfiles, catálogos, fui consultor da Arezzo, fiz treinamentos de moda pelo Brasil todo.”

Sobre como foi voltar a trabalhar para a família Coelho Lourenço: “A sensação que eu tive de voltar à fábrica do Pedro, que tinha 8 anos na época, foi muito irônico, porque eu percebi como a vida também é cíclica.”

Sobre como concilia a Neon e seus projetos: “Eu conheci a Rita na faculdade, e quando foi no ano de 2002 para 2003, a gente começou um exercício totalmente livre de estilo que foi fazer maiôs para a cidade. A gente nunca imaginava que isso se tornaria a Neon ou que ela ocuparia um posto de empreendimento profissional mais incrível que eu tive na vida. Mesmo nos primeiros anos da Neon, eu me dividia entre o styling e a marca. Lembro que no primeiro desfile da Neon, eu saí e fui correndo para a prova de make da Zapping. Tinha desfiles que eu saía e já tinha outro. Só que a Neon começou a crescer, e em 2004 ou 2005 eu meio que abandonei o styling para me dedicar à marca. Lógico que foi bom, que a minha paixão pelo styling continuou a ser exercitada na Neon, já que eu sempre assinei os stylings dos desfiles, sempre fiz a imagem da marca ao lado da Rita. Já prevendo a mudança, esse novo formato de negócio, de a gente fechar a confecção e passar a licenciar produtos, a gente transformou a Neon num escritório de branding, de marketing, e estamos licenciando produtos para outras empresas. Já há mais ou menos uns dois anos, o styling começou a aparecer de uma forma mais forte. Hoje, os licenciamentos são a minha principal aposta profissional, tanto da marca Dudu Bertholini quanto da Neon. Com o meu nome, eu tenho licenciamentos de óculos de sol, malas de viagem, mochilas escolares, cadernos e agendas. Da Neon, estou lançando uma linha de confecção na semana que vem com uma empresa que se chama Artmaia, e também uma linha de bolsas, com preços mais acessíveis e populares, com uma empresa taiwanesa. Quando eu faço licenciamento, também faço a direção criativa das campanhas. Não desenho só o produto, uso toda essa minha estratégia de marketing e divulgação.”

Sobre a nova fase: “Assim que a Neon mudou, essa estrutura física da empresa, e esse compromisso diário da confecção e dos funcionários, isso me liberou muito mais para outros projetos. Acho que faz dois anos que eu comecei realmente a atuar agressivamente em várias frentes. E essa semana é praticamente a semana marcante de tudo que eu plantei nesses últimos dois anos. Estou fazendo o styling do Pedro hoje, estou fazendo toda a direção e o styling do desfile da Movimento, onde eu concebi o cenário, chamei os profissionais de beleza, de make, a trilha, tudo bem ou mal sou eu que assino. E aqui no Pedro foi um desafio fantástico, já que a gente tem estilos opostos, mas que se complementaram num trabalho como esse. Sexta-feira é a estreia do meu documentário que eu fui personagem e curador, que se chama “De Gravata e Unha Vermelha”, sobre pessoas que transgridem gênero no século 21. Ou seja, documentarista, entrevistador, isso tudo também aconteceu no meu ano. Estou fazendo também a curadoria de uma exposição com 11 comunidades rendeiras no Brasil, em que chamei 11 estilistas para cada um fazer um look com uma comunidade. Então tem o André Lima, o Lino Villaventura, a Amapô, a Neon, a Adriana Barra, um time maravilhoso de gente. Faz dois anos que eu estou fazendo esse trabalho, e deve sair neste ano ainda.”

Sobre o que vem pela frente: “O meu foco é fortalecer a minha identidade, o meu estilo em todas essas frentes. E o que eu percebo hoje em dia é que muito mais do que me definir como um estilista ou como stylist, eu quero comunicar o meu estilo, a minha força, a minha essência em todas essas frentes. O que eu fico feliz é que estando mais autônomo, tendo uma independência maior na minha carreira, eu consigo cada vez mais imprimir a minha marca em lugares onde eu nem imaginava que eu pudesse chegar.” [Marcela Duarte]

**

360°  I Kristen Stewart estrela campanha da coleção Paris-Dallas da Chanel   (26/03/14)

Vogue

Veja as imagens da atriz à frente da nova campanha da coleção Métiers d'Art da maison

Kristen Stewart (Foto: Reprodução/Instagram)

Kristen Stewart é o rosto da nova campanha da coleção Métiers d'Art da Chanel. Eis que caíram na rede as primeiras imagens do resultado desta empreitada fashion da atriz.  
A bordo das peças inspiradas no Texas – como as jaquetas de couro envelhecidas com forro de pelo de carneiro e franjas e as botas estilo caubói –, Kristen posou em um cenário de madeira, no melhor clima country. Na beauté: make com olhos esfumados característicos da hollywood star e cabelos presos com franjas embutidas. Para as interessadas, a coleção começa a chegar às lojas europeias no final de maio (no Brasil, no iníco de agosto).

Kristen Stewart (Foto: )

Kristen Stewart (Foto: Reprodução/Instagram)

Kristen Stewart (Foto: )
Kristen Stewart (Foto: )

**

360°  I Victoria Beckham compartilha paixão por moda com seus filhos    (22/03/14)

Victoria Beckham quer compartilhar sua paixão por moda com seus filhos. A estilista - que é mãe de Brooklyn, de 14 anos, Romeo, 11, Cruz, 8, e Harper, 2, frutos do casamento com o ex-jogador de futebol David Beckham - levou os três filhos para o desfile da coleção outono/inverno 2014 de sua marca durante a semana de moda de Nova York, no último mês, e acredita que é importante mostrar a eles o que seu trabalho diário envolve, embora ela admita que Brooklyn estava mais interessado nas modelos atraentes da passarela.
"Meus filhos cresceram tanto! O mais velho, Brooklyn, tem quase 15 anos de idade, ele é mais alto do que eu. Pela primeira vez, meus três meninos foram ao meu desfile em fevereiro. Foi interessante mostrar a eles que o papai trabalha, mas a mamãe trabalha também", contou Victoria, acrescentando: "Que nós dividimos as responsabilidades em casa e que ambos temos nossas próprias carreiras. É uma mensagem positiva. Eu acho que eles realmente gostam de moda. Embora o Brooklyn tenha ficado mais impressionado com as modelos!", disse ela à revista francesa Madame Figaro.
Victoria está feliz que sua prole tenha interesse em esporte e nas artes criativas, com os filhos se mantendo ativos ao invés de ficarem sentados em frente à TV.
"Eles estão crescendo em um meio-ambiente criativo. Mais do que sentar à frente da TV, gosto que eles estejam jogando futebol ou desenhando", acrescentou a mãe coruja.

**

360°  I Estilista Vivienne Westwood aparece de cabeça raspada em Londres   (07/03/14)

Muito engajada, ideia da inglesa ao deixar de lado os fios vermelhos é chamar a atenção para as mudanças climáticas

A estilista Vivienne Westwood apareceu na tarde desta quinta-feira (06) com a cabeça raspada. Ao deixar os fios vermelhos de lado, a ideia da estilista era protestar. Vivienne estava participando de uma ação em Lambeth, Londres, contra as mudanças climáticas ao lado do comediante Mark Thomas e da artista Maggi Hambling.

De acordo com um comunicado da assessoria de imprensa da estilista ao jornal britânico "The Telegraph", “Vivienne cortou o cabelo para chamar a atenção das mudanças climáticas. Ela vai deixar crescer ao natural, todo branco, demonstrando também que tem orgulho de sua idade".

VIVIENNE WESTWOOD ANTES DE RASPAR A CABEÇA (Foto: Reprodução / Instagram)

Do antigo visual da designer de 72 anos, restou apenas as sobrancelhas pintadas de vermelho. A mudança teria acontecido na semana passada e não foi percebida durante seu desfile da coleção Inverno 2014-15 na Paris Fashion Week, que aconteceu no último sábado (1º). Na apresentação, a cabeça raspada foi disfarçada por um cocar de penas e não chamou a atenção.

A designer inglesa é sempre muito engajada. No começo do ano, ela se juntou ao Greenpeace e reuniu famosos como Georgia May Jagger, Jerry Hall, George Clooney e Chris Martin em campanha para salvar o Ártico. Ao jornal britânico "The Guardian", Vivienne disse na época: "Quero que as pessoas sejam capazes de comprar bem em primeiro lugar, escolher bem e, em seguida, fazer aquilo durar. Também acredito que, se as pessoas usem menos coisas, não haveria o problema da mudança climática. "

**

360°  I "No Brasil, as pessoas não se acostumam nunca com um cadeirante", diz a estilista Michele Simões    (25/02/14)

Após passar três meses nos Estados Unidos, a autora de um dos únicos blogs sobre intercâmbio para deficientes relata as descobertas e surpresas durante a viagem e anuncia projetos para aumentar a acessibilidade em São Paulo

Michele Simões em vários momentos durante o intercâmbio em Boston (EUA) (Foto: arquivo pessoal)

As últimas imagens registradas na mente da estilista Michele Simões, 31 anos, antes do acidente que sofreu em 2006, são de uma noite divertida na balada, ao lado da irmã. Na hora de ir embora, Michele deitou no banco de trás do carro e dormiu. Um breve piscar de olhos que mudou completamente a vida da jovem, na época com 24 anos, recém-formada na faculdade e que há dois meses tentava a vida em São Paulo. “Não conseguia ver muita coisa, acho que por causa da pancada. Perguntei para a minha irmã o que tinha acontecido, pois não conseguia levantar, nem mexer as pernas. Ela pediu para eu ficar calma, que havíamos batido o carro. Fiquei desesperada porque já sabia que havia ficado paraplégica”, contou para a reportagem de Marie Claire.

A lesão na coluna de Michele não só impede os movimentos das pernas como afeta a parte torácica e compromete o equilíbrio de tronco. Nem por isso ela desistiu de realizar um de seus sonhos, interrompido na época do acidente: no final de 2013 ficou três meses nos Estados Unidos vivendo como intercambista. E de sua experiência fora do país nasceu o blog “Guia do Viajante Cadeirante”, uma das únicas páginas da web dedicadas ao tema: “como não achei nada na web que pudesse me ajudar, resolvi compartilhar tudo que vivi de bom e de ruim para facilitar a vida de outros cadeirantes”, explica. Durante a conversa, Michele falou de suas descobertas e surpresas durante a viagem, o relacionamento com o namorado, seus próximos projetos e desejos para as mulheres cadeirantes:

Marie Claire: Como se sentiu quando recebeu a notícia de que realmente estava paraplégica?
Michele Simões:
eu já tinha certeza da minha situação dentro do carro, pois não conseguia mexer as pernas. Foi um acidente bem grave, fiquei três meses internada. Quando confirmaram a notícia, fiquei desesperada, é claro, mas nunca pensei que minha vida tinha acabado ali. Sempre fui muito à luta, naquele momento não seria diferente. Sempre acreditei e ainda acredito que posso voltar a andar. Não sou muito conformada com o que as pessoas dizem, o que posso ser ou não. E isso ajuda muito.

MICHELE DURANTE UM DOS PASSEIOS COM OS COLEGAS DE INTERCÂMBIO (Foto: arquivo pessoal)

M.C.: Nessa época já namorava?
M.S.:
não. Na verdade, já conhecia o Thiago, meu atual namorado. Nós havíamos saído algumas vezes antes do acidente, mas tínhamos decidido que o melhor era ficar só na amizade mesmo. Ele era amigo do namorado da minha irmã na época e, assim que rolou o acidente, foi correndo para o hospital. Foi a primeira pessoa a ficar comigo lá, me acalmou. Durante os três meses que fiquei internada, não deixou de me ver uma vez. Aí, um dia, ele aproveitou que não tinha ninguém no quarto para se declarar. Perguntou se eu achava mesmo que não íamos dar certo, que ele queria namorar porque estava apaixonado. A minha cabeça estava um turbilhão com tudo que estava vivendo. Eu gostava dele, mas não sabia como seria a minha vida e ficava encanada com corpo, vaidade. Mas resolvi seguir o conselho da minha mãe e tentar. Estamos juntos até hoje, a gente é muito parceiro, ele está sempre do meu lado. Até decidiu ir comigo no intercâmbio! (M.C.: Quando decidiu fazer a viagem?
M.S.:
era uma vontade antiga. Quando me mudei de Rio Claro para São Paulo, antes do acidente, a ideia era ganhar experiência na minha profissão e juntar dinheiro para morar fora. Depois que tudo aconteceu, tive que adiar. Procurei uma agência no ano passado e eles me informaram que Boston, nos Estados Unidos, era uma cidade com muita acessibilidade. Lá havia uma escola que tinha convênio com um hotel e que eles topavam ser responsáveis por minha estadia, já que não tinha conseguido nenhuma casa de família para me receber. Decidi arriscar e foi ótimo! Embarquei em agosto e deu tudo certo. A cidade, apesar de ter uma arquitetura muito antiga, permite que os cadeirantes sejam muito independentes. Eu ia sozinha para todos os lugares, desde escola e lavanderia até prédios históricos. Lá eu me sentia parte da sociedade de novo.
M.C. E o blog, nasceu quando?
M.S.:
Sempre foi muito difícil encontrar referências na internet. Em 2006, tudo era muito mais aterrorizante, as informações eram raras. Era aquela coisa: você está na cadeira, não vai conseguir fazer nada. Pesquisei muito e só achei um blog de uma cadeirante que havia morado fora do país. Entrei em contato com ela, que nunca me respondeu. Decidi então criar a minha própria página na web para contar tudo que vivia de bom e de ruim e, desta forma, ajudar um próximo cadeirante que desejasse viajar. Lá tem de tudo: desde usar o banheiro do avião, até transportar a cadeira e transitar pela cidade.).

M.C.: Qual foi sua maior dificuldade durante a temporada fora de casa?
M.S.:
meu medo era o principal obstáculo. Fiquei sete anos aprisionada, sem sair ou fazer nada sozinha. Por isso, quando meu namorado decidiu ir junto eu avisei que queria ter essa experiência para ver se eu era capaz de me virar. No primeiro dia de aula, fui sozinha, peguei metrô, estava tremendo. Parecia uma criança indo pela primeira vez para a escola (risos). Só pensava “e se eu cair?”. Mas depois tomei gosto pela experiência e vi que era capaz. As inseguranças acabaram. A ideia era ficar só dois meses, mas me maravilhei tanto com a independência que tinha na cidade, que estiquei a estadia por mais um mês. Por meio do blog, conheci uma brasileira, também cadeirante, que mora em Boston e ela me ofereceu para ficar na casa dela. Ela tem quatro filhos e por conta das responsabilidades do dia a dia, não sai muito de casa. Então, resolvi apresentar a vida em Boston para ela (risos). Ensinei a pegar metrô, coisa que ela nunca tinha feito, fomos ao médico juntas. Foi uma aventura!
M.C.: O que mais te surpreendeu?
M.S.:
A minha visão sobre mim. Voltei me sentindo muito mais segura e com muito mais vontade de melhorar as coisas. Durante o tempo que fiquei lá e até hoje recebo muitos e-mails, de gente que também é cadeirante e percebe que a vida não acabou. Percebi que posso ajudar.

A estilista Michele Simões (Foto: arquivo pessoal)

M.C.: Qual foi a principal diferença da vida nos Estados Unidos e aqui no Brasil?
M.S.
: lá fora não tinha tanto esse olhar de piedade, de te enxergar como como um total incapacitado. As crianças só vão para escolas especiais em última instância, então estão todos acostumados com o diferente. Aqui no Brasil acontece o contrário. Na volta de Boston, no aeroporto mesmo, notei que já tinha muita gente me olhando. Tinha esquecido disso. Brinco com meu namorado ás vezes: olha lá, vai cair uma lágrima daqui cinco minutos (risos). Não é uma coisa que atrapalha, mas quando entrei nesse universo, me sentia constrangida. Logo depois que sofri o acidente, fui ao shopping e virei o centro das atenções. As pessoas não se acostumam nunca com um cadeirante, é incrível. Outra coisa: nos Estados Unidos tinha uma vida normal, foi uma libertação. Eu me sentia parte da sociedade porque tudo é muito acessível. Fui para Nova York sozinha de trem, sem nenhum problema. Aqui não consigo sair na minha rua, tudo tenho que fazer de carro, ligar antes para saber se há acessibilidade para deficientes e pedir para alguém me carregar.

M.C.: O que pretende fazer com o blog agora que voltou?
M.S.:
vou dar continuidade, com dicas de passeios e lugares interessantes que tenham acesso aos cadeirantes em São Paulo. Já aprendi a nadar e velejar, tudo de graça. Quero incentivar as pessoas nessa área do esporte porque é onde a gente liberta o nosso corpo. Estou procurando parcerias, mas o que dá para eu fazer, eu faço. Já está encaminhado um projeto com uma escola de mergulho, devo fazer o curso e depois o mergulho adaptado nos próximos meses. Também fui atrás do paraquedismo para cadeirantes, mas ouvi coisas absurdas como “não tenho interesse nessa sua ideia porque é muito complicado”. É a vida, estou indo à luta. Minha proposta é procurar caminhos, provar que é possível mudar e mostrar que é possível sair de casa.

M.C.: No dia 8 de março comemora-se o Dia Internacional da Mulher. O que você acha que precisa mudar no mundo para que ele seja um lugar melhor para as mulheres?
M.S.:
precisamos aceitar melhor a diversidade e ter consciência que são elas que nos completam. Temos que parar de dividir o lado A do lado B. Como cadeirante, percebo que a a sociedade brasileira não está preparada para lidar com os deficientes. As pessoas nos enxergam como seres de outro mundo. É claro que temos nossas limitações, mas nem por isso somos menos. Essa visão deveria mudar.

**

360°  I Diversificando negócios: Lily Cole compra livraria de moda e fotografia em Londres    (13/02/14)

FFW

A modelo, atriz, cantora e proprietária de livraria Lily Cole ©Reprodução

A paixão da modelo inglesa Lily Cole pelos livros é tão grande que agora virou negócio. Ela e uma amiga compraram uma livraria especializada em moda e fotografia no Soho, em Londres, que estava ameaçada de fechar após a morte da proprietária e fundadora Claire de Rouen. Mas este não é o único trabalho de Lily além da carreira de modelo: ela também é atriz e cantora.

Quem comanda o negócio é a amiga e sócia Lucy Moore. De acordo com a “Vogue” UK, a modelo vai eventualmente à livraria para escolher presentes para amigos e para explorar o acervo. Lily também atua como defensora de programas de alfabetização.

A livraria fica no segundo andar de um prédio no bairro do Soho, em Londres. O local pertencia a Claire de Rouen, que morreu no início de 2012. Ela era uma espécie de ícone para os estudantes de moda e amantes de fotografia.

Fachada do prédio onde fica a livraria, em Londres ©Reprodução

**

360°  I Tufi Duek volta à moda após hiato de cinco anos    (11/02/14)

Ao lado da filha, Carina Duek, o estilista faz seu retorno após o fim do contrato que previa afastamento da indústria fashion nacional

O estilista apresenta os looks festa que levam a etiqueta Carina Duek por Tufi Duek. A partir da esquerda, Martha Streck veste top, R$ 950, e saia, R$ 18.900; Camila Espinosa usa vestido, R$ 3.500; e Sabrina Gasperin de vestido, R$ 2.200, e bota, R$ 2.200 (Foto: Miro)

Exatamente cinco anos depois de ter vendido seu nome e suas três marcas para o grupo têxtil AMC, Tufi Duek – o empresário que soube como ninguém na história da moda brasileira conjugar criação e comércio – está de volta ao mundo dos ateliês, showrooms e, talvez, ao das passarelas. É o acontecimento do ano, ainda que estejamos apenas em fevereiro. Sem alarde, quase na moita, ele preparou esse retorno ao longo de todo o ano de 2013 para que, findo o prazo de seu acordo de non-compete com o grupo AMC, período em que estava proibido de exercer qualquer atividade ligada à moda, tudo estivesse pronto para a grande rentrée. Pelo tal contrato, ainda que tenha vendido seu nome e as três grifes que criou ao longo de 33 anos (Tufi Duek, Triton e Forum) ao grupo catarinense que também é dono da Colcci e da Coca-Cola Clothing, o empresário pode, a partir de agora, começar uma nova marca do zero ou desenhar coleções – de roupa, móveis, do que quiser – para grifes de outras pessoas, assinando com seu próprio nome.

Ele poderia ter feito o que quisesse em sua volta – ou não ter feito nada. Aos 58 anos, com a vida ganha graças à bolada que embolsou com a venda de seu pequeno império (o mercado estima que ele tenha recebido R$ 250 milhões mais royalties sobre o faturamento das três marcas),Tufi não precisa mais trabalhar. Poderia passar o tempo curtindo os filhos mais novos, Ava e Ezra, de 3 e 2 anos, do casamento com a empresária Natalie Klein, 21 anos mais nova e proprietária da NK Store, mais importante multimarcas do País hoje, ela também expert em aliar moda e vendas. Ficou tentado a se aposentar, admite, mas ponderou bastante e achou que ainda não era hora de pendurar as chuteiras.

Desde o início do ano passado, com a iminência do fim do acordo de non-compete, Tufi vinha sendo abordado por vários interessados em parcerias e em usar seu nome, carisma e talento. Sabe-se que a C&A foi uma das primeiras a convidá-lo, que ele quase fechou negócio, mas o acordo desandou na hora H. Tufi admite que chegou perto de assinar mesmo uma linha para a gigante do varejo, deixa escapar que a C&A não foi a única a procurá-lo, mas diz que preferiu seguir outra direção em sua caminhada de volta à moda. Na surdina, sem despertar a atenção da mídia, ele preparou uma coleção de 80 peças que já foi vendida,também quase em segredo, para 35 multimarcas espalhadas por todo o Brasil, apenas uma por cidade para garantir exclusividade. São peças elegantes, a maioria vestidos, longos e curtos, feitas com tecidos premium e para serem usadas à noite, todas com o DNA sexy que pautou seu trabalho na Forum dos anos 90 e, mais tarde, na Tufi Duek.

Depois de receber o convite da C&A,o empresário se deu conta de que o parceiro perfeito para ensaiar seu comeback estava bem debaixo de seu nariz: a filha Carina Duek, 34 anos, estilista como ele, proprietária da marca que leva seu nome, a única queTufi não vendeu ao grupo AMC (“Não poderia, é o nome dela”). O raciocínio era simples: se grandes grupos varejistas estavam interessados em usar seu prestígio e talento para vender mais roupas, por que não emprestar esse combo para a grife da própria filha? “Poderia também criar uma marca do zero com um nome qualquer. Mas você sabe quanto tempo demora e o trabalho que dá para achar a equipe de modelistas e assistentes certos,montar uma estrutura de produção, criar uma imagem, trabalhar pontos de venda? Já estou com 58 anos, não daria tempo.”

Carina Duek posa com looks de inverno da sua marca: jaqueta, R$ 1.050, calça, R$ 740, e escarpins, R$ 610; vestido, R$ 1.190, clutch, R$ 2.150, e escarpins, R$ 630; casaco de pele, R$ 14.850, top, R$ 520, saia, R$ 1.390, e escarpins, R$ 610; e blusa, R$ 6 (Foto: Miro)

Unir-se a Carina parece de fato ser a escolha mais acertada. O nome que deu a sua linha para a filha, mais que fruto de inspiração, foi motivo de infindáveis horas reunido com seus advogados, para ter certeza de que não feria o estabelecido no contrato com o AMC. Nascia assim a Carina Duek por Tufi Duek – o nome é complicado, longo e não exatamente feito para cair na boca do povo, mas a linha não foi mesmo pensada para agradar grandes multidões: “O trabalho de marketing vai ser personalizado, é uma moda de ocasião, vou trabalhar direto com a cliente das multimarcas, fazer visitas, saber o que elas querem vestir. Como vão chamar a linha não me interessa tanto. O importante é que gostem das roupas, que se sintam poderosas e sensuais usando meus vestidos.” (Daniela Falcão)
Este é apenas um trecho da matéria "He is back!". Leia o texto na íntegra a partir da página 186 da edição de fevereiro da Vogue Brasil.

**

360°  I  Giorgio Armani aposta em dupla de estilistas da Au Jour le Jour que traz renovação ao “made in Italy”    (03/02/14)

Giorgio Armani sempre apoiou a indústria da moda italiana e, em 2013, o estilista lançou um programa que a cada estação elege um novo talento para desfilar sua criação no teatro Armani durante a semana de moda de Milão.

Campanha da coleção Au Jour le Jour de Mirko Fontana e Diego Marquez ©Reprodução

Na temporada passada, a escolhida foi Stella Jean e dessa vez são os criadores da marca Au Jour le Jour, Mirko Fontana e Diego Marquez, que ganham o apoio de Armani. Os estilistas são conhecidos por unir qualidade e sofisticação a uma imagem moderna e excêntrica, trazendo uma bem vinda renovação à moda feita na Itália, que carece de frescor e novidades.

Apesar de pequena, a grife já é vendida em pontos de venda selecionados e respeitados, como a Luisa Via Roma, contando com as redes sociais como principal ferramenta de divulgação. “Eu gosto da maneira como os jovens designers de hoje procuram se estabelecer, na utilização de todos os tipos de canal”, diz Armani. “Eu admiro sua desenvoltura e decidi apoiá-los. Espero que o meu apoio seja um bom presságio para eles”, completa.

O aval de um estilista do nível de Giorgio Armani pode ser fundamental para os jovens designers. Cada vez mais iniciativas aparecem para promover novos nomes, uma vez que a moda necessita muito de novidades para se manter fresca. [ffw]

**

360°  I  Veja Karl Lagerfeld em ação em teaser de documentário sobre temporada Verão 2014 da Fendi   (31/01/14)

A Fendi acaba de divulgar um teaser de 40 segundos do documentário do diretor francês Loic Prigent sobre a temporada Primavera/Verão 2014 da grife. O filme “Inside The Mothership”, que será lançado no dia 5 de fevereiro, mostra o Fendi Day, que aconteceu em 19 de setembro de 2013. Além do desfile, na ocasião a grife abriu as portas de uma loja na Via Montenapoleone, em Milão, e inaugurou a exposição “Making Dreams: Fendi and the Cinema” (“Fabricando Sonhos: Fendi e o Cinema”).

Imagem do documentário “Inside The Mothership”, da Fendi ©Divulgação

Prigent captura a correria dos bastidores do desfile, incluindo os afazeres do estilista Karl Lagerfeld, que desde o amanhecer até o anoitecer administra uma agenda apertada de provas, castings, desfile e os preparativos para a abertura de uma nova loja e uma exposição. Além de nomes como Silvia Venturini Fendi, Pietro Beccari, Delfina Delettrez Fendi e Charlotte Stockdale, as roupas também dividem a cena com Karl. A coleção futurista foi inspirada em computação gráfica, como o vestido cintilante coberto de cristais que exigiu mais de 300 horas de trabalho. O que se vê é um Lagerfeld que funciona como um relógio, supervisionando cada detalhe, ditando o ritmo e brincando com a modelo Cara Delevingne. [ffw]

+ Assista ao teaser:

**

360°  I  Hoje: começa nesta quinta exposição da Melissa com looks desfilados no SPFW    (30/01/14)

FFW

A Galeria Melissa, na rua Oscar Freire, em São Paulo, recebe exposição com looks da marca desfilados no SPFW ©Divulgação

Prato cheio para quem amou o desfile da Melissa no SPFW Inverno 2014: a marca selecionou os 10 melhores looks dessa apresentação em uma mostra de entrada gratuita que abre quinta-feira (30.01) na Galeria de São Paulo. As produções, que têm styling conjunto de Daniel Ueda e Pedro Salles, traduzem bem o tema da coleção, inspirada na riqueza multiétnica de diferentes povos ao redor do mundo. Os dois stylists mandaram muito bem e vale a pena ver o trabalho de pertinho.

A ideia, de acordo com a marca, é “trazer uma experiência única de moda para os visitantes, clientes e fãs da marca, reproduzindo a atmosfera de um desfile”. A fachada da loja também ganha ar étnico e multicolorido.

Vale acrescentar que o preview Outono/Inverno 2014 da Melissa já está na loja. Veja mais imagens da exposição:

A Galeria Melissa, na rua Oscar Freire, em São Paulo, recebe exposição com looks da marca desfilados no SPFW ©Divulgação

Galeria Melissa São Paulo
Rua Oscar Freire, 827
(11) 3083-3612
A exposição é gratuita
+ melissa.com.br

**

360°  I  Inside the Mothership: o novo documentário de Loïc Prigent para a Fendi    (29/01/14)

Os bastidores do desfile de verão 2014 da Fendi, em Milão (Foto: Imaxtree)

A relação da Fendi com o cinema é antiga – nos anos 70, a label já investia no formato para mostrar suas coleções. Em 2014, isso não será diferente: Loïc Pringent volta a colaborar com marca em Inside the Mothership, um vídeo de 15 minutos que revela três grandes eventos da casa de moda italiana em 2013.
As imagens captadas pela câmera passam pelos bastidores da coleção de verão 2014, pela abertura da flagship store da etiqueta na Via Montenapoleone, em Milão, e pela mostra Making Dreams: Fendi and the Cinema, festival que reúne os projetos audivisuais da marca (e ilustra bem sua relação com a sétima arte). O resultado, na íntegra, só será revelado em 05.02 – no player abaixo, no entanto, você assiste a um tantinho do que virá por aí.

 (Foto: )

 

 (Foto: )
 

 

 (Foto: )
 


Le teaser du documentaire Fendi par Loïc Prigent por VOGUEPARIS

**

360°  I  Três vezes Dior: estudantes de moda visitam bastidores da coleção de alta-costura da maison   (24/01/14)

Marca convida alunos de diferentes escolas de moda para assistirem ao seu desfile de alta-costura

 

Estudantes visitaram o ateliê da Dior durante a semana de alta-costura  (Foto: )

A Dior não fez apenas um desfile para mostrar sua coleção de verão 2014 de alta-costura. Foram três as apresentações da maison francesa realizadas na segunda-feira (20.01) para esta temporada – uma delas, em especial, feita para o staff de seus ateliês e estudantes de moda de diferentes países, em uma iniciativa que marca a primeira vez em que a casa dedica um show de couture exclusivamente a este público.
81 fashion students de 16 diferentes escolas viajaram de 7 diferentes países para Paris a convite da label, dois dias antes do desfile. Os alunos tiveram a emocionante experiência de visitar os ateliês da marca enquanto a coleção de alta-costura era finalizada e participaram de uma conferência sobre o "Espirito Dior" com o CEO da grife e presidente da Christian Dior Couture, Sidney Toledano.
Depois do desfile, a turma ainda bateu um papo com Raf Simons. Durante a conversa, o estilista brincou: "Em cinco, seis anos a partir de agora, eles [os estudantes] provavelmente vão me expulsar [da Dior]. Mas isso é como deve ser. É assim o ciclo", disse. Nesta página, confira alguns cliques da experiência e também os vídeos que dão start a uma série de capítulos sobre a visita.
Dizem por aí que a maison pretende repetir a bem sucedida experiência na próxima temporada. Para esse caso, Vogue Brasil deixa aqui sugestão para que estudantes brasileiros façam parte do incrível projeto.

 (Foto: )
 

 

 (Foto: )
**

360°  I  Adidas by Stella McCartney agora tem loja própria em Miami     (23/01/14)

Parceria de quase uma década ganha primeiro espaço de venda nos EUA

by Harpersbazaar

Visual clean na nova loja, que acaba de abrir as portas – Foto: divulgação

A britânica Stella McCartney recebeu o convite para criar coleções com pegada esportiva para a Adidas em 2004, e nunca imaginou que a parceria fosse durar por tanto tempo! Grife e estilista acabam de anunciar o primeiro endereço próprio da parceria nos Estados Unidos, que fica na 1.111 Lincoln Road, em Miami. Vale lembrar que a primeira loja da Adidas by Stella McCartney abriu em 2012, em Londres.

“Miami é a cidade perfeita para mostrar – e vender! – minha coleção para a Adidas, que é focada em estilo e desempenho”, explica Stella, que está feliz da vida com a loja de quase 500m², onde será possível encontrar linha de beachwear, tênis e roupas para corrida, opções de peças para ciclistas, linha para praticantes de ioga, além de vários acessórios. Para visitar já!

**

360° I LIVO eyewear inaugura temp store na Oscar Freire     (22/01/14)

Espaço segue linha sustentável da marca que fica aberta até o final de fevereiro

Geral da temp store sustentável da LIVO na Oscar-Freire produzido com paletes de madeira, bancos de papelão e luminárias feitas com copos descartáveis e grampos de cabelo - Foto: Divulgação

Geral da temp store sustentável da LIVO na Oscar-Freire produzido com paletes de madeira, bancos de papelão e luminárias feitas com copos descartáveis e grampos de cabelo – Foto: Divulgação

por Anna Del Mar

Aproveitando o verão, a LIVO eyewear acaba de inaugurar sua primeira loja temporária. O espaço fica na Rua Oscar Freire e segue a filosofia sustentável da marca, com o design interior produzido com paletes de madeira, bancos de papelão e luminárias feitas com copos descartáveis e grampos de cabelo. “A loja é inteiramente baseada no conceito de storytelling. Além da parte sustentável, temos imagens que mostram todo o processo de fabricação dos óculos”, conta Arthur Blaj, diretor executivo da LIVO.

O projeto da loja é resultado de um esforço coletivo entre os arquitetos Helena Camargo, da H2C arquitetura; Sergio Cabral, da SuperLimão; e Thomaz Bondioli, da Lota Studio de Amsterdã,  além de Raphael Costa Neves, diretor criativo da LIVO.

Expositores na nova loja da marca - Foto: Divulgação

Expositores na nova loja da marca – Foto: Divulgação

A temp store ficará aberta até o final de fevereiro de 2014. “Além do e-commerce e do LIVO vai até você, nosso serviço de bike que leva os óculos até o consumidor, o estabelecimento físico é mais um ponto de contato com o público” completa Blaj.

Para quem não sabe, as peças da LIVO são de acetato importado da Itália e produzidos à mão no Brasil. As armações são montadas na técnica de fresagem, em que as partes são recortadas de uma única chapa de acetato, polidas manualmente e envernizadas, oferecendo qualidade superior no acabamento e no visual. Eles inclusive já lançaram uma parceria com a Alcaçuz (o modelo Cruz – meio puxadinho tipo olho de gato, de acetato italiano com acabamento feito à mão, com três variantes de cores).

Alguns modelos de óculos da LIVO - Foto: Divulgação

Alguns modelos de óculos da LIVO – Foto: Divulgação

Todos os óculos da marca possuem preço fixo de R$ 294. Corre lá!

**

360°  I  Jean Paul Gaultier leva sua expo ao Grand Palais, em Paris   (22/01/14)

Mostra com sucessos do estilista já passou por sete cidades

Paris finalmente vai receber a exposição The Fashion World of Jean Paul Gaultier: From the Sidewalk to the Catwalk, que reúne peças icônicas do estilista francês. A mostra já circulou por sete cidades e, a partir de 2015, vai entrar em cartaz no Grand Palais.

Sutiã-cone de Madonna é um dos destaques da mostra...   

Quem visita  a coleção pode conferir de perto peças como o sutiâ-cone original que Gaultier criou para Madonna nos anos 1990, por exemplo. As peças datam desde 1970. Há também filmes, vídeos, desenhos e até shows de TV do arquivo pessoal do designer.

A estreia está prevista para abril do ano que vem. Imperdível!

**

360°  I  Alexandre Herchcovitch cria embalagens especiais para celebrar seus 20 anos de carreira    (14/01/14)

As sacolas de compras trazem três estampas icônicas de coleções passadas; saiba mais sobre a comemoração das duas décadas de sua marca

Reunir no papel todas as experiências profissionais de Alexandre Herchcovitch, que completa 20 anos de carreira em 2014, pode ser tarefa difícil. Entre as – muitas – parcerias do designer, estão nomes como C&A, Melissa, Walt Disney e até McDonald's. Sem contar as inúmeras coleções já desfiladas nas semanas de moda do Rio, São Paulo e Nova York. Para celebrar estas duas décadas, entre as ações planejadas por Alexandre, está a criação de itens pensados nos clientes de suas lojas em São Paulo e no Rio de Janeiro: embalagens especiais que trazem três estampas icônicas da marca. Tratam-se dos prints de caveira e ossos da coleção masculina de verão 2003, das lâminas da coleção feminina de verão 2007 e das letras e números da coleção feminina do verão 2013.

Além disso, Vogue adiantou em sua edição de dezembro, uma coleção que revisita best-sellers do estilista, com 30 peças que custam entre R$ 159 e R$ 1.189. Entre as estampas dos itens, a camiseta de caveira com lacinho que marcou o inverno 2004 de Alexandre e o animal print colorido do verão 2003.

**

360°  I  It’s a Wrap: icônico vestido de Diane Von Furstenberg faz 40 anos   (10/01/14)

Para comemorar a data, estilista estreia exposição em Los Angeles

by Harpersbazaar

Diane: anos 70 marcaram a fama do seu wrap dress – Foto: reprodução

São clichês comuns em reportagens sobre Diane Von Furstenberg as frases “That’s a Wrap,” “It’s a Wrap” e “Wrap It Up”. Tudo por conta, claro, da mais importante criação da sua trajetória fashion: o wrap dress, que completa neste sábado (11.01) 40 anos.

“Ele me fez viver o sonho americano aos 26 anos, e isso é muita coisa”, comentou a estilista, quando esteve no Brasil em 2012 para o seminário Women in the World, realizado em São Paulo.

À esquerda, Cybill Shepherd usa wrap dress da grife DVF no filme Taxi Driver, de 1975; à direita, a estilista na capa da Newsweek, em 1976 - Fotos: reprodução

À esquerda, Cybill Shepherd usa wrap dress da grife DVF no filme Taxi Driver, de 1975; à direita, a estilista na capa da Newsweek, em 1976 – Fotos: reprodução

Para comemorar a data, Diane inaugura nesta sexta-feira (10.01), em Los Angeles, a exposição Journey of a Dress, que já passou pelo Brasil, Rússia e outros países, com várias mudanças que prometem valer a visita.

Além de mais de 200 modelos de vestidos exibidos em manequins inspirados na figura da própria designer – incluindo as marcantes maçãs do seu rosto – a mostra ganha uma linha do tempo com os grandes momentos da sua vida, começando por sua primeira capa de revista, a Newsweek, em 1976.

Elas amam DVF! Da esquerda para a direita: Carmen Electra, Madonna e Pippa Middleton - Foto: reprodução

Elas amam DVF! Da esquerda para a direita: Carmen Electra, Madonna e Pippa Middleton – Foto: reprodução

Os visitantes também poderão conferir uma galeria de portraits de Diane feitas por nomes como Andy Warhol, Barbara Kruger, Chuck Close, Francesco Clemente, Helmut Newton e Annie Leibovitz.

Da art collection pessoal da estilista, estarão expostas obras de artistas contemporâneos como Anh Duong, Zhang Huan e Li Songsong, incluindo a recente instalação A Ghost May Come, de Dustin Yellin, que mostra um wrap dress suspenso em uma estrutura de vidro.

Entrada da exibição Journey of a Dress, que inaugura hoje, em Los Angeles - Foto: reprodução

Entrada da exibição Journey of a Dress, que inaugura hoje, em Los Angeles – Foto: reprodução

Ainda nesta sexta, Diane vai reunir seus convidados VIPs para uma festa em L.A. Para o evento, fechou um espaço e reproduziu nele a decoração do Studio 54, lendário clube do qual Diane era frequentadora assídua.

São 200 modelos de wrap dresses em exposição! - Foto: reprodução

São 200 modelos de wrap dresses em exposição! – Foto: reprodução

Para quem não se lembra, a Bazaar Brasil já recebeu a designer em São Paulo, para um almoço super exclusivo na casa de Carolina Overmeer.

**

360°  I  Giorgio Armani leva sua One Night Only para Paris  (09/01/14)

Evento organizado pelo estilista já passou por cidades como Roma e Nova York

Carine Roitfeld foi uma das convidadas de Armani no One Night Only de NY – Foto: Getty Images

Vai ter mais uma rodada de One Night Only em janeiro de 2014! O evento, organizado por Giorgio Armani, recebe desfile da grife do estilista e festa das mais animadas em diversos cantos do mundo. Em 2013, Roma e Nova York foram cenário da balada, que já passou por Londres, Tóquio e Pequim.

Nesta rodada, Armani pretende exibir sua coleção Privé, além de inaugurar mostra de vestidos couture e de acessórios, sob o nome Eccentrico. Cool! O evento acontece no dia 21 de janeiro, em plena temporada de alta-costura francesa.

**

360°  I  Prada inaugura loja de três andares em Florença   (02/01/14)

Novo espaço abre ao público no dia 8 de janeiro

by Harpersbazaar

O croqui da fachada da nova loja – Foto: reprodução

Dica para quem estiver em Florença, na Itália, no mês de janeiro de 2014: a Prada inaugura nova loja na cidade. Projetada pelo arquiteto Roberto Baciocchi, o local ocupará três andares inteiro de um edifico.

O primeiro andar, com o clássico piso de mármore da marca, receberá artigos de couro femininos e coleção de acessórios da grife.

Uma escadaria de mármore levará os clientes ao mezanino, onde estarão expostas as coleções masculinas e sapatos femininos. Por fim, o último andar reunirá artigos de couro masculinos e duas salas dedicadas ao ready to wear. A festa de abertura da loja está programada para o dia 8 de janeiro.

**

360°  I  Burberry abre as portas de primeira loja dedicada exclusivamente à beleza   (16/12/13)

Batizado de Burberry Beauty Box, espaço localizado em Covent Garden, em Londres, disponibilizará toda a linha de maquiagem e fragrâncias da marca

Fachada da loja de beauté da Burberry (Foto: Divulgação)

Parada londrina obrigatória para as amantes de beauté, o bairro de Covent Garden acaba de ganhar uma nova loja grifada dedicada exclusivamente aos seus cosméticos: depois da Chanel e Dior, agora foi a vez da Burberry abrir as portas de um espaço para disponibilizar toda sua linha de maquiagem, fragrância, bem como acessórios.
Batizada de Burberry Beauty Box, a loja promete lançar novos produtos mês e mês, e conta ainda com um Digital Runway Nail Bar – espaço que oferece aos clientes a oportunidade de experimentar os tons de esmaltes usados nos desfiles da label sem precisar utilizar uma gota de acetona sequer. 

Produtos de beleza da Burberry (Foto: Divulgação)

O interior da Burberry Beauty Box (Foto: Divulgação)

**

360°  I  Alexandre Herchcovitch lança guia de viagens: "Lugares escondidos e interessantes"    (04/12/13)

Alexandre Herchcovitch lançou, na noite de terça-feira (3), o seu guia de viagens. Com pontos de quatro grande metrópoles do mundo (Nova York, Paris, Londres e Tóquio), o estilista recebeu a visita da apresentadora e escritora Fernanda Young, que foi conferir de perto o evento na Livraria da Travessa, em Ipanema, no Rio de Janeiro.

A obra, direcionada a pessoas que já conhecem as cidades, é, segundo Herchcovitch, diferente de um guia turístico. Para ele, seu livro permite que as pessoas encontrem lugares escondidos e interessantes dessas 4 cidades.

"Não é um guia onde se espera pontos turísticos mas sim o que as cidades têm de mais escondidos e interessantes. Um guia para as pessoas que já conhecem as cidades e não querem dicas tradicionais", falou ele.

Fernanda Young garantiu sua cópia e contou que o livro será muito útil para ela. "Ele já tinha me dado algumas instruções das cidades. Com o tempo fui anotando em post-its para lembrar. Toda vez que viajava, esquecia na minha cabeceira. Agora, com o guia, vai ser super prático. A visão do Alexandre é maravilhosa. Desse guia, pra mim, só falta conhecer Tóquio. Quero conhecer em 2014", disse Fernanda.

Alexandre Herchcovitch (Foto: Raphael Mesquita/Foto Rio News)

Fernanda Young (Foto: Anderson Borde/AgNews)

Fernanda Young (Foto: Anderson Borde/AgNews)

Fernanda Young (Foto: Raphael Mesquita/Foto Rio News)

Fernanda Young (Foto: Raphael Mesquita/Foto Rio News)

**

360°  I  Holiday Preview Brunch @SP    (03/12/13)

Vem chegando o Natal e as – muitas! – compras de fim de ano. E para otimizar o tempo que precisamos tanto no mês de dezembro, as empresárias Isabel Abucham Candido, Ana Maria e Patricia Piva, Emar Batalha, Juliana e Ale Affonso resolveram se unir, criando o Holiday Preview Brunch, que reúne em um único lugar as melhores novidades da Alexandre de Paris, Bless Couture, Isolda, Emar Batalha, Tatiana Loureiro e muitas outras marcas.

...TATIANA LOUREIRO rasteirinha Celebration ouro – rasteira em sintético craquelado dourado R$295,00...

Tudo acontece no SPA Amarynthe na próxima quarta-feira (04.12), a partir das 11h, e conta com decoração assinada por Vic Meirelles e Bellinis geladinhos para espantar o calor. O que esperar por lá? As fivelas da linha especial de píton da Alexandre de Paris, os biquínis com a estampa queridinha de tutti frutti da Isolda, as rasteiras celebration da Tatiana Loureiro, batas de seda da YVY,  joias incríveis da nova linha Rocker da Emar Batalha e as lindas caixas para o final do ano da Joy Paper. Para todos os gostos e bolsos! [siterg]

Divulgação...SPA Amarynthe...

Divulgação...ISOLDA Biquini tutti fruti R$405,00...

Divulgação...EMAR BATALHA brincos spike de ouro rose com rodio e corais R$8.342,10...

Serviço:

Holiday Preview Brunch no SPA AMARYNTHE

Av. Europa, 571 – A partir das 11h

**

360°  I  Matheus Strapasson lança sua marca própria em site de compras     (30/11/13)

A top Aline Weber, que tem uma agenda concorridíssima, e foi eleita pelo site do SPFW como a top número 1 do Brasil, compõe junto a seu namorado, o modelo Matheus Strapasson, um dos casais mais modernos e descolados da atualidade.

Com sua experiência de modelo desde os 17 anos, tendo viajado o mundo todo a trabalho, e hoje acompanhando a super agenda de sua namorada, Matheus respira o universo da moda há anos. Ele que tem um perfil despojado e cheio de personalidade, acaba de lançar um site para venda de camisetas, seguindo seu próprio estilo.

Em sociedade com Mauricio Appes, Matheus que elabora as estampas das camisetas, “A idéia de produzir minhas próprias peças veio das vezes em que nós procurávamos nas lojas coisas novas e diferentes e não gostávamos do que víamos”, diz o modelo. Neste ano, os sócios contrataram o talentoso designer Rafael Hubner para desenhar novas estampas e peças femininas. “O Mateus é muito criativo, moderno, tenho certeza que a marca já deu certo”, elogia a top model.

As camisetas e outros produtos criados pela nova marca, já estão à venda no site www.mercy1.com e podem ser compradas de qualquer lugar do mundo. [StrikeTwoPoses]

**

360°  I  Stylist Vanda Jacintho relembra como foi trabalhar ao lado da excêntrica editora inglesa Isabella Blow     (23/11/13)
“Darling, esta sala está impraticável. Vamos tomar um drink no Claridge’s?” Foi assim meu primeiro encontro profissional com Isabella Blow, a icônica e excêntrica editora inglesa com quem tive o prazer de trabalhar. Era 2005. O hotel Claridge’s combinava com ela. Não à toa, era seu lugar favorito para reuniões de trabalho. Sempre com um dry martini em mãos.

Isabella Blow: icônica...

Isabella tinha um talento para o novo. Apostava em gente fresh. Assim descobriu um jovem Alexander McQueen, um promissor chapeleiro Philip Treacy, um sem-fim de modelos em começo de carreira… e assim apostou em mim, então uma menina brasileira com pouca experiência. Tinha visto uma matéria minha para uma revista inglesa.

O tema era futebol e Brasil. E ela adorava esse país. Era louca pela Fernanda Tavares. Lembrou que já havia editado uma matéria minha para o jornal Sunday Times e me mandou um e-mail. Voltei para Londres correndo. Não é todo dia que se recebe uma mensagem com aquela remetente. Antes de tudo, acho que ela gostou de mim pelo meu estilo. Como Isabella, adoro cores. E sempre fui um pouco excêntrica também. Tínhamos ainda em comum o dry martini com pouquíssimo Vermute.

A editora Isabella Blow ©Reprodução
Depois da primeira reunião, me fez o convite. “Quer trabalhar comigo?” Aceitei prontamente. Era um privilégio estar perto dela. Isabella estava sempre overdressed. Era vibrante. Gostava de cores, de looks completos e de temas. Um dia era 100% Moschino. No outro aparecia de poás ou com estampa de naipes de baralho. Sempre combinava suas roupas com chapéus altíssimos de Philip Treacy. Nunca vou me esquecer de um dia: quando cheguei à editora, haviam quebrado, a pedido dela, o batente de sua sala. Para que ela pudesse entrar sem tirar seus chapéus. a minha coleção deles, aliás, só fez sentido depois de ver os dela, que eram muito mais excêntricos, como um de lagosta, que ela adorava. Acho que que foi por causa dele que ela quebrou as paredes.

Isabella era espirituosa, engraçada. Falava alto, muito alto. Tudo nela era exagerado. Andava cercada por um sem fim de assistentes. Mas não fazia o tipo o diabo veste Prada. Pelo contrário. Estava sempre aberta a ouvir quem estava ao seu redor. Era dali que vinham as suas inspirações. Nunca se pautou por tendências, até porque gostava de descobrir as suas próprias. Avant-garde em todos os sentidos. E tinha uma queda pelo erótico, tema que sempre permeou os seus trabalhos.

Participação de Isabella Blow como Antonia Cook em cena do filme “A Vida Marinha com Steve Zissou”, de Wes Anderson ©Reprodução

Me lembro da última vez que a vi. Fomos ao Claridge’s, claro, para mais uma reunião. Ela pediu um dry, como de costume. As roupas seguiam coloridas, mas a sua essência… Isabella estava deprimida. “Sinto que estou em um quarto escuro e não consigo acender a luz”, disse, sem saber que, ainda assim, iluminava aquele hotel inteiro. Morreu no dia 8 de maio de 2007, aos 48 anos de idade, depois de ingerir remédios. Deixou a moda carente, bem menos autêntica, muito mais sem graça. Deixou um legado multicolorido. Deixou histórias e saudades.

Soube da exposição em sua homenagem, que acontecerá em Londres, na Somerset House, neste mês. Estou de volta à cidade, para uma temporada de cursos. Me lembro dela por aqui. Quero assistir. Vou vestir a minha saia Matthew Williamson e colocar meu chapéu amarelo Victoria Grant na cabeça. Com um look à altura dela, vou ao Claridge’s tomar o seu dry martini. E brindar ao legado de uma mulher que é a síntese do que a moda deveria ser. Antes todas fossem iguais a você, Isabella. Cheers, darling. E obrigada por tudo. [siterg]

**

360°  I  Luisa Farani lança coleção cápsula em Brasília   (22/11/13)

Sexta-feira, 28, vai ser um dia de festa para o Modismo. Isso porque Luisa Farani, editora do site, vai lançar uma coleção cápsula exclusiva para a loja brasiliense Holy. A linha intitulada de ‘Luisa Farani by Holy’ marca sua volta para a criação de moda e tem foco nas festividades de fim de ano. “[São] looks leves e esvoaçantes para o verão e réveillon lembrando que é fim de ano, então nada mais apropriado para aproveitar a festa e o espírito de renovação”, explica a estilista sobre sua primeira coleção. “Esse espírito serve tanto para os looks quanto para esta nova e promissora etapa da minha carreira”.

luisafarani-vestido-da-colecao

Luisa Farani posando com uma de suas criações

Essa empreitada de Luisa marca um novo momento em sua vida depois de ter passado por Londres, Milão, Paris, Nova York e Xangai à serviço da moda, além de ter ocupado o cargo de diretora criativa na Issa London e o de diretora de marketing na Beach Couture. Quem marcar presença no lançamento da linha poderá ver de perto as peças que foram criadas para clientes antenadas e exigentes que já fazem parte da multimarca criada por Marta e Elaine Oliveira. Nós acreditamos muito nessa nova fase e desejamos todo sucesso do mundo para Luisa. You go girl!

Lançamento ’Luisa Farani by Holy’
Sexta-feira, 28 de novembro às 17h
Na Holy - SHIS QI 11 Bloco J Loja 42
Lago Sul, Brasília, DF

fachada-Holy-vestido-luisa-farani

Fachada da Holy com uma das criações da ’Luisa Farani by Holy’

Elaine-Oliveira

Elaine Oliveira, uma das responsáveis pela Holy

luisafarani-holy-convite

Convite do lançamento

**

360°  I  Limonada Project 7ª edição    (19/10/13)

O Limonada Project é um evento que envolve moda, design e arte para a capital. Em sua sétima edição intitulada de ‘Meu Mundo Criativo’, o projeto assume vários espaços do Brasília Shopping com feiras, workshops, palestras e intervenções artísticas com intuito de fomentar a criatividade de estilistas e designers participantes. Nos próximos dias 25, 26 e 27 de outubro você pode ser um dos integrantes desse acontecimento e ainda sair de lá cheio de novas ideias. Para saber como participar basta mandar um email para contato@limonadaproject.com.br /* */ e cair de cabeça! Foto: cortesia Limonada Project

**

360°  I  Iódice Verão 2014 - Thayná Santos e Marcelia Freesz por Zee Nunes      (10/10/13)

Thayná Santos (KeeMOD) e Marcelia Freesz (WAY) para revista de verão da Iódice, clicada por Zee Nunes. Stylist de Pedro Sales.

11

**

360°  I  Gap desembarca no Brasil com duas megastores e política de preços competitivos    (16/08/13)

Um agito na Galeria Logo nesta quinta-feira (15.08), em São Paulo, marcou a chegada da gigante Gap ao Brasil. Trazida pelo grupo Blue Bird (o mesmo que detém o grupo Gep, das marcas Cori, Luigi Bertolli e Emme), a label criada em 1969 em São Francisco virá com todas as linhas de sua coleção Verão 2013 e abre as portas em dois endereços: o primeiro, em setembro, no shopping JK Iguatemi  e o segundo, em outubro, no Morumbi Shopping. As duas lojas terão cerca de 700 metros quadrados.


A chegada ao Brasil faz parte da estratégia da Gap de expandir sua atuação na América Latina – ela já opera no Chile, Uruguai e Peru, entre outros países. Por aqui,  onde pretende adotar a mesma política de preços competitivos que atraem tantos consumidores brasileiros aos EUA. Dipa Di Pietro, diretor de brading da Gap no Brasil, contou à Vogue que os valores praticados no país não serão exatamente os mesmos que nos EUA por uma questão tributária, mas que a ideia é que a marca se mantenha acessível – as camisetas custarão a partir de R$ 39,90, as camisas polo, a partir de R$ 59,90 e as calças jeans a partir de R$ 139,90 só para citar três exemplos. Além dos básicos, peças com estampas, a linha jeans (com cores diversas) e itens neon também estarão nas araras.
Além das duas megastores, a marca já estuda outras formas de trabalhar no mercado nacional: está nos planos abrir lojas menores, com apenas um tipo de linha – como Baby Gap, por exemplo.

**

360°  I  Peter Lindbergh e Patrick Demarchelier clicam calendário Pirelli 2014; veja a prévia    (13/08/13)

Em 2014,  a Pirelli comemora os 50 anos de seu calendário. Para a edição de aniversário, a marca convidou os fotógrafos Patrick Demarchelier e Peter Lindbergh para clicar, em Nova York, as modelos Alessandra Ambrósio, Isabeli Fontana, Alek Wek, Helena Christensen, Karolina Kurkova e Miranda Kerr. No último domingo (11.08), vazou na internet uma prévia do ensaio, em que as seis beldades podem ser vistas em clima bastante descontraído.

Miranda Kerr, Helena Christensen, Karolina Kurkova, Alessandra Ambrósio, Alek Wek e Isabeli Fontana ©Reprodução

As imagens oficiais serão divulgadas apenas nos últimos meses do ano, mas, levando-se em conta a estética de Lindbergh, veremos lindas fotografias em branco e preto. Ele já produziu o calendário da Pirelli em 1996 e 2002, enquanto Demarchelier o fez em 2005 e 2008.

Em 2012, o fotojornalista Steve McCurry foi o responsável por clicar todo o calendário Pirelli, que trouxe imagens com menos sensualidade e mais cunho social, algumas, inclusive, feitas no Brasil. [Carla Valois - ffw]

+ Veja abaixo mais imagens da prévia do calendário Pirelli de 2014:

Alessandra Ambrósio, Miranda Kerr, Helena Christensen, Karolina Kurkova, Alek Wek e Isabeli Fontana

Karolina Kurkova, Helena Christensen, Miranda Kerr, Alessandra Ambrósio, Alek Wek e Isabeli Fontana

Karolina Kurkova, Helena Christensen, Alek Wek, Miranda Kerr, Alessandra Ambrósio e Isabeli Fontana

Isabeli Fontana sendo fotografada por Helena Christensen

**

Em Nova York, Marc Jacobs inaugura loja só para sua linha de maquiagem #abrenobrasil  (09/08/13)

Primeira loja Marc Jacobs Beauty, inaugurada em Nova York ©Reprodução

Não faz muito tempo que Marc Jacobs lançou uma linha de beleza. Gradualmente, mas em um ritmo constante, ele agora abre sua primeira loja dedicada somente à beleza, a Marc Jacobs Beauty.

Localizada na charmosa Bleecker Street, em Nova York, ela ocupa o espaço onde antes funcionava outra loja de Jacobs, focada em acessórios. Ainda na Bleecker, há pontos das linhas Marc Jacobs, Marc by Marc Jacobs, Bookmarc e Little Marc.

Segundo Robert Duffy, presidente da Marc Jacobs International, Marc está completamente apaixonado pelo assunto. “Queríamos que a loja parecesse como uma caixa de joias”, diz Buffy. A linha de beleza conta com mais de 120 produtos que chamam atenção por sua cartela de cores. Além de maquiagem, haverá uma vitrine com as fragrâncias e outra com os óculos da marca.

Segundo o “WWD”, fontes da indústria especulam que a coleção de beleza de Marc Jacobs deve fazer US$ 15 milhões no varejo somente de agosto a dezembro. A linha de maquiagem deve ser lançada na Europa, Ásia e Oriente Médio em 2014.

A entrada da loja Marc Jacobs Beauty na Bleecker Street ©Reprodução

Hoje há 300 lojas Marc Jacobs no mundo e a empresa prepara-se para uma expansão nos EUA em 2014. Uma das primeiras ações será a abertura de uma grande loja na 5ª Avenida da linha Marc by Marc Jacobs. Em seguida, outro espaço será inaugurado só para as peças da linha Collection, na Madison Avenue. “Nós nunca tivemos uma loja flagship em Nova York”, explica Duffy. “Sempre abrimos pontos pequenos, como os da Bleecker, mas agora a LVMH está determinada a nos fazer realizar um sonho”. Após Nova York, Washington, Califórnia, Dallas e Miami estão no plano de expansão.

Apesar da movimentação, ainda não há planos para mais lojas de beleza. “Depende de como funcionar”, sinaliza Duffy. “Quando abrimos a Bookmarc, achei que seria única, mas já temos em Los Angeles, Paris, Londres e estamos abrindo uma em Tóquio”. Ele ainda indica que outras linhas podem surgir em parcerias de licenciamento, como joalheria e móveis.

A Marc Jacobs Beauty fica na Bleecker Street, 385.

**

360°  I  Mais uma loja de Marc Jacobs vira alvo de pichação   (26/06/13)

E o Kidult aparece novamente. O artista francês conhecido por pichar vitrines de grandes lojas, atacou mais uma vez contra Marc Jacobs. Se em maio de 2012 ele escreveu a palavra ‘arte’ na fachada da loja de Marc em Nova York, dessa vez ele escolheu a sede de Paris para escrever o número "686″ e vários cifrões. Logo em seguida, Kidult postou a foto de sua obra no Twitter junto da seguinte mensagem: "680? 689? … 686! Por quanto você vai vender essa? #kidultarmyparis". Os números e a hashtag fazem referência ao ocorrido na loja americana de Marc em que o estilista começou a vender uma camiseta com a estampa da pichação por U$ 689. Será que esse novo capítulo da novela Kidult X Marc vai render uma nova camiseta. [HuffingtonPost]

**

360°  I  Fábio Souza abre brechó À La Garçonne na Oscar Freire  (15/06/13)

Desde que abriu o brechó À La Garçonne, em Pinheiros (SP), Fábio Souza, companheiro de Alexandre Herchcovitch, só colheu bons resultados. Depois de quase dois anos, o endereço mudou e vai se instalar na rua Oscar Freire, a partir deste sábado (15.06), com direito a coquetel especial para amigos e clientes.

Fábio Souza com seu companheiro Alexandre Herchcovtich – Foto: Reprodução
“O antigo endereço era uma casa. O atual é uma garagem. Antes, tínhamos salinhas e quartos. Agora o espaço é amplo, com um mezanino, deixando tudo em um ambiente só”, explica Fábio que, neste primeiro momento, se preocupou mais com a decoração do novo espaço do que com as roupas em si. “Como já estava tudo organizado, foquei no décor, em peças que comprei em Tóquio e Nova York”, revela. Para quem não sabe, o endereço é 100% vintage. Um must!
“Trouxemos roupas do Japão e muita coisa dos Estados Unidos. No novo espaço será possível achar vestidos Comme des Garçons, casacos Chanel, tênis Nike, camisetas de shows e até conjuntinhos Courréges”, diz o empresário, que planeja uma viagem a Europa ainda este ano para mais pesquisa. Ele também quer abrir, no futuro próximo, um endereço só para camisetas e peças mais ‘em conta’. “Esse é um plano antigo, mas, diante das novidades atuais, o deixei de lado. Porém, isso não significa que não vou voltar a pensar nele”, finaliza. Matheus Evangelista, do SiteRG

**

360°  I  Michelle Obama repete vestido floral de Prabal Gurung em visita do príncipe Harry à Casa Branca    (11/05/13)

Primeira-dama escolheu modelo floral de Prabal Gurung que já havia usado em outubro de 2012. Estilista também é queridinho de Kate Middleton.

Michelle Obama em outubro de 2012, durante a gravação de um programa de TV nos EUA, e nesta quinta, 9, na Casa Branca, quando recebeu a visita do príncipe Harry: vestido de Prabal Gurung nas duas ocasiões

Até a primeira-dama Michelle Obama é gente como a gente. Ainda que todos os estilistas do mundo queiram que ela vista seus modelos, a mulher do presidente dos EUA, Barack Obama, repetiu o vestido que usou em outubro de 2012, durante a gravação de um programa de TV, para receber a visita do príncipe Harry na Casa Branca, nesta quinta-feira, 9. A peça da grife Prabal Gurung custa, segundo o jornal "Daily Mail", mais de US$ 1.500 (cerca de R$ 3 mil).

Não foi a primeira vez que Michelle repetiu um vestido do estilista, um de seus queridinhos. Ela usou um look assinado pelo designer, nascido em Cingapura, em maio de 2012, quando participou de uma cerimônia com George Bush, e em março de 2010, na inauguração de uma exposição num museu em Washington.

Outra fã de Prabal Gurung é a Duquesa de Cambridge, Kate Middleton. A princesa usou um vestido do estilista durante visita à cidade com o marido, príncipe William, em setembro do ano passado.

O vestido é o mesmo, mas os cabelos...

No início do ano, Michelle apareceu com novo corte de cabelo, com direito a franjinha reta, e logo virou sensação. Para a visita do prínicipe Harry, ela mostrou que mudou um pouquinho o corte. A franjinha continua lá, mas mais comprida, e os fios aparentemente ganharam uma escova que deram mais volume e movimento aos cabelos.

Michelle Obama em março de 2010 e em maio de 2012, outro repeteco de vestido assinado por Prabal Gurung

**

360°  I  A moda brasileira agoniza    (24/04/13)

A moda tupiniquim agoniza e anseia por um novo horizonte, sem mesmo avistar esse horizonte.
O velho e bom desfile que tanto vemos por aí, está saturado, desgastado, falindo, e pelo que tenho visto na ponte aérea Rio-São Paulo, só as grandes marcas conseguem avistar o clarão do flash no fim da passarela.

Na foto acima, imagem do backstage da Blue Man ©Agência Fotosite

Um grande passo foi dado na mudança das datas dos desfiles da SPFW e do Fashion Rio; mas, o que se viu na verdade, foi uma diminuição do line up das marcas que compoem a grade de desfiles dos respectivos eventos.
Tivemos uma semana de moda insossa, sem sal, sem grandes novidades. Até mesmo as principais estrelas que o Brasil não cansa de exportar para fora, deixaram os desfiles mais comedidos, tais como Lais Ribeiro, Katia Selinger, Gisele Bündchen, Raquel Zimmermann, Samira Carvalho, Lea T, entre outras que compoem a constelação de tops brasileiras e não pisaram em uma passarela nessa edição.
A moda brasileira pede ajuda, mas ninguém escuta, ninguém quer acender a luz da passarela para o grande show continuar brilhando.
Com um cronograma bem mais curto, o Fashion Rio deixou a desejar nessa temporada tão importante para os brasileiros. O verão é para o Brasil, o que o inverno é para o hemisfério norte. Aqui, em terras quentes, onde o corpo a mostra fala mais alto que os casacos e apetrechos que desfilam nas semanas de moda de NY, Milão, Paris… aqui reina a moda feita com pouca roupa, pouco tecido; reina o artesanal, o feito a mão, as rendas do nordeste, os biquinis e sungas do Rio de Janeiro, os incríveis jeans de São Paulo, os calçados do sul… e por aí vai, em uma país tão grande, mas tão carente em relação a uma moda estruturada.
Hey presidenta Dilma, estamos aqui! Também precisamos de incentivo fiscal, também precisamos de uma reestruturação em uma cadeia produtiva que abrange milhões de pessoas; direta e indiretamente. A indústria da moda é a segunda que gera e emprega mais pessoas no Brasil.
Com a chegada das grandes marcas dos famosos coaglomerados fashion do mundo, tivemos uma invasão de produtos importados que competem de forma desleal com marcas brasileiras. Falamos de marcas com mais de um século de expertice em marketing, produtos, mão de obra e por aí vai.
Sem um bom incentivo do gorverno brasileiro, o produto final chega ao mercado com preços tão elevados quanto aos das marcas extrangeiras.
Se os automóveis receberam tal incentivo do governo, porque a segunda cadeia mais produtiva do país que tem um futuro brilhante em exportações, não recebe o mesmo apoio, não se tem a devida atenção dos nossos governantes?
A cada R$100 pago em uma roupa no Brasil, R$54 é só de impostos. Mas para onde vai todos esses impostos que pagamos? Onde é investido o valor do imposto de uma calça jeans comprada em São Paulo? Ou até mesmo da sunga vendida no escaldante sol do Rio de Janeiro?  
Fica aí a questão!  HoM

**

360° I Do backstage, um close up no verão carregado de sex appeal da Triya    (19/04/13)

"As mulheres da Triya usam a nudez e o fetiche como arma de poder e de dominação", escreveu Carolina Vasone, editora de projetos especiais da Vogue, sobre o verão 2014 da marca de beachwear, cujo desfile aconteceu na noite desta sexta-feira (19.04) durante o Fashion Rio.

Renata Kuerten no backstage (Foto: Marcio Madeira)

"As mulheres da Triya usam a nudez e o fetiche como arma de poder e de dominação", escreveu Carolina Vasone, editora de projetos especiais da Vogue, sobre o verão 2014 da marca de beachwear, cujo desfile aconteceu na noite desta sexta-feira (19.04) durante o Fashion Rio. "Elas são sexy, nada delicadas e bobas", contaram Isabela Frugiuele, Carla Franco e Bebel Fioravanti, da marca. Entre as referências usadas na construção da imagem de moda que apareceu na passarela, constavam a obra do fotógrafo Helmut Newton "e seus nus", o mix da figura da mulher "com rosas e objetos" da artista visual Linda Sterling e o grafismo, "usado nas estamparia", de M.C. Escher.

Um dos looks com maior efeito "uau"? "É uma armadura feita de fios de lycra e tubos banhados em ouro - é como se ela protegesse essa mulher, que está nua por baixo", explicou Bel. Veja os cliques abaixo.

Carola, veste o modelo mais ousado do verão 2014 da marca (Foto: Marcio Madeira)

**

360° I "Peço desculpas por ter criado o termo ‘fashionista’ há 20 anos", diz escritor americano Stephen Fried    (19/04/13)

“Há vinte anos, aparentemente eu mudei a linguagem para sempre. Publiquei, em  um livro, uma única palavra com poder terrível e controverso. Essa palavra é  ‘fashionista’. Acho que eu deveria pedir desculpas a todos os usuários da língua  pelo meu crime contra a nomenclatura”. O trecho é de um artigo publicado pelo  escritor americano Stephen Fried na revista “The Atlantic”.

Donatella Versace dá as mãos a Kate Moss e Naomi Campbell após um desfile em  1999. A estilista uma vez disse que é “fashionista com orgulho” Gareth  Watkins

Fried inventou o termo em 1993, quando escrevia a biografia da modelo Gia  Carangi, que morreu aos 26 anos vítima do vírus HIV, contraído devido ao vício  em heroína. Na época, “fashionista” foi a melhor maneira que o escritor  encontrou para englobar todos os profissionais que trabalham no mundo fashion,  de modelos a jornalistas.

A palavra foi usada somente quatro vezes ao longo do livro, e foi chamada de  “rótulo brega” em diversas críticas na época do lançamento. Mesmo a esposa do  autor, que também era a editora da publicação, odiou o termo. Apesar disso, o  uso começou a ser difundido com o passar do tempo, principalmente depois que a  HBO decidiu adaptar o livro para o cinema, com a Angelina Jolie interpretando o  papel principal. Então, em 1999, o verbete foi incluído no dicionário inglês  Oxford. E até Donatella Versace uma vez declarou que é “fashionista com  orgulho”.

Para Fried, o problema de “fashionista” é ter fugido do significado inicial  que ele quis dar. Atualmente, muitas pessoas usam a palavra de uma forma áspera,  como um insulto às vítimas do mundo fashion.

"Já que a definição do termo inclui aqueles que escrevem sobre a moda,  acredito que isso quer dizer que eu sou tecnicamente um fashionista. Embora se  você me visse aqui sentado no escritório usando os mesmos nada fashions jeans e  camiseta pelo segundo dia consecutivo, eu duvido que essa seria a primeira  palavra que viria à sua mente" escreveu no artigo.

**

360°  I  Salvem a moda  (28/03/13)

Quem trabalha com moda no Brasil, principalmente no centro do mundinho paulistano, já sabia de longa data pelos comentários de bastidores. A Huis Clos passava por problemas financeiros, à margem do mercado que ajudou a formar. Clô Orozco estava deprimida e abusava dos remédios. Já tentara o suicídio algumas vezes.

E o dia começou assim, hoje. Triste, desolador, doloroso. Mas não exatamente inesperado, não é mesmo?

Parece drama de existencialista. E Clô, ao batizar a marca com referência sartreana, não deixava de lado essa sua faceta. Por isso mesmo, tinha a fama de uma das mulheres mais interessantes e inteligentes de se conversar.

Parece drama de existencialista, mas não é. Clô é um símbolo de muito do que anda errado na moda brasileira.

Um mercado em que os veteranos lutam para se manter e a renovação é praticamente nula. Onde os mais velhos desistem e não deixam substitutos à altura. E que vai sendo canibalizado cada vez mais pelos peixes grandes.

É um pouco de romantismo, pode se dizer. No capitalismo é assim, também é um argumento válido. Mas na propaganda que pede uma identidade de moda brasileira, de onde ela vem? Uma Huis Clos poderia ser um exemplo de marca que, com investimento e uma gerência de gente grande, duraria como símbolo de moda nacional, principalmente paulistana. E não só para iniciados e nos livros de história.

Clô não era a única criadora da sua geração com problemas e depressões, pessoais ou financeiras. Era, talvez, apenas o elo mais frágil do grupo. E enquanto isso, a nossa moda criativa e esforçada vai definhando.

Mas, de novo, isso é coisa que só se discute baixinho, em jantares e bastidores. A propaganda dá conta de uma indústria brilhante, alegre e saudável. Quem desiste, se esforça para desistir sorrindo.

Huis Clos, em francês, se refere a um termo sobre "discussão a portas fechadas".
Talvez seja hora de abrirmos essas portas. Talvez seja essa, afinal, sua grande herança.

O inferno, nem sempre, são os outros.  Eduardo Viveiros - Chic

**

360° I Top Karlie Kloss leva seus famosos "kookies" para shooting da Vogue Brasil    (22/03/13)

Karlie Kloss chegou com um presente especial no shooting da Vogue Brasil, nesta sexta-feira (22.03): uma caixa com seus "Karlie's Kookies". Giovanni Frasson, diretor de moda da Vogue, registrou a top com os pacotinhos dos cookies do bem - em uma iniciativa beneficente feita em parceria com a FEED, para cada unidade vendida, dez refeições são doadas para escolas.

Karlie Kloss com seus Karlie's Kookies: presente para a equipe da Vogue Brasil (Foto: Giovanni Frasson)

"Eu amo cozinhar e amo comer doces, mas faço isso com consciência e saúde. Meus cookies não levam açúcar, laticínios ou ovos e, ainda sim, são deliciosos", contou ela (clique para conhecer a receita do doce). Se os famigerados biscoitos da top model são realmente bons? "Ainda não experimentamos, será a sobremesa do almoço de nossa equipe, como ela mesma sugeriu", revelou Giovanni. Yummy.

Karlie Kloss posa com seus cookies do bem (Fotos: Giovanni Frasson)

**
360° I Top Isabeli Fontana desfila com decote arrasador para Tufi Duek no SPFW    (18/03/13)
Isabeli Fontana mostrou por que é uma das maiores tops das passarelas mundiais ao desfilar para a grife Tufi Duek nesta segunda-feira (18), primeiro dia de SPFW Verão 2014. A top mostrou as curvas perfeitas em um vestido branco justíssimo com decote V profundo. O look revelador (e relativamente minimalista) foi complementado com um sapato Mary Jane preto. É para quem pode!
Isabeli Fontana ousa com decotão na passarela. Fotos: Tricia Vieira / GNT
 
Isabeli também desfilou um look preto total. Veja abaixo:
Na segunda entrada, Isabeli desfilou um look mais comportado. Foto: Tricia Vieira / GNT

**

360°  I  Victoria Beckham libera teasers do e-commerce; veja   (26/01/13)

O primeiro site e-commerce da Victoria Beckham será lançado em fevereiro, mas já é possível ter uma prévia do que está por vir. Isso porque a estilista lançou vários teasers do novo site em forma de vídeos que duram alguns segundos e mostram flashes de modelos, peças, desfiles, acompanhados pelas narrações da própria estilista. Em um dos vídeos, ela diz: “O que as pessoas esperam de mim? Eu acho que as pessoas esperam o melhor”, em outro, a voz ao fundo questiona: “Como eu quero que as mulheres se sintam? Eu quero que elas se sintam bem com elas mesmas, é o que eu quero fazer.” Assista aos teasers abaixo. [Styleite]


 
**

360°I No Instagram de Bruna Tenório!    (31/10/12)

A top Bruna Tenório (@brutenorio_real) vem postando fotos dos seus dias nesta temporada do SPFW. A modelo postou fotos dos seu looks nos bastidores dos desfiles da Osklen, Têca e Tufi Duek, além de uma imagem chegando ao Parque Villa-Lobos. O encontro com as colegas modelos Fabi Mayer, Daiane Conterato e com o repórter Caio Braz, do lado de fora do backstage, também foi registrado. Camila Novaes, em colaboração para o FFW

**

360°  I Anna Piaggi: R.I.P I Morre aos 81 anos a extravagante editora de moda    (07/08/12)

Rest in fashion, Anna Piaggi. Morreu, nesta terça-feira (07.07), uma das mais excêntricas editoras de moda de que se tem notícia. Aos 81 anos, era a tradução perfeita do extravagancia, e da moda com senso de humor.

Nascida em Milão, fez carreira, primeiro, numa editora de livros. Era tradutora, com uma quedinha toda especial para assuntos de moda. O segundo passo foi a revista Ariadn. Desde então, fez carreira nas mais importantes publicações do mundo. E passou por todas as filas As. Apaixonada por moda, tinha uma coleção com mais de 2.865 vestidos e 265 pares de sapatos.

R.IP, Anna Piaggi. Os front rows nunca mais serão os mesmos…

**

360° I Estilista Raf Simons faz seu mainstream na Dior e arrasa!    (11/06/12)

Quem esperava ver a extravagância e a dramaticidade (incríveis por sinal!) de John Galliano na estréia do belga Raf Simons como diretor criativo da maison Christian Dior na coleção Haute Couture Inverno 2012/2013 surpreendeu-se com a proposta purista do estilista. Em uma homenagem ao icônico estilista criador do New Look, Raf trouxe a silhueta feminina e delicada unida ao minimalismo quase austero, mas super sofisticado. Cintura marcada, o comprimento da barra aos pés de 40cm apareceram em saias e vestidos volumosos. Vestidos curtos faziam sobreposição com calças cigarretes numa proposta que mistura o clássico com o moderno.

Em meio ao mood clean do desfile jóias ostensivas davam o toque ousado e couture. A beauty era sem grandes afetações com a atenção voltada para a boca em tom vermelho alaranjado. Nas 54 peças desfiladas o que vi foi que a maison entra numa nova etapa em que os tempos gloriosos de John Galliano e seu talento nato abrem espaço para o jovem estilista que vai dar muito o que falar. É só esperar para confirmar!
 

 
**

360°  I Gisele Bündchen se declara fã dos modelos de Victoria Beckham e mostra look preto clássico   (01/06/12)

Gisele Bündchen mostrou que é fã e consumidora das roupas criadas por Victoria Beckham. Em sua página no Twitter, a modelo brasileira postou uma foto com uma das peças da estilista - um vestido preto bem clássico e elegante - e pergunta para os fãs "Gostaram?". E como não gostar se tudo o que a übermodel usa fica lindo?!

**

360°  I Natural Model Management I Uma agência de modelos para garotas  plus size (01/02/12)

Katie Halchishick, uma modelo plus size que emagreceu e depois voltou a ter as medidas de uma plus size, foi contratada para vários trabalhos quando tinha seus quilinhos a mais, com  apenas 17 anos. Quando a modelo começou a perder peso, através de exercícios, ela não conseguia mais trabalhos. “Quando eu tinha uns quilos a mais eu tinha que vestir roupas grandes, e isso funcionava (mantendo os clientes) por um tempo.” Diz Katie (Ela não é a primeira modelo plus size a tentar esse caminho). Seu agente, logo sugeriu que a modelo perdesse algumas medidas, para que ela pudesse trabalhar na mesma linhagem que as modelos magérrimas desfilam por aí, mas a modelo se sentia muito mal (leia-se com fome) e acabou voltando ao peso de antes. Agora Katie abriu uma agência voltada para modelos cheinhas, chamada Natural Model Management, uma agência para meninas como ela, que são consideradas um pouco magras para os padrões de uma modelo plus size, mas continuam sendo consideradas plus, frente as modelos que vestem tamanho 36. “Fornecemos uma alternativa mais atraente para modelos que não querem morrer de fome ou vestirem roupas gigantes. Esperemos que o mercado irá colocar seu dinheiro onde sua boca está e provar que realmente existe uma demanda de meninas saudáveis.” Revela Katie. Será que a moda pega no Brasil?  HoM

**

360°  I Novo espaço ligado ao Cartel 011, em SP, quer inovar modelo de venda para lojista  (21/11/11)

O Cartel 011, espaço que reúne galeria de arte, local para eventos, co-working, estúdio de criação, loja multimarcas, salão de beleza e, em breve, um restaurante, abriu no sábado (19.11) o Suite 011, projeto que quer inovar o conceito de showroom. “O objetivo é que o lojista tenha o Suite 011 como uma referência, um lugar onde ele encontra um mix de produtos que podem incrementar seu negócio ou ainda propiciar um novo. Assim como na nossa loja, a edição será composta pela mistura de marcas indies e majors que se complementam, proporcionando maior amplitude ao consumidor final, gerando inovação e maior resultado em vendas”, afirma Cristian Resende, idealizador do projeto e sócio do Cartel 011 ao lado de Daniel Ueda e Fernando Sapuppo.

A ideia é remodelar o conceito de showroom fazendo com que o lojista não chegue apenas para comprar uma marca, mas sim para se inserir no universo dela e observar quais outras podem ser complementares, além de ter também serviços de consultoria agregados, como, por exemplo, um departamento de design que pode cuidar do desenvolvimento visual da sua loja ou um novo projeto arquitetônico. A primeira marca presente no Suíte 011 é a Nixon, grife californiana presente há três anos no Brasil com seus produtos que vão de relógios e headphones a laptops e roupas.

“O Suite 011 é uma experiência em que um lojista vende para outro lojista e sabe exatamente de suas necessidades. Por estar há 18 anos no mercado e hoje ter a CZO Edition Store comercializando diversas marcas [como a coleção limitada Adidas assinada por Jeremy Scott], além da própria Nixon, tenho uma visão geral do mercado e assim posso repassar ao lojista o que melhor se encaixa ao seu negócio, pois faço um laboratório na minha própria loja antes de oferecer os produtos ao mercado”, conta Cristian Resende. “Outro ponto que fortalece esse conceito é o retorno das multimarcas pelo mundo, por exemplo a Opening Ceremony, Wood Wood, Dover Street Market, entre outras. Acredito muito no poder da edição e curadoria de marcas e no mix produtos diferenciados dentro de uma loja. O consumidor hoje é multitaste e apostamos nisto desde o inicio do Cartel 011”, completa. ffw

Suite 011 (mesmo endereço do Cartel 011)
Rua Artur de Azevedo, 517, Pinheiros
São Paulo – SP
(11) 3081-4171

**

360° I Qual é o melhor trabalho para uma modelo nos dias de hoje?  (05/11/11)

Assim como qualquer outra carreira, há níveis definidos de sucesso quando se trata do mundo das modelos. Você começa pagando suas dívidas com desfiles, e, esperançosamente, se você tiver qualquer sucesso a longo prazo, seguirá em direção ao topo, até conseguir uma boa campanha.

Nos tempos da supermodel Cindy Crawford, costumava ser assim: desfilar para a grife Versace, ser fotografada por Richard Avedon, e se tornar o rosto da Revlon. Mas quais são os trabalhos mais cobiçado ao longo de uma trajetória profissional de uma modelo nos dias de hoje?
Buscamos alguns dos melhores no mundo das modelos, incluindo Ivan Bart da agência IMG, a top top Crystal Renn, o diretor de casting James Scully, e a estrela em ascensão Josephine Skriver.

Chris Gay, presidente da Marilyn Agency

“Os contratos de Cosméticos sempre são considerados a jóia da coroa na carreira de uma modelo; editorialmente falando, as capas da Vogue italiana, francesa, americana também tem um impacto enorme na carreira.”

Coco Rocha, top model
“Qualquer contrato de perfume e cosméticos, é claro. Mas trabalhar na Ásia pode pagar muito também. Claro, não é o mais glamuroso, mas a modelo é capaz de pagar sua hipoteca.”
 
Scott Lipps, One Management
“Sair na capa de revistas como Vogue francesa e italiana são sempre momentos decisivos na carreira. Ainda assim, as campanhas para marcas de ponta como Prada e Louis Vuitton são grandes também, como o sonhado contrato de beleza da Estée Lauder.”
 
James Scully, Diretor de casting  (Carolina Herrera e Jason Wu)
“Depende. Uma modelo entra no negócio esperando um dia por um contrato de cosméticos ou da Victorias Secret.
No entanto, grandes desfiles são a chave para o lançamento de uma boa carreira. Principalmente porque todo mundo assiste os desfiles, incluindo fotógrafos e stylists. Ou vice-versa, um Steven Meisel ou Inez e Vinoodh ou Mert e Marcus pode fotografar uma garota antes dela despontar nas passarelas. Isso funciona nos dois sentidos.”
 
Caroline Poznanski, Diretora da Supreme Management
“Hoje, [existem] tantas meninas trabalhando como modelo, que isso vai rápido. Acho que é tão importante ter uma carreira sólida, para não ser a garota momento, e seis meses depois não ter mais trabalhos e contratos.
Para nós, um bom negócio é ter um contrato de cosméticos ou perfumes, porem também ter de dez a quinze anos de carreira, com grandes editoriais, ajuda a atingir as campanhas e contratos (evoluindo em uma grande modelo).

David Bonnouvrier, fundador da DNA Models
“Uma carreira é geralmente feita de uma sucessão de marcos; Abrir desfiles de importantes shows ajuda a pegar bons editoriais, que em troca leva ao sucesso financeiro na forma de contratos, cada um deles sendo tão importante quanto o outro. Conheço um monte de meninas que tinham uma carreira editorial incrível, mas não foram bem-sucedidas financeiramente. Sei também modelos que estavam gerando um monte de dinheiro e não tinham um bom editorial.”

Josephine Skriver, Face Rising em Modelagem
“Hmmm, esta é uma pergunta difícil! Ser a única menina da campanha é incrível, ou se tornar uma angel da Victoria’s Secret. Ambos seriam “o sonho virando realidade”, mas há tantas oportunidades na indústria hoje em dia que é difícil apontar apenas uma coisa. Acho que até chegar a onde estou hoje já é uma das “melhores agenciadoras de modelos.”

Cory Bautista, Diretora da New York Models
“O melhor trabalho para uma modelo iniciar sua carreira é ser exclusiva em importantes desfiles como Calvin Klein, Prada, ou Balenciaga. Se acontecer de abrir qualquer um desses desfiles, mais a imprensa irá falar da nova newface do momento. Essas trabalhos conduzirá inevitavelmente a campanhas e editoriais, fotografados pelos melhores fotógrafos do mundo, todos nós sabemos quem são eles”.

Andrew Weir, Diretor de casting  (Thakoon e Viktor & Rolf)
“O anel de bronze para uma modelo hoje em dia é ser o rosto de uma das principais marcas de fragrâncias ou cosméticos, tais como Estée Lauder ou Lancôme. Depois disso, o melhor contrato para uma modelo seria uma campanha publicitária para uma grande marca, que é ao mesmo tempo lucrativa e cool; Gucci e Calvin Klein me vêm à mente agora”.

Paul Rowland, presidente da Ford Models
“Eu não acho que  um contrato seja a chave. É a carreira bem administrada no geral que faz uma menina uma estrela.”

Crystal Renn, Top Model
“O cobiçado contrato de cosméticos é sempre o Santo Graal. Ele também te oferece a oportunidade de trabalhar e representar uma marca da maior forma significativamente.”

Declaração da Women Management
“Hoje em dia, qualquer trabalho (capa, campanha editorial,) que usa uma modelo é o melhor trabalho. Há um mar de celebridades genéricas (atrizes e estrelas pop) que recentemente seqüestraram campanhas de moda e capas. A modelo para ser top hoje em dia, tem que trabalhar mais do que nunca para sair de uma Fashion Week e estabelecer-se como nome de marca”.

Jennifer Starr, diretora de casting (Ralph Lauren e do Calendário Pirelli)
“O melhor trabalho para uma modelo realmente depende da modelo e o que ela quer fora desta indústria – e o que ela poderia realisticamente trabalhar. Eu encontro muitas cujo maior sonho é fazer Victorias Secret. Outras citam tornar-se uma garota da Vogue americana ou.. ser fotografada por Steven Meisel como o auge do sucesso. Ou claro, um contrato é, provavelmente, como ganhar na loteria. assinando um milionário contrato de vários anos com Estée Lauder, Calvin Klein ou Ralph Lauren”.

Ivan Bart, Diretor Gerente da IMG Models
“Sempre Steven Meisel. Fotografando com Steven, você acaba trabalhando com as melhores marcas de luxo; Editoriais criativos e imaginativos, bem como imagens em movimento nos dias de hoje”

Então, aqui temos todas as dicas pessoal, Um contrato de cosméticos ainda é o maior faturamento de um modelo. Fotografar preferencialmente por Steven Meisel, assim como usar as famosas asas das Angels da Victoria’s Secrtet. (HoM)

**

360° I Direto de Paris: a peregrinação matinal para o desfile de Haider Ackermann  (01/10/11)
Por Paula Rita Saady, em Paris
Desfile de Haider Ackermann movimenta Paris logo de manhã ©Paula Rita Saady

Sábado começa com Haider Ackermann tirando fôlego dos fashionistas que acordam cedo para ver o estilista colombiano. Mesmo os notívagos de plantão como Olivier Zahm, diretor artístico da “Purple Magazine”, estavam lá para prestigiar o designer: “Haider é um dos maiores talentos de sua geração, não é à toa que ele é sempre cogitado para assumir as marcas mais prestigiosas“ (leia-se Dior, Givenchy e até Chanel).

Placa indica o caminho para o desfile do estilista ©Paula Rita Saady

No Ginásio Esportivo de Bercy, local afastado do centro da cidade em um parque de mesmo nome, placas indicavam o local do desfile, que não estava fácil de achar, parecia um mapa da mina. Tinha muita gente perdida pedindo informação, até porque eram 10 da manhã, o sol estava à toda e ontem aconteceu a tão esperada festa do Terry Richardson, organizada pela Colette. Óculos escuros reinavam.

Mas valeu a pena: ao som de “Imagine” de Antony and the Johnsons, modelos desfilavam ternos desestruturados com carrot pants sarouel em tecidos metalizados, acetinados e plastificados (olha o sereísmo se confirmando como tendência!), além de vestidos transparentes e sensuais com um toque urbano, como o da modelo Diane Conterato.

Looks do Verão 2012 Haider Ackermann ©ImaxTREE/FFW

A novidade ficou por conta dos looks em azul klein, já que o designer raramente trabalha com cores vivas. Véus, alfaiatarias e moulages tinham um perfume Mil e uma Noites. Poético. “Os materiais eram incríveis, principalmente o ‘lamê líquido’”, disse Anna dello Russo ao final do desfile.

Outra editora que gostou da apresentação foi Suzy Menkes, do “International Herald Tribune”: “Adorei a proposta dos sapatos masculinos em forma de mule”, disse ao site FFW. Ela também aproveitou para falar um pouco do Seminário do Luxo Internacional que ela organiza no Brasil em São Paulo, nos dias 10 e 11 de novembro. “Toda essa movimentação dos shopping centers mostra que os brasileiros estão prontos para o luxo, mas o caminho não é de mão única. Existem muitos produtos brasileiros que podem e devem ser comercializados mundialmente. Estou particularmente interessada pela joalheria”. completou. Mônica Horta - ffw

**
Arizona Muse em editorial com perfume retro-chic da Vogue UK de agosto/2011  (03/08/11)
 
Parece um revival setentista com pinceladas fifties o editorial magnífico da Vogue UK de agosto/2011. Clicada pelo Lachlan Bailey, a supermodel (que está bombando) Arizona Muse exibi looks minimal, em tons fortes que são a cara dos 70's. Atenção para a dobradinha de camisa com saia mídi, styling perfeito assinado pela Miranda Almond. Batizado de "Midi Town" os shots fazem uma referência da elegância atemporal dessa estética dos anos 70 e incorpora sutilmente uma pegada mais contemporânea. Afinal, é de sutilezas que a elegância em si é formada. Enjoy!








**

360°  I Os vestidos incríveis da Zuhair Murad Haute Couture Inverno 2011/2012 (30/07/11)

Haute Couture Inverno 2011//2012 o que se vê é um verdadeiro show de sensualidade, maestria no quesito acabamento e desejo inspirado em vestidos dignos de red carpets. Maxidress  com transparências e rendas suntuosas, assemblagem de pedras, camadas e mais camadas de tule. A silhueta aparece pomposa como os esvoaçantes e volumosos além da presença de shapes mais slim como os vestidos coluna com fendas generosas e os vestidos longos com mangas (trendy total!). Atenção para o vestido de noiva que foi o ponto alto do catwalk. O dresscode do Zuhair Murad é PODER. Certifique-se!


 **

360°  I Emma Watson brilha na première de Harry Potter em Nova York (12/07/11)
Emma Watson está dando o que falar com suas escolhas de vestidos para as estréias do último filme da saga Harry Potter. Ela já encantou de Oscar de La Renta em Londres e para Nova York ela optou por um modelito dourado da Bottega Veneta.

Fotos: dailymail.co.uk

**

360°  I Modelo Silene Zepter volta às passarelas direto dos anos 90 (17/06/11)

Na onda do retorno das supermodels dos anos 90, a surpresa de Fause Haten para o desfile da sua FH nesta sexta (17.06) é Silene Zepter. A modelo, que começou na época de Cassia Avila e Lara Gerin, agora volta à pedido do estilista e amigo de longa data, para ser uma das mulheres vendadas que desfilam cegas pela passarela com as novas criações do estilista.

“Eu fui modelo do Fause desde o começo, no Phytoervas Fashion”, relembra. “Naquela época, ficava todo mundo sentado no chão… Não tinha essa estrutura que tô vendo agora.” O Phytoervas, se você nasceu nos anos 90, foi o embrião do SPFW, e vários começaram ali, como Fause e Alexandre Herchcovitch por exemplo.

Passados todos esses anos, Silene reencontrou o amigo… no tablado. “Estou estudando teatro, no Célia Helena”, revela. Sobre seu comeback, ela completa: “Adoro modelar, é minha profissão, mas ser atriz agora é meu foco.”

Silene está chegando perto dos 40 (nasceu em 1972), mas segue impressionando com sua beleza. O segredo: “Abuso dos meus ácidos noturnos, máscaras e peelings. Dieta, sinceramente, não faço muito, mas seguro a onda nos doces.” Anotado!  (Vogue)

**
 360°  I Marca de produtos de cabelo Moroccanoil chega ao Brasil   (02/04/11)

Motivo de comemoração nesse fim de sexta-feira: Vogue acaba de saber, em primeiríssima mão, que a marca de produtos de cabelo Moroccanoil vai desembarcar no Brasil. Famosa pelo óleo de tratamento à base de argan que detonou uma verdadeira febre cosmética, a marca começa a vender seus produtos por aqui oficialmente dentro de alguns dias.

Para entrar no mercado eles trazem, por enquanto, apenas o Óleo de Tratamento, que é o produto original – máscaras de tratamento, xampu e spray de brilho foram lançados depois e devem chegar aqui dentro de seis meses. O vidro de 100ml vai sair por R$ 150.

O diretor artístico da marca, Antonio Calero, contou que o boom do produto, adorado por celebridades como Penélope Cruz, Nicole Ritchie e Miranda Kerr, tem justificativa simples: “Ele funciona! E é multiuso, pode ser aplicado no cabelo molhado ou seco, dando brilho imediato e tratando a longo prazo. Também facilita a vida porque reduz em 40% o tempo de secagem dos fios, além de proteger contra danos externos”.
 
Apesar de ser um óleo, o produto não deixa os fios pesados e é indicado para todos os tipos de cabelo – mesmo assim vem também a versão Light, indicada para fios oleosos e finos. “Somos como a Coca-Cola: apesar de saberem os ingredientes que usamos, ninguém conhece a fórmula”, diz Antonio.
O Moroccanoil é patenteado e a empresa, não raro, entra com processos judiciais contra falsificadores.
Mesmo já presente em alguns salões do país, a marca não tinha representação nacional. A estratégia é vender apenas em salões top, e a distribuição começa por São Paulo – entre os que vão receber o óleo estão o MG Hair Design, o Ash, o Loft no Shopping Cidade Jardim, o Studio W Iguatemi e Higienopolis e o Jacques Janine. A expansão para o resto do Brasil deve acontecer em breve. “Vamos dar um passo de cada vez”, diz Antonio. (VICTORIA CERIDONO)
**
360°  I Eudora inaugura primeira loja e e-commerce (29/03/11)
 

A Eudora, marca do grupo Boticário lançada em fevereiro, inaugura sua primeira loja nesta terça-feira (29).

No espaço no shopping Morumbi, toda a coleção de makes da marca, inclusive os que foram usados no último desfile da Issa pela maquiadora Charlotte Tilbury, como o batom nude Magic toffee e os gloss transparentes Wild coffee e Delight nude. A Eudora aproveita a data para lançar também seu e-commerce (www.eudora.com.br) .
**
360°  I Mostra une cinema e moda no CCBB de São Paulo (18/01/11)
 
Audrey Hepburn, a Holly Golightly de "Bonequinha de Luxo", continuaria espevitada e elegante sem as delicadas roupas de Hubert Givenchy? O encrenqueiro Jim Stark, papel de James Dean em "Juventude Transviada", seria o mesmo rebelde sem sua jaqueta de couro e o cabelo para trás? E Barbarella, a aventureira espacial de Jane Fonda, teria o mesmo poder sem os trajes sensuais de Paco Rabanne?

A interação entre cinema e moda e a maneira como as duas áreas se relacionam dentro e fora dos sets são o tema de mostra gratuita de filmes, além de um desfile, duas mesas redondas e duas palestras, que começam hoje no Centro Cultural Banco do Brasil, na região central da cidade. Até o dia 30 deste mês, a 3ª edição da Mostra Cinema de Moda exibe 30 produções que influenciaram o mundo fashion de alguma forma.

Serão realizadas três sessões diárias numa programação que promete um panorama abrangente com obras de diversos países - entre eles França, Inglaterra, Itália, Portugal, Estados Unidos e China -, lançadas entre os anos de 1930 e 2009.
A seleção, que traz títulos bem variados, incluindo "Roma - Cidade Aberta" (1945), de Roberto Rossellini, "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa" (1977), de Woody Allen, e "Moulin Rouge - Amor em Vermelho" (2001), de Baz Luhrmann, foi composta a partir de indicações de nomes ligados à moda nacional. Entre os curadores, estão os estilistas Dudu Bertholini, Rita Comparato e Reinaldo Lourenço, Charles Cosac, dono da editora Cosac Naify, a consultora de moda Priscila Brunetti e o historiador de moda João Braga, que participa no dia 25, aniversário de São Paulo, de uma palestra sobre a história da moda na capital paulista.

Diretor do CCBB, Marcelo Mendonça comemora. "A moda é expressão de comportamento. Faz tempo que procurávamos uma maneira de discutí-la como uma expressão cultural", afirma. E não são somente os iniciados no assunto que o evento deve atrair. "Queremos ampliar o alcance das atrações. Como estamos localizados no Centro e recebemos mais de 2 mil pessoas por dia, fica mais fácil reunir um público variado, quem já entende e quem não entende nada de moda", diz.

Assim, para ajudar os espectadores mais leigos a compreender a importância dos filmes, antes de cada sessão, o crítico de cinema Luciano Ramos fará uma breve explicação em vídeo. "É uma chance de aumentar o repertório visual e cultural. O interessante é que a mostra começa dias antes da São Paulo Fashion Week, um período em que as pessoas já estão de olho nesse tema", diz ele, que destaca a exibição de obras raras. "A programação traz filmes que não são facilmente encontrados nem nas locadoras. Caso do português Aldeia da Roupa Branca (1939), de Chianca de Garcia, e do filme francês com ares de documentário "A Elegante Polly Maggoo" (1966), de William Klein", explica.

Mostra Cinema de Moda
Centro Cultural Banco do Brasil (Rua Álvares Penteado, 112)
De 18 a 30 de janeiro
Entrada gratuita
Programação completa www.bb.com.br/cultura
**

360°  I Valerija Kelava and Ming Xi for Vogue China February 2011 by Daniel Jackson (16/01/11)

**

360°  I Ícones religiosos inspiram novo vídeo da Gareth Pugh (14/01/11)
Como parte da Pitti Immagine #79, em Florença, a Gareth Pugh fez sua estréia na moda italiana em grande estilo. Trabalhando em conjunto com a cineasta Ruth Hogben e a modelo Natasa Vojnovic, a marca inglesa desenvolveu o filme acima, que foi projetado no teto da Igreja Orsanmichele, datada do século 14. Inspirada pela iconografia religiosa e pela cidade de Florença, a coleção criada especialmente para a ocasião incorpora cores como ouro e azul. No vídeo algumas peças podem ser vistas em movimento. [Fashionologie]
**
 
360° I Jessica Stam paraVogue China Janeiro 2011 by Ellen von Unwerth (08/01/11)

 

**

360°  I Ruthie Davis está nos pés Beyoncé, Gaga e Katy Perry (06/01/11)
Ruthie Davis é mais do que uma linha de sapatos. Ela mantém a inovação técnica, precisão arquitetônica, e uma sensibilidade estética elegante que tem sido reconhecida em todo o mundo.
Ruthie Davis é uma modernista que ama todas as coisas da moda e à alta tecnologia. Ela lançou a marca que leva seu nome em 2005. Ela trabalha com materiais como titânio, cromo, grafite e fibra de carbono, ela transforma esses elementos em tecnologia de ponta, estiletes arquitetônico, cunhas, plataformas  com elegância, sensualidade e padrões superiores.
Trabalhou antes na REEBOK onde Davis era conhecida como “Cool Hunter” (em 1997), alguém que identifica tendências e as converte em produtos de consumo e comercialização. Como o diretor da divisão Reebok Classic, ela empurrou a marca com o lançamento “Classic Derivatives”, que ela reinventou as versões mais “moda“ dos clássicos  tênis branco que logo se tornaram o mais quente e campeão de vendas da Reeboks.

Como vice-presidente de Design e Marketing da UGG Austrália, Davis tomou a marca de surf da Califórnia UGG e a transformou em acessório de moda o mais querido em todas as costas. Ela reposicionado UGG como moda, adicionou novos estilos atualizados e assumiu uma estratégia de marketing, que incluiu o DNA UGG sobre a multidão de Hollywood.

Como vice-presidente de calçados femininos Design e Marketing da Tommy Hilfiger, Davis viu que as meninas adoravam  a marca, fazendo com que ela lançasse a  ”Tommy Girl Shoes”, composto por estilos de moda preppy para uma idade mais jovem e descolada.
Hoje Ruthie Davis é uma marca consagrada. Veste das artistas de Hollywood a Lady Gaga, Beyoncé e Perry.

 

 
 
Fonte:ComunidadeModa
**
 
360°  I Segurança de aeroporto confisca Louboutins (04/01/11)
 

A TSA (Transportation Security Administration), também conhecida como a temida equipe de segurança dos aeroportos americanos, está dando o que falar novamente no mundo da moda. Após serem criticados por contatos físicos inapropriados e recusarem transporte de leite materno, desta vez a última “vitima” das medidas drásticas de segurança foi o artista Taz Arnold que Twittou uma foto do TSA revistando seus sapatos Louboutins que são adornados de espinhos de metal. Segundo o TSA, o sapato, que é queridinho da temporada na moda masculina, poderia ser considerada uma arma. Absurdo ou melhor não arriscar um chute desses? [Racked]
modismonet.com

Comentar

Você precisa ser um membro de universomovie para adicionar comentários!

Entrar em universomovie

Badge

Carregando...

U/Fashion Films

models.com

Pre-Fall Girls

sanne1

See which top models are everywhere in the pre-fall lookbooks More...

Vídeos

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

We are so Droeë

Blow Up

Publication: Garage Magazine Fall Winter 2014-2015 Model: Amanda Wellsh, Cara Delevingne, Natalie Westling, Thairine Garcia, Binx Walton, Sasha Luss, Hollie May Saker, Esmeralda Saey-Reynolds Photographer: John Akehurst Hair: Alex Brownsell Make-up: Min Kim

fashion editorials.com

For Sale

We are actively looking to sell the domain name along with our social media pages(Facebook, Tumblr, Instagram, & Twitter). The asking price is $10,000 by check, credit card, or bit coin :D Serious inquiries please email brian@dowlingphotography.com

Smile

Emily Blunt in The Edit Magazine 18th December 2014 by Paola Kudacki


The Real Deal - British actress Emily Blunt wears black and white evening attire for the December 18th issue of The Edit Magazine, posing with elegant manner in imagery by Paola Kudacki. Blunt sports slicked-back hair while wearing the likes of Adam Lippes, Missoni, Narciso Rodriguez, & Erdem styled together by Tracy Taylor. Hair by Italo, Make-up by Jenn Streicher.



Comment / Full Post

Homem na Moda

Marsala, eleita a cor de 2015

Já ouviu falar da Pantone? É uma empresa conhecida pelo seu sistema de cor usado na indústria gráfica, praticamente usado como um padrão quando o assunto são cores e seus tons. Todo ano ela analisa e escolhe uma cor que será a “cor do ano”, a cor que será a tendência para todos os segmentos […]

© 2014   Criado por universomovie.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço